Como devo superar uma traição conjugal

Como devo superar uma traição conjugal
Avalie esse artigo

Sabemos que a dor de descobrir que você foi traição" rel="nofollow" target="_self" >traído é uma mistura de vários sentimentos juntos, principalmente de decepção com o outro que você ama e um sentimento de humilhação com você mesmo, pois muitas vezes achamos que o problema está em nós.uma pergunta que vem a tona para nos fazer refletir: Será que eu que não fui boa o suficiente?

Pode ser por isso que muitas pessoas estejam sendo traídas hoje e prefira não enxergar, prefira deixar passar. Fazer uma “vista grossa” e ignora, deixa pra lá, na maioria das vezes pode ser até uma opção que muitos tomam para si, para evitar que a dor seja maior. Coisas tão claras que mesmo “embaixo do nariz” deixa passar com medo de termos o choque da descoberta, com medo de encarar aquela realidade e viver com o fantasma da dúvida e da incerteza.

Sabemos que uma das situações mais difíceis é essa que realmente encontramos na vida a dois, e cada vez está se tornando mais comum, seja por por mulheres ou homens. A traição causa e nos traz marcas de desconfiança e de decepção muito fortes, que sempre vão estar presentes em sua vida, gerando cicatrizes.

Ver também: Descubra se ele está te traindo

Será que existe vida a dois após a traição?apesar de tudo isso ser tão ruim, ser tão doloroso e traumático, Será possível perdoar e viver bem e voltar a ser feliz? Será possível reconstruir o laço de fidelidade, de voltar a confiar de novo?

A melhor resposta,acredito que seja: depende dos dois. Vão interferir nisso vários fatores e para isso é necessário renuncias de ambas as partes. Quando alguém trai seu parceiro, ele está distorcendo a visão de que você tinha daquela pessoa, o que pode torná-los pessoas isoladas, com medo de confiar em alguém novamente, com dificuldade para construir laços afetivos ou com tendência à traição posterior acarretando seus traumas passados.

Traição

A traição aconteceu várias vezes? Acontecia desde o namoro? Se a resposta for positiva para essas perguntas, então provavelmente essa pessoa só irá mudar se experimentar uma grande transformação em sua vida e querer realmente ser uma nova pessoa.

Ao sentir a perda concreta da família,Algumas vezes, o adúltero acaba encontrando o incentivo para buscar a mudança.Se a pessoa se fecha às ações de mudança, fica muito complicado ajudá-la.

Deve-se pensar na possibilidade do afastamento, que pode ser até menos traumático do que o convívio instável, tem que haver um cuidado em relação a atitudes que serão tomadas após essa decisão. Essa traição pode sim ser superada, desde que ambos estejam muito dispostos a reconstruir.

São muito frequentes os casos de traição, em casais que tinham como conduta moral a fidelidadee confiança total. A pessoa não tinha a intenção de trair, mas em um momento de fragilidade pessoal e de instabilidade do relacionamento, permitiu-se envolver com alguém externo.

Perdão

Para dá inicio a esse processo, oprimeiro passo a ser feitopara reconstrução do relacionamento saudável é o perdão. Deve haver muito dialogo trazendo sinceridade e realidade ao pedido de perdão.

Sim, houve um erro isso é fato, e reconhecer esse erro, é dar um passo a uma mudança e mostrar a ser uma pessoa melhor. O perdão é um processo, mas a decisão é um degrau fundamental.

Nessa processo muito doloroso, é preciso ter sinceridade e esclarecer todas as dúvidas e perguntas. Em determinado momento,você tomou a decisão errada de se envolver com outra pessoa.

É preciso pedir perdão e reconhecer o erro!Em algumas das vezes, a imaginação da pessoa que foi traição" rel="nofollow" target="_self" >traída é muito pior do que a realidade dos fatos que ocorreram, pode ser bem mais intensa Há o erro, mas não cabe a você cobrar a culpa, é necessário pensar antes de agir e até mesmo falar.

Quem foi traição" rel="nofollow" target="_self" >traído precisa decidir se vai tentar reconstruir ou se não consegue fazer isso.E a partir deste momento que se deve pensar antes de qualquer decisão.

Sabemos que o fato de perdoar não é esquecer nem dizer que aquilo foi certo. Você abre mão de carregar as pedras que “teria o direito” de jogar na pessoa, todos os dias, para o resto da vida pelo erro grave que ela cometeu.

O perdão mostra que você está disposto a abrir mão de ser o acusador daquela pessoa que traiu sua confiança e mostrou ser indigno disso. Claro que não é uma coisa que será esquecida, e para sempre será um erro grave cometido pelo seu companheiro, cabe a você se está a disposto a perdoar, perdoe e abandone o fardo pesado de viver lembrando do que aconteceu!

O relacionamento

É fato saber que todos os bons relacionamentose duradouros, já passaram por fases difíceis. Sim, é possível reconstruir um relacionamento após uma traição. É uma questão de escolha Decidir por lutar por sua família eser feliz. A diferença é que eles nem pensavam na possibilidade de desistir e seguir em frente!

É preciso voltar-se para o relacionamento após todo o fato que aconteceu, esse desequilíbrio no relacionamento foi causado por uma das partes, mas que acarretou inúmeros problemas na vida dos dois. É necessário então, avaliar como cada um estava atuando na vida a dois.

É muito provável que ambas as partes tenham construído um casamento onde ficou a carência de alguma coisa, uma falta de intimidade,um vazio,permitindo que uma terceira pessoa tivesse a oportunidade de entrar. Quais foram às brechas que eu deixei vazia?

O carinho, o convívio? o diálogo, a parceira?o sexo? Dedicava tempo suficiente para o outro? Fazia com que ele/ela se sentisse amado, valorizado e especial? Eu permiti com que acontecessem interferências externas excessivas? Essa auto avaliação é uma avaliação para que você possa refletir sobre tudo conforme o modo de ver mais amplo.

Ao decorrer do tempo, podem acontecera vinda desses fatos vindo a tona, os flashs na pessoa traição" rel="nofollow" target="_self" >traída, com “ataques de ciúmes. Após o arrependimento, dois pensamentos deve se enfatizar, o perdão e a avaliação do relacionamento, ambos estão aptos a melhorar o que perceberam de ruim, e assim fechar as portas para outras pessoas.

Mas, com decorrer do tempo e com a demonstração de confiança, através das atitudes e novos comportamentos que serão perceptíveis, ambos vão aprendendo a lidar com isso, os episódios se tornam menos frequentes e a convivência pode voltar a ser boa, e até mesmo melhor que antes, só depende das renuncias e a disposição de querer que de certo desta vez.

 

 

Clique Aqui para Deixar um Comentário Abaixo 0 comentários

Deixe uma Resposta: