Como Entender se um Relacionamento Acabou

Como Entender se um Relacionamento Acabou
Avalie esse artigo

Apaixonar-se é a fase mais bonita de um casal. A atmosfera está cheia de expectativas, batidas, surpresas, esperanças para o futuro. Em um certo ponto, no entanto, algo muda. O entusiasmo inicial diminui, deixando o lugar à indiferença, à incomunicabilidade, aos argumentos, à traição. A felicidade não é eterna. Alguns sinais destacam uma história agora no terminal. Nem sempre é fácil aceitar, especialmente para aqueles que ainda amam o parceiro. Precisamos olhar para a realidade e encarar a situação honestamente. Mas como entender se um relacionamento está em crise ou acabou?

necessário

  1. sinceridade
  2. Sentimentos claros e claros
  3. Autocrítica
  4. Respeito Mútuo

Um relacionamento termina quando falta diálogo e confiança mútua. A confiança se aproxima dos dois parceiros e os torna cúmplices de sua felicidade. Confundir, contar, compartilhar pensamentos, emoções, olhos nos olhos são componentes fundamentais para um relacionamento satisfatório. Na falta de um desses elementos, o relacionamento racha. A briga não é mais um motivo para comparação. Nós nos atacamos sem ouvir. Não há sinceridade nas palavras e ninguém fala com o coração. A culpa é atribuída ao estresse e ao mal-estar, mas na realidade a comunicação está faltando e a relação se desgasta.

Lentamente, os sentidos também cochilam. Estímulos, atração, intimidade estão faltando. Fazer amor não dá mais a mesma satisfação. Tédio, fadiga, raiva assumem. Viver sob o mesmo teto também envolve brigas frequentes, mas o sexo nunca deve faltar. É também diálogo, comunicação, reconciliação. O contato físico é um sintoma de cumplicidade, ternura, paixão, amor. Ao levantar uma parede gelada entre os dois parceiros, é apropriado enfrentar um ao outro. Entenda o que acontece com o relacionamento. Evite que isso acabe, se você ainda quiser bem.

A indiferença, a falta daquele ciúme (não insalubre) é um alarme. O relacionamento está tremendo. Um casal apaixonado sempre leva tempo para encorajar o relacionamento todos os dias. Apesar das dificuldades econômicas, os problemas familiares se juntam. O fim de um relacionamento, por outro lado, é respirado no ar. O clima é frio e desinteressado. Você quer espaço apenas para si mesmo. Você não compartilha interesses e passeios com amigos. É neste momento que a traição se insinua. O fim de um relacionamento deve ser encarado com coragem e determinação.

Os problemas devem ser avaliados e discutidos em conjunto. Compreender se existem soluções ou não. Neste caso, sem remorso, você deve aceitar seus erros e começar do zero.

Nunca esqueça:

Não deixe que o estresse diário, problemas familiares prejudicam o casal. Sempre fale sobre tudo, mesmo as coisas mais insignificantes. Faça o parceiro envolvido em seus pensamentos e preocupações. Lide com as dificuldades juntas.

Não retire o parceiro da sua vida só porque você quer protegê-lo de suas preocupações. O casal é um ninho seguro e, como tal, busca conforto e proteção no parceiro.

Os prós e contras de ser solteira

Ser perguntado se você está envolvida ou não, é uma das coisas que nos acontecem com mais frequência, especialmente quando nos apresentamos a novas pessoas. É como uma espécie de teste que cada um de nós, pelo menos uma vez na vida (mesmo que aconteça com muita frequência), tem que enfrentar. Alguns ferozmente respondem para ter um parceiro ou um companheiro, outros ferozmente respondem a ser solteiros, outros ainda respondem a ser solteiros com um véu de melancolia nos olhos.

Hoje em dia, ser solteiro está se tornando cada vez mais uma escolha. Em uma sociedade onde as mulheres são completamente marginalizadas, onde os problemas econômicos muitas vezes os forçam a levar a família para o fundo de suas carreiras e para a segurança de um lugar permanente, em um mundo onde tendemos a pensar primeiramente em satisfação pessoal e satisfação antes de compartilhar nosso tempo com uma pessoa, sendo solteiros, poderíamos dizer que está na moda.

Obviamente, nem todos vivem da mesma maneira: há aqueles que são perfeitamente capazes de serem independentes e felizes sem um parceiro; algumas pessoas, por outro lado, precisam de mais apoio e uma pessoa com quem podem contar sempre. E depois há o caminho do caminho, isto é, as pessoas que vivem bem por single, mas sente que sua vida é incompleta. Ser solteiro, na verdade, apresenta muitos profissionais, mas muitos contra.

O primeiro valor que a vida individual apresenta é, sem dúvida, independência. Uma pessoa que não esteja vinculada a um relacionamento pode organizar livremente sua vida, desde as pequenas coisas do cotidiano até as decisões mais importantes. Ele pode organizar seu dia como achar melhor e de acordo com os tempos em que ele mais concorda; ele pode fazer compromissos no último minuto, sem ter que explicar a ninguém; pode decidir sair com os amigos sem causar ciúmes, ou ficar em casa em completa tranquilidade.

Esses são exemplos da vida cotidiana, mas, como eu disse antes, a independência pode envolver decisões ainda maiores, como escolher ir estudar ou trabalhar em outra cidade ou no exterior. Este último ponto é sempre muito crítico para os casais, pois os obriga a se separar, iniciar um relacionamento à distância, que pode ser mais difícil de gerenciar do que o esperado. Ser solteiro, portanto, é um aspecto muito positivo quando se trata de questões tão delicadas, porque você não é influenciado ou bloqueado por ninguém e pode tomar a decisão com total autonomia e tranquilidade.

Outro aspecto positivo de ser solteiro é certamente o fato de que você pode usar seu tempo livre para si mesmo, dedicando-se aos seus hobbies, interesses ou descanso. Cuidar de si é importante, dedicar tempo ao nosso corpo e mente é fundamental, e muitas vezes na vida de um casal essas pequenas atenções são sacrificadas por quererem ver-se e estar juntas ou com muita frequência porque se sente a obrigação ter que dedicar cada pequeno momento livre ao seu parceiro, talvez deixando nossos interesses e nossas prioridades em segundo plano.

Um contraponto à vida de solteiro, é o peso de ter que tomar decisões por si só. Isso pode parecer contraditório com o que está escrito na lista de profissionais. Na realidade, é apenas o outro lado da moeda; na verdade, é certo tomar decisões de forma independente, mas às vezes é encorajador ter alguém próximo para apoiá-lo ou dar-lhe um bom conselho. Uma presença diferente da família ou dos amigos, muitas vezes, pode se regenerar para abrir novos pontos de observação.

Clique Aqui para Deixar um Comentário Abaixo 0 comentários

Deixe uma Resposta: