Como lidar com uma traição?

Como lidar com uma traição?
2 (40%) 1 vote

À medida que conhecemos e percebemos nossos limites, mais conseguimos nos expressar, dialogar e chegar a conciliações. Lidamos melhor com nós mesmos e com o outro. Assim, somos capazes de fortalecer vínculos e solucionar brechas energéticas do relacionamento, antes que elas levem a situações como a traição.

Muitas vezes as pessoas são pegas de surpresa pela traição. Mas ela é construída, resultado de um processo. Nós literalmente criamos e alimentamos a traição com pequenas atitudes e escolhas do dia-a-dia. Sem perceber, ignoramos a realidade e a verdade de nós mesmos e do outro continuamente.

Por isso essa situação dolorosa representa um importante aprendizado, chamando nossa atenção para aquilo que estamos criando sem consciência.Quem tem uma visão limitada sobre si mesmo também a tem para o outro.

Ver também: Como fica o relacionamento depois de uma traição?

Se duas pessoas não conseguem enxergar a si mesmas, como alcançarão uma a outra? Elas acabam vivendo realidades distintas que não se encontram, cada um vive em sua realidade distorcida.

A ilusão x a realidade

É comum construirmos nossos relacionamentos em bases falsas que um dia se desfazem. Viver ilusões é cansativo, pois precisamos continuamente nos policiar, nos tolhendo e atuando em papeis que não correspondem a quem realmente somos.

Não atendemos às nossas verdadeiras necessidades e vontades.Alimentar ilusões pode funcionar por algum tempo, por anos ou até por uma vida inteira. Mas o risco delas se desfazerem a qualquer momento é enorme. Esse risco pode colocar também em jogo um dos pilares básicos de um relacionamento: a confiança.

A traição sempre traz à tona muita dor, que vai sendo acumulada ao longo do relacionamento. A cada vez que deixamos de nos colocar, que cedemos ao outro desrespeitando a nossa verdade, que tentamos manipular, que olhamos apenas para o outro sem olhar para dentro de nós mesmos e vice-versa. Assim, a maior traição acontece primeiramente dentro de nós mesmos quando traímos a nossa verdade.

O seu ego machucado e distorcido

Quando nos omitimos ou nos colocamos de forma agressiva não estamos no verdadeiro eu, mas em nosso “eu machucado”, que distorce os fatos e o peso dos acontecimentos. Imagine que alguém esbarra levemente em você.

Agora imagine que alguém esbarra da mesma maneira, mas bem em cima de seu machucado. O estímulo externo é o mesmo, mas a sensação ao recebê-lo é completamente diferente. Por isso, a resposta do “eu machucado” é movida pela dor e toma um tom defensivo.

O outro, por sua vez, também pode também receber e interpretar essa resposta a partir do seu “eu machucado”. Perceba quanta dor é colocada no relacionamento, ao mesmo tempo em que a verdade vai se perdendo dessa dinâmica.

O que geralmente acontece é a falta de vontade e de auto comprometimento em perceber e buscar continuamente a real qualidade da energia que criamos em nós e em nosso relacionamento.

É preciso enfrentar sentimentos e crenças negativas, percebendo esse “eu machucado” e distorcido, que nos faz ter atitudes baseadas no medo, na raiva, na manipulação.

O que fazer para a traição não destruir minha relação? 

1 – Enfrente o desafio de reparar o dano que levou à traição o quanto antes

Numa relação boa e saudável é menos provável que a traição aconteça. Ela defende que nessa hora, o casal avalie onde cada um tem falhado e deixado de ser parceiro do outro. “Para mim, traição é quando existe uma quebra na cumplicidade, na lealdade. É muito mais do que uma simples ‘pulada de cerca’.

Não apenas quem traiu precisa rever suas atitudes. Se você foi traição" rel="nofollow" target="_self" >traído pode ter descuidado da relação também. Às vezes você põe toda culpa no traidor e não percebe que pode ter interferido na decisão de trair.

Ambos têm que ter responsabilidade sobre o relacionamento e entender como foram construindo os problemas. O importante é que fique claro que havia uma insatisfação e que o problema na relação precisa ser sanado.

2 – Respeite e libere a raiva 

Descobrir que o parceiro traiu você dói. Num primeiro momento tem que aguentar a hora do barraco, tem que botar a raiva para fora, precisa chorar muito. Não tem jeito. Não se pode ignorar a dor da traição.

Todos os sentimentos têm que ser vistos, revistos e vistos de novo, por mais doloroso que o processo seja: encarar a ameaça ao relacionamento e o que isso significa para você, o sofrimento de perder a pessoa amada, a culpa e o medo de ter ‘provocado’ direta ou indiretamente a traição, o cansaço de ter que construir tudo de novo, muitas vezes do zero. Então, nada de represar esses sentimentos: é preciso sentir e viver essa dor para ela ir embora e ceder lugar a um novo acordo entre vocês.

3 – Não tenha medo de discutir e conversar 

Não adianta jogar a traição para debaixo do tapete e fingir que nada aconteceu. O casal – e principalmente quem foi traição" rel="nofollow" target="_self" >traído – precisa entender o que houve. Criar um vínculo com outra pessoa numa relação que supõe a fidelidade é uma quebra de confiança que rompe o trato original do casal.

Mesmo que esse vínculo seja apenas uma relação casual, nascida de uma oportunidade ou de uma química do momento, nem por isso os sentimentos de quem foi traição" rel="nofollow" target="_self" >traído devem ser considerados menos importantes. A relação até pode voltar a ser como era, mas apenas se houver espaço e disposição de ambos os parceiros para muita conversa e entendimento do porquê aconteceu a traição.

4 – Será que seu ego ferido aguenta? 

Se a traição é reconhecida pelo casal como um erro, mas ainda assim existe a vontade de ficar junto, é preciso lidar com sentimentos de ego ferido, humilhação e culpa, principalmente se os fatos vieram a público.

Se a traição provocou um abalo essencial na autoestima, é difícil perdoar porque, nesse caso, ser traição" rel="nofollow" target="_self" >traído significa ter vergonha de ser quem você é. É quase impossível, mas idealmente, uma traição só deveria vir a público quando as primeiras nuvens de tempestade já tivessem passado, para evitar que o julgamento dos outros interferisse na decisão do casal.

5 – Reconheça a armadilha da paranoia e evite cair nela 

Voltar a confiar de novo é fundamental. Entender a traição não é uma permissão para que aconteça outra vez; é a compreensão de que o freio falhou. Em contrapartida, o traidor precisa provar que está comprometido e empenhado em não repetir o erro.

Quem traiu precisa ser transparente. Quem foi traição" rel="nofollow" target="_self" >traído precisa de muita garantia de amor para voltar a se sentir bem de novo e, mesmo assim, pode ficar uma pulga atrás da orelha.

 

Clique Aqui para Deixar um Comentário Abaixo 0 comentários

Deixe uma Resposta: