Como se Reconciliar Com Seu Parceiro Depois De Uma Briga (IMPERDÍVEL)

Como se Reconciliar Com Seu Parceiro Depois De Uma Briga (IMPERDÍVEL)
Avalie esse artigo

As discussões são parte do amor e das relações, no entanto, o risco dessas diferenças de opinião é que elas podem se tornar muros emocionais que produzem distância quando não são acompanhados por uma reconciliação. As discussões não são negativas de maneira geral, de fato, nesses momentos você também conhece reações de si mesmo que não vivencia em momentos de rotina e descobre seu parceiro a partir dessa perspectiva.

Como se reconciliar com o seu parceiro depois de uma briga? Aqui, damos a você as chaves para resolver esses conflitos, fortalecendo o relacionamento a partir do que aconteceu.

Como agir depois de uma briga

Essas dicas de inteligência emocional podem ajudá-lo a gerenciar melhor a situação.

Pausa

Um gesto de inteligência emocional nas discussões é saber como interromper a conversa quando o diálogo adquire um tom não-construtivo ou ambos entram em um ciclo de idéias repetidas. Por meio dessa pausa, você pode se desconectar da negatividade da situação para reinterpretá-la de um ponto de vista mais racional. Isso não significa que você precise levar vários dias para refletir. Na maioria dos casos, é suficiente para distrair sua atenção do assunto por um tempo. Você pode dar um passeio e fazer alguns recados.

Tome a iniciativa na reconciliação

Se a razão pela qual você não se aproxima de seu parceiro é porque espera que ele dê o primeiro passo, então deixe de lado esse tipo de desculpa e tome a iniciativa da reunião. Pode pedir desculpas se pensa que cometeu um erro, por exemplo, no seu modo de apresentar uma ideia ou em algumas palavras que preferiria não dizer. É muito possível que, ao fomentar esse clima de confiança e retificação, seu parceiro também aproveite a oportunidade para fazer o mesmo. Este é um momento para priorizar o importante em relação ao secundário no relacionamento.

O poder de um abraço

A linguagem transcende as palavras. Numa época em que você pode não saber muito bem o que dizer para facilitar essa abordagem se o orgulho pesar em você, um gesto tão simples, mas terapêutico quanto o abraço, pode ajudá-lo a se conectar com seu parceiro em um vínculo de intimidade . Os abraços reduzem as distâncias, libertam a corrente do ego e promovem a busca pelo bem comum.

Protocolo de resolução de conflitos

Você pode negociar com seu parceiro alguns princípios básicos de ação em uma situação de conflito, para que entre você possa administrar esse tipo de situação com base nos princípios que você mesmo estabeleceu. Se ambos colaborarem na aplicação deste guia prático, é muito possível que você o internalize através da experiência.

Melhore sua atitude

Um erro comum em um casal de discussão é que cada um coloca seu olhar crítico sobre os comportamentos do outro, no entanto, para incentivar a reconciliação, recomenda-se que cada um aumente a introspecção para ganhar assertividade. Por exemplo, aumente o seu nível de audição ativa para participar sem julgar o que seu parceiro lhe diz, mesmo se ele romper com seus próprios critérios.

Para melhorar sua atitude, evite adotar o esquema “Estou certo, você está errado”. Não há uma realidade única em torno do assunto da discussão. Ambos os pontos de vista são complementares. Portanto, se você realmente quer conhecer a realidade dos outros, você tem que ouvir.

O que NÃO fazer depois de um forte argumento com o seu parceiro

Mencione novamente as questões do passado. Desta forma, você se sente sobrecarregado porque não há mais um único tópico de conversa e porque o passado explode de maneira negativa no presente. Diga tudo o que pensa sem definir um filtro confundindo sinceridade com expressar tudo o que passa pela sua mente. A linguagem é rica e variada, por isso, tente usar palavras que acrescentam para discutir suas ideias.

Culpe seu parceiro como se ele fosse responsável pela situação. Aja como se você fosse um juiz que determina o que é certo e errado. Julgamentos negativos distanciam o outro, pelo contrário, as carícias emocionais se aproximam dele.

A punição da indiferença. Esse é um dos erros mais comuns nesse tipo de situação e a verdadeira falta dessa atitude é que se torna um hábito para quem adota esse mecanismo como forma de fazer a outra pessoa se sentir culpada.

Compartilhe o motivo da discussão sobre um amigo ou plano familiar para que eles possam se posicionar em favor de um dos dois. Esta situação não é apenas muito desconfortável para os outros, mas também expõe a intimidade do casal antes dos outros. O que você pode aprender com uma briga de casal A superação das discussões é uma escola de aprendizagem que pode lhe dar esses ensinamentos:

Conclusão

As discussões não são um problema, mas uma oportunidade de crescimento como casal. Neste contexto, você tem a oportunidade de colocar em prática recursos que você não poderia exercer de outra forma, se você sempre evitou qualquer motivo para discussão.

Ambos colaboraram em maior ou menor grau para atingir este ponto, portanto, a solução para este conflito também depende da colaboração e do envolvimento comum. Do individualismo é impossível chegar a uma reunião sincera, pelo contrário, o mapa do bem comum é o objetivo a alcançar neste momento. As discussões fortalecem o amor, uma vez que um relacionamento que não sobreviva às diferenças não é sólido para durar ao longo do tempo.

Nem tudo se desculpa. Este é um critério que também deve ser mantido em mente no amor. Quando os argumentos são destrutivos ou um dos dois humilha o outro, então é aconselhável ouvir os sinais desse desconforto.

Este artigo é meramente informativo, não temos a capacidade de fazer um diagnóstico ou recomendar um tratamento. Nós convidamos você a ir a um psicólogo para tratar seu caso em particular.

Se você quiser ler mais artigos semelhantes a Como se reconciliar com seu parceiro depois de uma briga, recomendamos que você entre em nossa categoria de terapia para casais. Comente abaixo se você concorda com as nossas dicas.

Clique Aqui para Deixar um Comentário Abaixo 0 comentários

Deixe uma Resposta: