Como superar um fora?

Como superar um fora?
Avalie esse artigo

Ficar aqui falando sobre o que fazer para superar um fora parece sempre muito fácil, mas passar por isso é extremamente difícil, não é mesmo? Quando eu era mais novo, tive uma paixão não correspondida.

Eu sei o que você deve estar pensando aí – e quem não teve? Sim, é algo bastante comum, principalmente na adolescência… Mas o meu caso ia longe, os anos passaram e eu continuei apaixonado sem que a garota sequer me notasse.

Eis que um dia estávamos eu e meu amigo no quarto dele jogando videogame e falando de garotas, quando ele me diz: “cara, você precisa se declarar pra ela!” Eu tinha dúvidas sobre isso, não por ser tímido – isso eu nem era tanto – mas por que ela não sabia de nada até o momento.

Ver também: Dicas simples para esquecer amor

Eu sempre a amei escondido! Como faria para quebrar esse gelo? Meu amigo foi convincente a ponto de me fazer ir até a casa dela – que obviamente eu sabia onde ficava – e convidá-la para sair. E o resultado foi que eu levei um magnífico FORA!

Cara, tenho que te contar essa: eu fiquei mal, fiquei muito mal. Demorei a me reerguer. Me senti inferior, baixei a cabeça e saí andando pela calçada me sentindo um lixo.

Verdade seja dita, não tinha como essa situação apresentar um desfecho melhor, a garota não me conhecia, não sabia de minhas intenções, eu não tinha feito nenhum investimento em paquera antes daquele momento. Como é que uma linda garota vai aceitar sair com alguém que nunca viu na vida?

Essa foi mais uma lição que recebi na minha vida e que serviu para que eu buscasse entender mais sobre as mulheres e sobre as maneiras de se conquistar uma garota.

Só depois de adulto fui compreender que é importante saber reagir bem a um fora, não levar um não tão a sério a ponto de imaginar que ele destruiu suas chances de conquistar um amor.

Essa história, aliás, me fez lembrar da minha vizinha de porta, a Cristiane. Ela morava na mesma rua que eu quando éramos crianças e, diferente de mim, ela tinha tudo o que pedia aos seus pais, desde brinquedos, guloseimas e mesmo ficar até mais tarde na rua ou acordada vendo TV.

Não era só porque os meus pais não tinham condições financeiras para arcar com tudo o que eu gostaria de ter, mas também porque os brinquedos, por exemplo, eram dados apenas em momentos especiais, como o dia das crianças, aniversário e natal.

Já a Cristiane ganhava tudo o que queria,era só começar a bater o pé no chão.Mesmo eu sendo bem jovem já percebia que nem sempre os pais dela tinham condições de dar o que ela queria, mas davam um jeito.

Eles também não davam nenhum tipo de limite à menina e à medida que crescemos acabamos nos afastando, éramos bem diferentes e como estudávamos em escolas distintas acabamos conhecendo outras pessoas e tendo outros amigos.

Digo isso, porque o restante da história eu soube por outras pessoas e não presenciei. Soube que, mais de uma vez, quando os seus namorados queriam terminar a relação ela ameaçava se matar.

Uma das vezes, tentou mesmo. Essa forma desproporcional de encarar o fim do relacionamento era o reflexo de uma infância e adolescência sem nunca ter ouvido um não. Aí quando ela começou a ouvir não conseguia aceitar, pois não sabia como lidar com isso.

DICAS SOBRE O QUE FAZER PARA SUPERAR UM FORA

A história da Cristiane é bem dramática, claro, um exemplo extremo de não saber como lidar com os nãos da vida. Nem todo mundo pensa ou ameaça se matar quando leva um fora, mas muitas pessoas ficam mal durante semanas, meses e parece que nunca vão se recuperar.

Não quero dizer que todas as mulheres que possuem dificuldades em encarar um fora tiveram a mesma criação que a Cristiane teve.No entanto, a dificuldade em seguir adiante depois de levar um fora pode estar associada a outras dificuldades que a pessoa tenha.

O medo da rejeição, de ficar sozinha, de ter falhado, de ter errado, se ter se frustrado amedronta muitas pessoas. Mas o grande desafio da vida é esse mesmo, saber superar tudo o que acontece em nossas vidas, inclusive, o que não parece ter nenhum lado positivo.

Porém, muitas vezes, há “males que vem pra bem” você já deve ter ouvido isso, não é mesmo? E com isso também não quero dizer que todo o fim de namoro deve ser um momento de alegria porque alguma coisa boa vai acontecer.

Mas existem relações que devem terminar mesmo, que não trazem felicidade nem para você e nem para o outro e nesse sentido o fim do namoro pode realmente ser muito positivo. Você pode amar o homem com quem namora e não perceber que essa mudança pode estar sendo positiva para você.

Em um primeiro momento, você nem vai perceber mesmo que ela é boa oportunidade, o que é normal. O momento de luto pelo fim de um relacionamento deve existir, mesmo quando é você quem decide terminar e, principalmente, quando se tratava de uma relação de longo tempo.

Se você sair dando pulos de alegria por causa do fim do seu romance, aí sim, será muito estranho. Esse tempo que chamamos de luto é para você avaliar a situação, compreender os seus sentimentos, pensar no que aconteceu, é o que vai ajudar você a deixar a “ficha cair”.

 

Essa atitude, de não negar a tristeza do fim da relação, é o primeiro passo sobre o que fazer para superar um fora. Esse período não precisa durar semanas, pode ser apenas alguns dias e tudo vai depender de você.

Porém, por mais que seja triste para você o seu luto não pode se arrastar demais. É preciso nesse tempo também começar a olhar para frente, seguir a vida e mesmo retomar alguma coisa que talvez você tenha deixado para trás por causa do namoro.

VOCÊ SABE SUPERAR UM NÃO?

Já as novas paixões podem dar um tempo, a não ser que aconteça algo muito mágico, como reencontrar um ex amor do passado que aparece do nada ou se você tiver um amor a primeira vista.

No entanto, não encare uma nova relação como uma forma de superar um fora, pois não é assim que as coisas funcionam. Você deve estar de bem consigo mesma, completa e feliz para então estar pronta para se envolver novamente com alguém amorosamente.

Outra dica de o que fazer para superar um fora é não deixar de lado as suas atividades cotidianas, como parar de estudar, ou se dedicar menos, não frequentar mais o curso de idioma, a aula de teatro, ou mesmo desleixar no trabalho.

O luto não abrange isso. Aliás, é fato que as pessoas quando não largam os seus afazeres diários conseguem superar os seus problemas com muito mais facilidade.

Isso acontece porque elas mantem a cabeça funcionando, preocupam-se com outras coisas e tiram do foco o fora que receberam.

Se você ficar em casa, na cama chorando, se lamentando, vai focar demais no fim da relação e aí sim tudo parecerá muito maior do que é e você poderá entrar em uma bola de neve difícil de desfazer depois.

Os amigos nessa hora também são grandes aliados, pois com eles você pode contar, sair para espairecer, conversar e mesmo matar a saudades, caso você tenha ficado muito tempo sem vê-los.

Esse é um dos motivos, inclusive, que tornam ruim o fato de se afastar das pessoas que se gosta quando começa a namorar, se fechando em uma concha com o seu amor.

Quando a relação é assim, o foco da vida torna-se a relação amorosa, como se fosse o mais importante da sua vida, sendo que mesmo com a importância que possui, não é a única.

No entanto, quando tudo termina, parece que a vida desmorona, mas não é bem assim.  Ou seja, outra dica para superar um fora é não deixar que a relação se torne uma concha.

Clique Aqui para Deixar um Comentário Abaixo 0 comentários

Deixe uma Resposta: