Como Reconquistar a Confiança da Pessoa Que Você Ama? (O GUIA COMPLETO)

Como Reconquistar a Confiança da Pessoa Que Você Ama? (O GUIA COMPLETO)
5 (100%) 1 vote

 

Recuperar a confiança em uma pessoa, seja seu parceiro, amigo, marido ou mulher é importante para ter bons relacionamentos pessoais e trazer uma boa qualidade de vida.

Em algum momento, todos nós sentimos que não conseguimos recuperar a confiança que depositamos em alguém, por vários motivos que nos deixaram decepcionados. Esse sentimento é comparável aos relacionamentos, relações de amizade, família e até mesmo no local de trabalho.

No entanto, nem sempre somos uma parte passiva desta sensação, mas muitas vezes em nós esse comportamento imprudente reside nas outras pessoas em nosso ambiente social.

Ver Também: Como Reconquistar a Seu Esposo Depois da Separação? (IMPERDÍVEL) 

O Que é Confiança?

O conceito de confiança refere-se ao fato de fazer um julgamento favorável sobre algo ou alguém em uma determinada situação. Ele é gerado em nós automaticamente antes de uma pessoa ou circunstância que transmite alguma segurança emocional.

Por exemplo, aprendemos a confiar pouco a pouco, alguém quando essa pessoa realiza um reforço positivo sobre nós e deixamos essa reação se tornar recíproca. Ou seja, que a autoconfiança precisa ser nutrida e sustentada por duas partes para que uma relação entre iguais seja satisfatória.

Mas, assim como é construído, pode ser facilmente derrubado se não equilibremos esses reforços positivos. Portanto, precisamos ter paciência, ser assertivos e realizar críticas introspectivas para encontrar, se necessário, possíveis causas que determinaram essa perda. Mais tarde, vou detalhá-lo de forma específica, como obtê-lo com algumas dicas simples.

7 Dicas Para Recuperar Confiança Em Alguém

Recuperar a confiança em alguém exige vários aspectos para que seja possível. Em seguida, vou lhe dar uma série de dicas que o ajudarão a recuperar a confiança:

1- Considere Sempre Uma Vítima é Um Erro

Lembre-se de que mesmo que você se considere vítima de circunstâncias, isso não significa que você sempre foi uma vítima durante todo o relacionamento. Ou seja, há uma grande diferença entre querer superar o que aconteceu e se alegrar com a dor de forma permanente, uma vez que o último não favorece feridas velhas e recupera a confiança.

2- Não Dê Tudo Por Perdido

Não fique cego pensando que não há nada a fazer para recuperar essa confiança perdida. Tudo depende da predisposição que temos para superar o que aconteceu.

3- Concentre-se Nas Coisas Positivas

Eu sei que pode parecer estranho para você tentar ver o lado bom das coisas. Mas de tudo o que vivemos, seja bom ou ruim, extraímos experiências, e isso sempre é positivo. As experiências nos dão a oportunidade de conhecer as causas de certos erros e poder remediá-los.

4- Aprenda a Ser Empático

Eu sei que não é uma tarefa fácil se colocar na pele do outro quando você foi o único que se sentiu desapontado. Mas eu quero isso para ajudá-lo a tentar entender os possíveis motivos que podem levar essa pessoa a cometer essa traição.

5- Fale Sobre o Que Aconteceu

Coloque seus sentimentos na mesa e mostre como você se sentiu sobre isso. Isso irá ajudá-lo a se desintoxicar dessa dor.

6- Despersonalize o Que Aconteceu

Se você considerar que a quebra da confiança foi o resultado de uma má gestão da outra pessoa, ajude-o a lidar com o problema. Isso irá ajudá-lo a empatizar e saber como perdoar.

7- Aprenda a Perdoar e Perdoar

Perdoar essa pessoa que causou dor, ajudará você a se libertar. Por outro lado, isso ajudará você a ser solidariamente responsável pelo que aconteceu. Aprenda a se perdoar também e não se culpe por acreditar que permitiu que o incidente acontecesse.

E lembre-se disso, relacionamentos que superam obstáculos e reconstrução, tornam-se mais fortes e mais sinceros.

Tipos de Confiança

Como expliquei anteriormente, a confiança é a base sobre a qual os pilares das relações interpessoais bem-sucedidas entre os colegas se baseiam. Deve-se dizer que, principalmente, é importante ter confiança em nós mesmos para que, mais tarde, a confiança mútua seja cheia e sincera.

Por esse motivo, dizemos que existem diferentes tipos de confiança, no sentido de que não é o mesmo que depositamos em nós mesmos, como o que depositamos em pessoas em nosso meio ou em instituições (com este último referimo-nos a toda sociedade, governo, etc.).

Em seguida, vou mostrar-lhe as características mais relevantes dos diferentes tipos de confiança que acabei de mencionar:

Confiar Com os Outros

Ao longo de nossas vidas, aprendemos a confiar em outras pessoas. No caso de relacionamentos de casal, concordamos com confiança mútua e compromisso em relação aos sentimentos de amor.

No caso das relações trabalhistas, a confiança é forjada com base no apoio e no companheirismo, enquanto confiamos cegamente em certas instituições e na correta execução de suas competências, como a justiça.

Durante o processo de desenvolvimento da confiança, a sinceridade é um fator chave e necessário, para estabelecer um link interativo favorável entre as diferentes partes. Então, nos faz sentir seguros na frente da outra pessoa. Pelo contrário, quando podemos detectar que o outro não nos fala com total franqueza, automaticamente o vínculo de confiança que estávamos criando desaparece.

Se continuamos a pensar nos componentes essenciais da confiança, sabemos que não só a sinceridade é essencial, mas que o que nos dizem deve ter alguma credibilidade para nós. Com isso quero dizer que o conhecimento que temos sobre experiências passadas da outra pessoa (positiva e negativa) influencia ativamente nossa percepção.

Por exemplo, imagine que você tenha abordado um relacionamento com um ex-parceiro, que no passado o enganou e não foi honesto com você. Automaticamente, sua predisposição para confiar novamente na sinceridade dessa pessoa, será menor do que se você tivesse sido sincero com você desde o início. Ou seja, quando começamos um relacionamento com alguém, seu passado nos influencia no futuro com essa pessoa.

A confiança também implica reciprocidade e troca de sinceridade, com o objetivo de ser parte ativa do bom desenvolvimento do exercício da interação social. Portanto, nós como um partido ativo também temos o dever de nos comprometer com as promessas feitas ao outro, fazer uma análise introspectiva para conhecer e aceitar nossos erros, e também para aprender a assimilar e perdoar os erros de outras pessoas.

No caso de uma ruptura do vínculo social e da confiança, será uma questão de encontrar e gerar novas situações em que possa ser recuperada levando em consideração os aspectos mencionados acima.

 

Clique Aqui para Deixar um Comentário Abaixo 0 comentários

Deixe uma Resposta: