Como a comunicação pode salvar um relacionamento

Como a comunicação pode salvar um relacionamento
Avalie esse artigo

Num convívio em que a dificuldade de comunicação entre o casal é grande, os vínculos facilmente se enfraquecem e favorecem a desconfiança. Encontrar a pessoa certa – que corresponda exatamente a tudo aquilo que gostamos e que entenda perfeitamente nossos sentimentos diante de uma situação contrária – pode parecer ideal, mas pouco provável.

Cada indivíduo tem uma resposta diferente para determinada situação. Conhecer nossos limites e controlar as fraquezas de nossos temperamentos pode ser a “pitada” certa para dar equilíbrio aos nossos relacionamentos.

Muitas vezes, dentro do convívio do casal, vai acontecer algo que nos tire do sério. Nessas horas, as circunstâncias podem nos levar a atitudes tempestivas, com palavras duras, as quais trarão à tona um comportamento pouco conhecido pelo nosso cônjuge.

Por isso, saber que ninguém é um “super-homem” em virtudes ou uma “mulher maravilha” em compreensão nos permite conhecer as “misérias” do outro; e isso faz parte dos desafios de uma vida a dois. Na partilha das realidades da vida conjugal percebemos as particularidades de temperamentos do cônjuge.

Ver Também: Porque meu relacionamento esfriou

Frequentemente, ouvimos alguém dizer que, por medo das reações do outro diante de certa circunstância, preferiu se calar em vez de expor suas idéias e reivindicações em prol da harmonia desejada.

Há pessoas que lidam mais facilmente com os desafios; outras são mais racionais ou têm facilidade para assumir a liderança das coisas, e assim por diante. Entretanto, ninguém é puramente virtude, pois também trazemos conosco nossos defeitos.

Entendendo que um relacionamento acontece numa “via de mão dupla”, precisamos estar atentos para não exigir do outro somente atitudes de perfeição, quando reconhecemos em nós mesmos defeitos, os quais podem ser corrigidos com a disposição em sermos melhores por causa do outro. Nosso cônjuge é a pessoa mais indicada para apontar aquilo em que precisamos nos empenhar a fim de melhorar nosso temperamento; o que, consequentemente, acaba refletindo no convívio a dois.

Não é nada agradável ouvir que cometemos um engano nisso ou naquilo, especialmente de quem amamos; afinal, nosso próprio conceito é de ser alguém irrepreensível. No entanto, um bom relacionamento traz sinais de sucesso quando o casal se dispõe a viver a honestidade, sobretudo, de maneira respeitosa na franqueza dos diálogos. As atitudes defensivas ou a recusa de conversar sobre aquilo que o outro julga importante dizer em nada ajudará no crescimento dos laços entre os casais.

Num convívio em que a comunicação entre as pessoas é pobre, os vínculos facilmente se enfraquecem e favorecem a desconfiança e a falta de respeito; atropelando, quase sempre, o direito e a integridade do outro. Situações mal resolvidas apenas tornam nosso convívio frio.

Antes mesmo que escoem pelos ralos os anos de amizade e comprometimento, a melhor atitude é falar sobre aquilo que parece não estar indo bem, a fim de encontrar uma saída, juntos, para uma situação que está tirando a paz no convívio.

A Comunicação no Relacionamento Amoroso

A principal causa de problemas em um relacionamento amoroso é sem dúvida a falta de comunicação, as pessoas quando estão em um relacionamento podem facilmente deixar de se falar por diversos motivos, até os mais simples.

Até mesmo um gasto no cartão de crédito sem antes conversar pode ser motivo para que um casal fique sem se falar por dias.

A maioria das pessoas é bastante racional quando se trata de escolher seu ramo de trabalho. “Quando se casa, porém”, prossegue o professor, “é provável que se comporte de modo romântico, em vez de prático”.

Comunicação Verbal e Corporal

O namoro é, portanto, o tempo para que haja séria comunicação. Na verdade, mesmo antes de virem realmente a se conhecer, pode existir poderosa comunicação entre um homem e uma mulher.

Ele talvez olhe com admiração para ela, e é possível que ela retribua com olhar apreciativo.

Diz um velho ditado: “Os olhos são o espelho da alma.” Nossos olhos conseguem transmitir profundas emoções e mensagens do coração. Com o tempo, expressões verbais de carinho podem dar lugar a outro meio de comunicação — o toque.

O “Efeito Cegante” da Paixão

Mas, ao passo que demonstrações de afeto têm seu devido lugar, pense: Um casamento sólido se baseia apenas em paixão?

Analise o seguinte: o toque suave duma pessoa amada pode suscitar fortes sentimentos e desejos sexuais.

Se os desejos sexuais forem descontroladamente “ligados”, a comunicação séria muitas vezes é “desligada”. Os amantes podem ficar cegos diante das óbvias falhas e fraquezas de personalidade.

Comunicação é a Base para um Relacionamento Amoroso de Sucesso

Conversas francas e abertas durante o namoro darão a resposta a perguntas tais como:

  • Formamos realmente um bom casal?
  • Ele ou ela, é honesto e bondoso?
  • Tem essa pessoa uma boa moral?
  • Será capaz de assumir uma parceria nas finanças?
  • Toma boas decisões?
  • Será capaz de cuidar de um lar ou de filhos?
  • Mostra desde já um senso de respeito?
  • Sentimos verdadeiro amor um pelo outro e não somente atração física?

Como Lidar com a Timidez?

Que fazer se a pessoa for tímida? Lembre-se de que um requisito básico de uma boa conversa é ser sensível aos sentimentos e aos interesses de outros.

Isso não deveria ser difícil para duas pessoas que realmente se amam. Aprenda a fazer perguntas simples e apropriadas.

A maioria das pessoas gosta de falar sobre si, sua vida, sua família e suas ocupações, e fará isso com boa disposição se soubermos, com jeito, fazê-las expressar-se.

Os Benefícios de um Namoro com Comunicação

Esses “papinhos” no namoro poderiam revelar que seu par tem muitos interesses, metas e esperanças em comum.

Que fazer, então, se grandes diferenças aparecerem? Tente discernir até que ponto essas diferenças poderiam por em perigo a felicidade do casal.

O fato de um parceiro não apreciar certa forma de diversão, como a dança, não significa que essa pessoa será mau marido ou má esposa.

Existem com certeza outras coisas bem mais importantes que vocês poderiam ter em comum. Ou existe o potencial para cultivarem novos interesses em comum.

De qualquer forma, o prof. Ernest Borges declarou mais: “Os casais deviam considerar e tentar resolver as questões importantes de seu relacionamento, tais como filhos, parentes, finanças, religião e a filosofia de vida, antes da data do casamento. Trata-se, em geral, de uma esperança vã esperar modificar o cônjuge depois da cerimônia de casamento.”

Clique Aqui para Deixar um Comentário Abaixo 0 comentários

Deixe uma Resposta: