Amar não e possuir  o  outro! Abandone a possessividade

Amar não e possuir  o  outro! Abandone a possessividade
Avalie esse artigo

 Há uma linha muito tênue entre ter um parceiro protetor e um parceiro possessivo …E ainda assim muitos de nós não sabemos a diferença. O que separa possessividade inocente de possessividade agressiva? Em que ponto devemos dizer “basta”?

Quando inexplorados e não resolvidos, relacionamentos possessivos podem elevar-se a sentimentos de profunda infelicidade, ansiedade, raiva e até mesmo abuso físico ou emocional.

A princípio pode parecer adorável e até mesmo lisonjeira a devoção intensa de seu parceiro, mas depois de um tempo torna-se sufocante e até mesmo perigosa.As relações amorosas são formadas por duas pessoas que se ama.

No mínimo o que pode se perceber é que cada uma dessas pessoas tem a sua parcela de responsabilidade para um bom relacionamento. Cabe a cada um, portanto, refletir sobre a sua parte em todas essas histórias. E é justamente nesta reflexão que me proponho a ajudar.

Ver também: Sinais de que você já não é mais uma prioridade para o seu amor – Aprenda a reverter isso!

 

OBSERVE BEM

O excessivo emocional tende a girar em torno de um desequilíbrio de poder, que de fato, pelo menos uma pessoa no relacionamento procura exercer controle físico e psicológico sobre o outro. Mas, o excesso emocional não engloba a agressão física em si. Logo, este tipo de abuso nem todas as vezes é consciente, sendo que na maioria das vezes seja.

Relações abusivas

Têm como características, por serem vividas como jogos de ciúmes, frieza emocional, controle, violência, e abstinência sexual. Não é facil identificar uma pessoa abusiva. Esse tipo de pessoa costuma ter muita esperteza e pode facilmente fazer com que você pense que não é bom o bastante e que tudo é por sua culpa. Da mesma maneira que é tão difícil recuperar-se de um abuso emocional é também difícil de um abuso físico.

Algo que não é tão simples de identificar, a pessoa abusiva pode dizer que ama você e que irá mudar e fará de tudo para que você acredite que ele irá para com esses comportamentos, portanto você não tem que deixar. Todavia, quanto mais você a recebe de volta, mais controle ela ganhará sobre você e você não percebe. Promessas vazias tornam-se a norma, claro que ele irá te prometer muitas coisas e não vai cumprir.

É importante saber que o abuso emocional tem inúmeras definições, mas é mais bem mais caracterizado por padrões típicos de comportamento e dinâmica de relacionamento. O excessivo emocional tende a girar em torno de um desequilíbrio de poder, que de fato, pelo menos uma pessoa no relacionamento procura exercer controle físico e psicológico sobre o outro. Mas, o excesso emocional não engloba a agressão física em si. Logo, este tipo de abuso nem todas as vezes é consciente, sendo que na maioria das vezes seja.

POSSESSIVIDADE

A possessividade está intimamente ligada ao ciúme, o encarregado de destruir relacionamentos, mas também é um sentimento lentamente autodestrutivo; está relacionado com o medo, a desconfiança e a insegurança que a pessoa sente.

É necessário fazer a distinção entre o amor e a possessividade, porque enquanto no amor existe confiança, desejo de compartilhar, comodidade e espaço para cada membro da relação, na possessividade existe ciúmes, egoísmo e desconfiança por parte da pessoa que é possessiva, e não existe liberdade, nem tranquilidade para a outra parte. É uma relação que conduz a uma total destruição.

Como desencadeia a possessividade?

As pessoas possessivas possuem antecedentes que vão desde a solidão à discriminação na infância, tendo assim uma imagem ruim de si mesmo; em algumas ocasiões pode até ser um traço genético herdado.

É preciso dizer que, independentemente da causa ou do antecedente, as pessoas possessivas sofrem ataques de paixão e ira em relação ao seu companheiro(a). Essa emoção negativa é dolorosa para ambos os membros da relação e incompatível com a confiança e o amor.

Sintomas da possessividade

A possessividade não se trata apenas de dominar a outra parte, mas também de enxergar o seu companheiro como suspeito, quando na realidade ele não fez nada; tudo surge como uma reação em cadeia, onde a posse e a dominação do outro são maiores a cada dia.

A pessoa possessiva chega a espiar o seu companheiro, revista suas coisas e busca sinais de infidelidade no matrimônio; em resumo, não deixa de suspeitar da outra parte e não lhe permite descansar em paz. Em outras ocasiões chegam a seguir e espiar o seu companheiro em seu local de trabalho, para saber se está tendo alguma aventura.

Destruindo um relacionamento

Numa fase inicial a possessividade pode ser interpretada como uma demonstração de amor, mas quando se converte em um traço persistente e negativo, acabam surgindo fissuras no relacionamento; qualquer relação, independentemente do quão profunda e intensa for, deve ter espaço e liberdade para ambas as partes, mas em um relacionamento onde exista uma pessoa possessiva, isso pode acabar destruindo a convivência.

A pessoa possessiva quer tomar conta de tudo, e causa uma interrupção no plano de vida de ambos, porque é impossível que alguém sem liberdade e tranquilidade possa aproveitar um relacionamento tão angustiante; é um relacionamento que está fadado ao fracasso.

Como controlar a possessividade

A respiração profunda e a meditação ajudam a alcançar níveis superiores de concentração mental, o que ajuda a evitar esse tipo de sentimento de posse. A hipnose contribui para desenvolver o autocontrole e a se deixar guiar pela razão, evitando exercer a possessividade sobre os seus parceiros e entes queridos.

Como Identificar os Sintomas da Pessoa Possessiva

Para evitar problemas maiores, com os citados acima, é muito importante saber identificar os sinais destes comportamentos possessivos que, se não tratados e eliminados de maneira correta podem se tornar abusivos e criar relacionamentos que são como uma bomba-relógio prestes a explodir.

Vamos conhecer alguns destes sinais da pessoa possessiva. E caso você identifique-os em seu parceiro ou parceira, tome cuidado, pois este poder um alerta para você:

– Controladora, ela sempre quer saber tudo que você faz; com quem esteve; falou; o que conversou e porque esteve em tal lugar;

– Quando você não faz o que ela quer, a pessoa usa de chantagem emocional e até mesmo de violência para pressionar satisfazer sua vontade;

– É extremamente carente, quer atenção o tempo todo e quer sempre recebê-la com total exclusividade;

– Monitora absolutamente tudo o que você faz; quer saber suas senhas pessoais; fica de olho em seu celular; e-mails, redes sociais, faturas de cartão e não te deixa respirar;

– Não gosta dos seus amigos, que mantenha contato com eles e tenta, a todo custo, te afastar de amizades de outro sexo, por exemplo;

 

Clique Aqui para Deixar um Comentário Abaixo 0 comentários

Deixe uma Resposta: