Até que ponto os ciúmes podem acabar com meu relacionamento

Até que ponto os ciúmes podem acabar com meu relacionamento
Avalie esse artigo

Definitivamente, eu sou uma pessoa ciumenta. Sempre foi assim, desde que tive meu primeiro relacionamento. Talvez eu não seja exagerado em relação a isso, já que nunca discuti na rua, nunca briguei de forma mais séria por isso, mas já fui pra casa nervoso a ponto de ir sentido zona sul (eu moro na zona norte) e só perceber o equívoco quando notei que já tava perigosamente próximo de uma favela que eu sequer sei o nome. O fato é que em qualquer tipo de relacionamento, o ciúme sempre vai ser algo presente, quer a gente queira ou não.

Qualquer pessoa no mundo que já teve um relacionamento pode nos contar uma história relacionada a isso, e infelizmente nem sempre as histórias têm finais felizes. Recentemente mesmo, podemos citar o caso do Janken, que acabou desferindo golpes de faca contra a ex-mulher, deixando seu filho orfão de pai e mãe, já que provavelmente ele vai ficar preso por algum tempo, um caso que é completamente comum nos dias de hoje.

Fatalidades de lado, até que ponto o ciúme é bom ou ruim? Como fazer pra controlar o ciúme? É possível viver inseguro e enciumado o tempo todo? O lado feliz dessa história é que, com o tempo, eu aprendi a controlar o meu ciúme. E o lado infeliz é que o máximo que posso fazer por você é tentar explicar algumas coisas, já que não existe receita mágica contra isso.

Ver Também: Passos para fazer um relacionamento à distância dar certo

O ciúme bom

Demonstrar o ciúme é bom e passa uma sensação de carinho, de cuidado. Faça perguntas que satisfaçam sua curiosidade, mas não passe dos limites. É normal se preocupar com quem a gente gosta da mesma forma que é normal sentirmos isso de vez em quando.

A única coisa que deve te preocupar é que ciúmes demais acabam desgastando o relacionamento, e depois que isso acontecer a coisa pode não ter volta. Evite chegar ao limite, controlando-se. Lembre-se sempre que se a pessoa está com você é porque ela te ama. Não tenha dúvidas disso, mas se tiver, pergunte a ela. É fácil.

O ciúme ruim

Ninguém gosta de gente desconfiada demais. Ainda mais quando você tem a cabeça tranquila por não ter feito nada que não deveria. Entenda que você namora a pessoa mas não é dona dela, não pode nem deve querer controlar todos os seus passos.

Cada um tem a sua própria vida, independente da relação, e isso deve ser respeitado sempre. Por mais difícil que seja perceber isso, depois que você acordar pra esse detalhe, ficará bem mais fácil se controlar em situações que antes fariam com que você perdesse completamente a cabeça e a calma. Você está com alguém que te ama, lembre-se sempre disso.

Nem mais, nem menos, ache o equilíbrio

Cada pessoa tem um ponto de equilíbrio, o que naturalmente já torna mais difícil você achar alguém que tenha o mesmo equilíbrio com as coisas que você. Mas se querem construir uma relação bacana, sem desconfianças, sem armadilhas, procure o equilíbrio nesse quesito também. Se por acaso perceber que seu parceiro/a está pegando pesado demais, dê a dica. Se for você quem está pegando pesado, repense suas atitudes. Posso garantir, sem conhecer você, que não vale a pena por tudo a perder por causa de ciúmes. Até porque, meu amigo, depois que tudo acaba… ai não adianta mais chorar, né? Abra os olhos.

Efeitos do ciúme no relacionamento

1- Baixa autoestima

A baixa autoestima do cônjuge é um elemento muito nocivo para a relação e influencia de forma negativa em todos os comportamentos. A pessoa se sente inferior; não se acha apta ou capaz de manter o relacionamento e transforma a própria vida e a do outro em contínua tortura.

2- Sentimento de posse

É manifestação de arrogância desejar exclusividade total na vida do cônjuge, impondo regras como se não se tratasse de outro ser humano. Não se pode tratar alguém como um objeto, como algo que se possa manipular, prender e controlar.

3- Paranoia

Quando o pensamento do cônjuge se torna repetitivo e negativo, funciona como um veneno para o casamento. O problema é que a mente nesse estado se transforma em um turbilhão de emoções desconectas e passa a criar situações ilusórias muito impróprias.

4- Brigas

Um relacionamento onde o ciúme impera se caracteriza pela desarmonia e descompasso do casal. Um briga por causa do ciúme, o outro, por perder a paciência com o cônjuge e a tendência é que isso vire um ciclo muito perigoso.

5- Insegurança

O medo de perder o cônjuge pode tomar proporções muito graves. O ciumento briga e depois entra em pânico quando o cônjuge perde a paciência, então chora e se humilha piorando o que já está bastante complicado. A insegurança é um grande transtorno no casamento.

6- Agressividade

O ciúme é responsável por parte expressiva dos índices de violência doméstica.

7- Opressão

A tirania de um cônjuge ciumento tem por consequência o sentimento de humilhação e repressão do outro, que com o tempo acaba por sentir que a relação o sufoca.

8- Fragilidade

Um casamento sob a tensão constante do ciúme se deteriora e o relacionamento se fragiliza diante do clima de tensão que o cônjuge inseguro cria a todo o momento.

9- Intranquilidade familiar

O ciúme aniquila a harmonia e compromete a paz do lar, atingindo e desestruturando toda a família. Não apenas o casal sofre, mas também os filhos e qualquer pessoa que seja da convivência familiar.

10- Infelicidade

Um casamento marcado por tantos efeitos destruidores não pode ser um casamento próspero. É assim que o ciúme termina com qualquer possibilidade de edificação de uma união satisfatória.

O ciúme é o responsável pela devastação de muitos lares e pelo sofrimento de muitas pessoas e, portanto, deve ser controlado, fortificando a relação a dois através da confiança e do diálogo. A partir disso será possível estreitar os laços afetivos, em atitude positiva para que a relação se torne mais forte e feliz.

 

Clique Aqui para Deixar um Comentário Abaixo 0 comentários

Deixe uma Resposta: