Como Truncar um Relacionamento

Como Truncar um Relacionamento
Avalie esse artigo

O amor é inicialmente uma explosão de emoções e paixão e é acima de tudo irracional, os princípios estão cheios de boas intenções de sonhos, projetos estão na norma todos nós sabemos o que é, eu não preciso explicar então notamos alguns erros que nós fazemos tudo sem exceção. Vamos ver como truncar um relacionamento.

Como toda história de amor, o começo é novo, tudo é fabuloso, o tempo dirá como duas pessoas são capazes de compartilhar suas vidas, apenas viver e compartilhar o dia realmente será capaz de se entender. Muitos com a coabitação de repente se sentem privados de sua liberdade, de seus espaços de seu tempo. Para muitos homens e mulheres isso se torna um problema, se você não fala sobre isso, mantém tudo dentro esperando que passe, assim acumula estresse que compromete o casal.

Pode acontecer que no casal se queira prevalecer o outro, geralmente quem mais ama aceita e sucumbe na esperança de que as coisas vão mudar, mas não é tanto o contrário que é uma pausa para a fadiga. Então você decide fechar uma história que nos machuca, e se você é uma pessoa inteligente, você lidará com tudo com tato.

Lembramos que compartilhamos tudo com a pessoa que estamos deixando, raiva, ódio e rancor não são necessários. Certamente um dos dois viverá muito mal a separação, tentamos conversar com a outra parte para se certificar de que inclui as razões que o levaram a esta decisão, por que ficar juntos, se um dos dois não está bem.

Se temos filhos, não vamos torná-los partícipes litígios e debates desnecessários, na verdade, eu recomendo (se você é um adulto) para levá-los a compartilhar o que está acontecendo, não os excluir, são parte de nós e de nossas vidas, lhes serve especialmente para impedi-los encontrar um fim e estabilizá-los, às vezes separações mal separadas deixam feridas profundas em nossos filhos.

Se você tem filhos, nós tentar, tanto quanto não podemos transmitir-lhes a dor que estamos vivendo, é para a mãe e para o pai, dependendo de quem tomou a decisão, a menos que não é consensual, neste caso, tudo se torna mais fácil para nós.

Antes de tomar qualquer decisão, procuramos a ajuda de um especialista, diga-nos onde podemos conversar com um mediador, quem pode nos ajudar e nos informar como podemos e se podemos resolver o problema. Não nos esqueçamos de que somos o casal que nos separa, mas não nos separamos de nossos filhos.

Devemos dedicar nosso tempo a eles para não deixá-los sentir o distanciamento, vamos fazê-los entender que mamãe e papai são sempre os mesmos que os amam como antes, a única coisa que mudou e que eles não compartilham mais a mesma casa, mas que tudo o amor que temos por eles não mudou, o que é definitivamente melhor ter dois pais felizes separados do que dois pais infelizes. Se não somos mais um casal, não vamos esquecer que somos mãe e pai, não tiramos isso dos nossos filhos.

Namorou casou e: Como superar a crise de sete anos

Todos os casais antes de se casarem, façam um curso pré-matrimonial. Um deles, um padre, pede aos casais presentes na sala que escrevam no quadro-negro palavras que representam a palavra casamento para eles. Os lemas usados ​​eram muitos e entre eles o padre viu as palavras “amor”, “afeição”, “felicidade”, “alegria”. Essa situação divertiu muito o padre que revelou aos jovens o fato de que o casamento é muito diferente do que eles imaginam.

As palavras que escreveram eram significativas e representavam apenas o casamento sacarino visto nos filmes. Na realidade, as coisas são diferentes e o pároco disse que a palavra certa a ser usada era: tolerância. Por quê? As coisas estão indo muito bem nos primeiros anos, mas com o passar do tempo a crise está chegando. A mais conhecida é a crise de sete anos. Vamos ver como superar a crise e salvaguardar o casamento.

necessário

  • casal
  • amor
  • resistência

SETE FORTUNA OU INFORTUNA

Sete é um número simbólico muito importante na história do nosso mundo só acho que um dos sete pecados capitais, os sete dias da semana, os sete reis de Roma, as sete maravilhas do mundo e outros símbolos ligados por meio deste número que é um grampo de nosso ponto existência.

Apesar do número sete é o que simboliza a crise, 40 por cento dos casais, atualmente vem apenas o primeiro ano de casamento, então vamos ao advogado e pede o divórcio.

Quais são os sinais de crise? Bem, as medidas são realmente muitas e muitas delas podem ser evitadas. Aqui estão alguns:
– a falta de respeito pelo parceiro atacando-o com frases para mortificá-lo e deixá-lo doente
– não carrega nada do que ele faz e sua atitude
– o desejo de trair
– querendo fazer as coisas únicas e clássicas
– relações sexuais mais e mais esporádicos
– parentes.

Como podemos salvar o casamento e tornar a frase fatídica realidade “até a morte você parte?” Antes de mais nada, devemos lembrar que casar-se cria a própria família, que tem que se tornar o centro da existência para o casal para criar projetos futuros, deixando de fora tudo relacionado ao passado. Especialistas aconselham não morar perto de parentes porque, mesmo que de boa-fé, apenas problemas evitáveis ​​são criados a uma certa distância.

Outro ponto fixo para manter um casal é a confiança que deve ser incondicional e o diálogo entre os cônjuges nunca deve ser menor. Como o padre disse então a resistência é essencial para levar adiante um casamento, infelizmente, cada um de nós tem suas falhas que precisamos aprender a aceitar.

Dicas

Nunca esqueça:

  • De vez em quando, até o cônjuge está certo
  • Os elogios são sempre agradáveis, mesmo que sejam descontados
  • Fazendo o par se sentir importante
  • Uma carícia após um dia cansativo ajuda a recuperar um bom humor.

Essas dicas são baseadas em desde o início da relação, até o momento em que você passa por momentos em que não imaginava que passaria. Pois bem, siga nossas ideias e será mais leve.

Clique Aqui para Deixar um Comentário Abaixo 0 comentários

Deixe uma Resposta: