Aprenda a maneira correta de aplicar blush

Aprenda a maneira correta de aplicar blush
Avalie esse artigo

 

O blush é o responsável pelo ar de saúde da pele. Uma pele corada tem aparência mais saudável, mas temos sempre que ficar atentas para não exagerar na quantidade aplicada e acabar ficando com “cara de chinelada”. Como qualquer outro produto de maquiagem o blush é todo trabalhado na textura e tem suas versões com brilho e opaca. Tudo isso influencia na forma de aplicar e quais acessórios usar.

Como acabamos de falar o blush deixa os traços femininos com aparência mais saudável quando bem aplicado e harmonizando com todo o resto da maquiagem. O produto também é importante para o acabamento da pele e também destaca diferentes formatos de rosto.

Antes de começarmos com as demais dicas, vamos começar com a dica de ouro para qualquer uma que se aventura pelo mundo da maquiagem: a perfeição vem com a prática, por isso assista tutoriais e treine muito em frente ao espelho e também nos diferentes tipos de luz. Além de ficar craque na aplicação, você também vai descobrir qual é o melhor produto, textura e forma de aplicar que irão cair bem em você e destacar seus melhores traços.

Ver também: Aprenda a lavar e higienizar seus pincéis 

Blush para cada tom de pele

Aqui vamos dar uma generalizada nos tons dos blushs e das peles, isso porque como sabemos, existem diferentes tonalidades e cores de fundo que também vão influenciar para termos um visual mais harmonioso.

No quesito cor, então, ela deve estar em harmonia com o tom de pele. As peles mais claras devem apostar nas misturas entre pêssego e rosa, e de preferência optar pela versão opaca; elas devem evitar tons terrosos e rosas fortes e abertos.

A pele clara consegue explorar mais cores, mas deve continuar evitando os rosas fortes como o pink e uma aposta certeira é a misturinha, aplicando primeiro um blush de cor bronze suave e depois um rosa por cima.

Na pele morena é certo optar por tons rosado que equilibram com o tom da pele; já como aposta errada é o terracota. A pele negra deve tomar cuidado com os tons mais claros de rosa e os de acabamento seco, e abusar de tons mais fortes como bronze escuro e vinho.

Texturas de blush:

A textura do blush tem impacto direto com a praticidade de aplicar, com o efeito desejado e com quais aplicadores usar;Não há unanimidade nessa discussão, todos apresentam pontos negativos e positivos, como vamos mostrar em seguida.

Blush em pó:

É o tipo mais comum de ser encontrado e possui a versão pó compacto e pó solto; além disso são comuns as versões que vem com uma ou mais cores e até em mosaico de cores, com a proposta de chegar a um determinado efeito seja de cores ou brilho.

Também é o mais fácil de ser aplicado, bastando ter um bom pincel para isso. O tipo de pele que costuma receber melhor esse produto são as peles mais jovens e o pincel é indispensável! A aplicação com esponja ou com os dedos não é indicada, pois deixam o produto marcado e não permitem um bom acabamento.

Blush em creme:

essa versão costuma vir em potinhos ou em bisnagas e a aplicação é livre para ser feita com os dedos – inclusive é a melhor forma de deixar a aplicação bem feita e natural. Pela sua textura é importante que a aplicação venha após a base, para não correr o risco de fazer uma lama com o pó compacto que foi aplicado.

O tipo de pele que recebe muito bem esse produto são as peles mais maduras e que possuem linhas de expressão, uma vez que o produto espalha mais fácil, hidrata a região e evita o nada desejado efeito craquelado.

Blush líquido:

É um dos que possui a aplicação mais complicada, pois embora seja bastante fluido, ele se comporta como uma tinta e pode acabar manchando a pele quando mal aplicado. Outro cuidado é para não remover a base enquanto o produto é aplicado. Alguns vêm com um pincel semelhante ao de esmalte, mas o ideal é aplicar primeiro o produto nos dedos e só então levar à pele.

Blush em mousse:

Muito semelhante ao blush creme, possui uma textura mais consistente que o outro. A ressalva é na quantidade a ser aplicada no produto, podendo ficar muito forte no rosto e apresentar um efeito mais marcado quando não é bem esfumado.

A indicação é para peles mais jovens, uma vez que por ser mais espesso que o creme, o acabamento nas peles mais maduras pode não ser tão bom e até acumular produto nas linhas de expressão.

Blush em bastão: é um produto mais indicado por sua praticidade, tanto na hora de arrumar a nécessaire quanto na aplicação. A aplicação é feita passando o produto direto na maçã do rosto e depois é esfumado com os dedos.

Blush em pérolas: é muito semelhante ao blush em pó, principalmente na aplicação. É uma versão mais sofisticada do famoso blush em mosaico e possui pequenas bolinhas (que lembrar pérolas) que apresentam diferentes tons de blush e tipos de brilho. O uso do pincel é indispensável.

Resumindo essa etapa: os blushs em creme, mousse e bastão devem ser aplicados sempre antes do pó facial e não necessitam de aplicadores, bastando usar o dedo e tomar bastante cuidado para que o produto não manche a base ou mesmo a remova; além disso são os mais indicados para ter sempre na bolsa, pois não correm o risco de quebrar e espalhar sujeira para todo lado.

Já os blushs em pó (solto ou compacto) deve sempre ser aplicado com um pincel indicado e as peles mais jovens recebem melhor o produto. E o blush em pérolas acaba sendo o mais frágil de todos, por possuir bolinhas soltas e possui praticamente a mesma aplicação que o produto em pó.

Com relação aos pincéis, existem diversos formatos e cada um tem uma função no efeito desejado. Existe o pincel tradicional, que é o mais fácil de ser encontrado e tem como objetivo um efeito natural devido às suas cerdas que esfumam o produto.

O pincel chanfrado é mais fino e é usado para aplicar o produto de forma mais precisa. O chamado duo fiber é indicado para os produtos em creme e aqueles de alta pigmentação, ele espalha o produto de forma uniforme e também é bom para esfumá-lo.

Os dois últimos são o kabuki e kabuki chanfrado, ambos são menores que o pincel tradicional, mas possuem bastantes cerdas para um efeito mais natural e uniforme, o cuidado vem na quantidade a ser aplicada que deve ser bem pouca para evitar o efeito marcado; o kabuki chanfrado é o “mais perigoso”, pois pode marcar bastante a pele por ser um pincel de alta densidade e precisão, o ideal é aplicar aos poucos pequenas quantidades de produto.

 

Clique Aqui para Deixar um Comentário Abaixo 0 comentários

Deixe uma Resposta: