A crise dos 7 anos existe ou não?

A crise dos 7 anos existe ou não?
Avalie esse artigo

Você acredita que o amor tem prazo para terminar? Que depois de um período pré-determinado, a rotina, a convivência e a monotonia acabam com o romance e a paixão? Algumas pessoas acham que sim e inclusive tem um período de tempo para isso acontecer: sete anos de relação. Você provavelmente já ouviu falar sobre essa teoria, não é mesmo? Mas será que isso é verdade? Então hoje eu vou tirar algumas dúvidas sobre esse tema. Crise dos 7 anos: ela existe? Como superar a crise e viver um relacionamento mais feliz?

O termo “crise dos 7 anos” se popularizou com o filme “The Seven Year Itch”, filme de 1955 que no Brasil recebeu o nome de “O Pecado Mora ao Lado”. No enredo, o editor de livros Richard Sherman (Tom Ewell) aproveita que a mulher está viajando para se aproximar da vizinha sexy, vivida por Marilyn Monroe. Enquanto cultiva fantasias com a moça, ele se dedica à leitura do livro “A Coceira do Sétimo Ano” (tradução do nome em inglês do longa), que trata da forte tendência masculina à infidelidade após sete anos de casamento.

A crise dos 7 anos realmente existe?

Não necessariamente. Estudos antropológicos sugerem que as separações geralmente ocorrem a partir dos 4 anos de relacionamento porque se trata do tempo para a concepção, gestação e criação de um bebê. Ou seja, você precisaria de amor para procriar e criar um filho com o seu parceiro, mas depois você estaria livre para encontrar outra pessoa. Ironias à parte, independentemente se o número exato é de 4, 5 ou 7 anos, o que é certo é que, segundo especialistas, a maioria dos casais, após um período de estabilidade, passam por uma crise no relacionamento.

Como acontece?

Não existe uma regra exata que diga quando isso vai acontecer. Depois de alguns anos de relação, ambos tiram as máscaras que traziam e começam a fazer a si mesmos perguntas como “por que me casei com ele? Ele tem tantos defeitos…”. O que antes você considerava estimulante agora você acha aborrecido.

Esse também pode ser o período em que a relação seguiu seu curso e alcançou os objetivos iniciais fixados juntos. Talvez o casal já tenha tido filhos, eles já estejam indo para a escola e os pais se sintam mais livres. A expectativa de que o melhor ainda está por vir se acaba. Os dois sentem que o projeto foi concluído e não há nada mais a fazer juntos.

Crises marcadas no calendário

Não é por acaso que muitas crises dos casais coincidam com as etapas vitais que geralmente acontecem a cada 5, 7 ou 10 anos. Alguns desses momentos são:

  • A chegada do primeiro filho: é um desafio para a estabilidade e desafio para a vida conjugal. Os dois precisam arranjar tempo para se ajustarem às necessidades do bebê.
  • A crise da meia idade: faz com que algumas pessoas se lancem em uma corrida para recuperar a juventude perdida, buscando aventuras e até novos parceiros.
  • Ninho vazio: com a saída dos filhos, o casal está sozinho depois de muito tempo. Isso pode trazer para a superfície problemas que estavam escondidos debaixo do tapete.
  • Aposentadoria: muitos casais não estão dispostos a gastar 24 horas por dia juntos, depois de anos vendo um ao outro só para comer ou dormir.

A crise dos 7 anos não significa o fim

Pode ser que a paixão ardente do início do relacionamento esteja em declínio, mas isso não quer dizer que o amor terminou. O amor muda ao longo dos anos, tem diferentes fases e formas, depois de um tempo, tudo se torna mais real, o que é muito positivo para a relação, que se torna clara e honesta. Portanto, a chamada crise dos 7 anos pode ser valiosa, uma vez que significa um ponto de inflexão, um aviso para você estar atenta e não negligenciar o seu parceiro e, em última análise, uma oportunidade para melhorar os aspectos que não funcionam e fortalecer o seu relacionamento.

Dicas para salvar sua relação da crise dos 7 anos

Crises são inevitáveis, porém você não precisa ficar parada esperando a tormenta passar. Siga essas dicas que podem ajudar o casal a passar por esse momento difícil.

  1. Expressem seus sentimentos

Não se trata de reprovar como se ele fosse o vilão da história, mas sim de dizer o quanto vocês se querem. Um “eu te amo” sincero e no momento certo pode curar qualquer ferida.

  1. Olhe para seus erros

Acontece que quando estamos no meio da crise, nos concentramos apenas nas falhas do nosso parceiro. Agora, comece a ver dentro de si mesma e aceite os seus erros. Depois, encontre maneiras de mudar suas atitudes.

  1. Peça perdão

É o mais difícil, mas, uma vez que você reconheceu seus erros, deve agora dar o próximo passo. Pedir perdão liberta e dá oportunidade de curar feridas que, se ficarem abertas, serão um obstáculo para o relacionamento.

4- Seja feliz, não importa o que ele faz

Você está baseando sua felicidade nos outros? Pode ser que você esteja mergulhada em problemas, que não vê quão fabuloso é o mundo, em todos os sentidos. Relaxe e escreva uma lista de coisas que você gosta de fazer. Concentre-se nela e solte o seu parceiro. Encontre a felicidade em si mesma, você vai notar a mudança.

  1. Esqueça as expectativas

Pare de esperar que o seu parceiro aja de determinada maneira. Quando temos uma ideia de como queremos que as coisas sejam e elas não acontecem como esperado ficamos frustradas e até mesmo ferimos os outros com censuras. Todos vivem situações de modos diferentes, não se esqueça.

  1. Abraços e beijos por todo o caminho

Quando ficamos com raiva ou triste, nos afastamos fisicamente. É um mecanismo de defesa natural. No entanto, verifica-se que uma das melhores terapias para corrigir problemas é através do contato físico. Aproveite!

  1. Foque nas coisas boas

Crises podem se tornar um círculo vicioso em que só vemos o aspecto negativo. Deixe de lado os julgamentos e mantenha o foco no que no que você sempre gostou no seu parceiro (as razões pelas quais você se apaixonou). Às vezes, há aspectos mais surpreendentes que os defeitos. Você vai ficar feliz em achar isso.

  1. Quebre a rotina

Quando o casal fica um bom tempo juntos, repetem atividades e acabam se entediando e caindo na rotina. Saiam e acabem com isso. Pode ser um passeio curto ou um fim de semana romântico. Torne-o divertido e veja a diferença.

  1. Lembrem-se de seus melhores momentos

Lembre-se de histórias engraçadas que vocês passaram juntos. Veja fotos ou ouça músicas que compartilharam. Isso fará com que voltem a sentir emoções adormecidas.

  1. Conversem

Uma das reações comuns que temos ao nos sentirmos vulneráveis  é permanecer em silêncio. Sente e converse (com uma bandeira branca da paz) e diga o que pensa. Sem reprovações ou julgamentos, apenas dê a ele a oportunidade de ver as coisas de forma diferente.

Como superar a crise

Os  casais que  querem superar a crise dos 7 anos devem trabalhar intensamente e constantemente para reinventar a paixão e fortalecer os laços de relacionamento. É necessário criar momentos de aproximação com o parceiro, seja na questão sexual ou recordando os  sentimentos especiais que levaram você a se apaixonar. A relação precisa ser fortalecida porque, como foi dito no outro tópico, novas crises devem acontecer e caso os dois estejam estremecidos, o casamento não irá sobreviver.

 

Clique Aqui para Deixar um Comentário Abaixo 0 comentários

Deixe uma Resposta: