Confira 10 coisas que você não deve fazer após uma briga com o cônjuge (IMPERDÍVEL)

Confira 10 coisas que você não deve fazer após uma briga com o cônjuge (IMPERDÍVEL)
5 (100%) 1 vote

Nervos à flor da pele e muitas emoções ruins vindo à tona – assim é uma discussão. Nesse contexto, é muito fácil de magoar outra pessoa. E, normalmente, também saímos com os próprios ressentimentos.

Discussões acontecem e elas são uma forma de aprendermos e evoluirmos, seja pessoalmente ou enquanto casal. O problema é que algumas pessoas agem de maneira errada durante e após o momento de atrito.

Para o artigo de hoje, o objetivo é debater o que fazer ou não após uma desavença. É claro que isso se refere às discussões verbais do dia a dia, sem considerar relacionamentos abusivos (verbal ou fisicamente). Tenha discernimento para identificar qual é o seu caso.

Elaboramos uma lista com 10 coisas que não devemos fazer após uma briga com o cônjuge. Você certamente vai se identificar com um ou mais itens dessa publicação. Contudo, se for capaz de reavaliar esse tipo de atitude, é bem provável que consiga agir de uma maneira melhor da próxima vez.

Ver também: Veja 10 coisas que o seu marido gostaria de ouvir de você (IMPERDÍVEL)

1. Correr para desabafar com familiares ou amizades mútuas

Além de, em geral, sempre mostrarmos o nosso lado mais sombrio durante uma briga, podemos agir de forma equivocada depois dela. Em busca de apoio e autoafirmação, pode acontecer de levarmos o assunto para outras pessoas alheias à circunstância.

Não tente mostrar para os outros o quanto sua situação é ruim logo após o desentendimento, pois esse é um sentimento temporário e você pode exagerar na dose ou se arrepender mais tarde. Sem falar que isso pode gerar futuros comentários ou situações desagradáveis.

Os problemas do casal devem ser resolvidos entre o casal. Se perceberem que não estão conseguindo lidar com isso sozinhos, busquem aconselhamento de um terapeuta.

2. Resgatar problemas antigos e misturar tudo em uma discussão só

Para reafirmar nosso ponto de vista em um debate, ainda mais nos mais acalorados, podemos cair na tentação de trazer outros assuntos à tona. Tornar isso um hábito frequente não colabora em nada com a situação.

Não desvie o assunto e esclareça uma coisa de cada vez. Supere o que já foi resolvido e foque nas razões que levaram ao desentendimento presente. Jogar todos os defeitos e erros no mesmo monte só levará à mais dificuldades para encontrar uma solução.

3. Não assumir os próprios erros e colocar toda a culpa no outro

Somos orgulhosos por natureza, isso é fato. E esse orgulho é capaz de nos cegar em certas circunstâncias. Acabamos tendo dificuldade em aceitar que também erramos e jogamos toda a culpa pelas coisas ruins que acontecem em outrem.

Seja humilde e, após uma briga, pense nas coisas que você fez que possam ter contribuído para aquele momento negativamente. É compartilhando os erros e acertos que enterramos as mágoas e seguimos em frente.

4. Sair de casa para “espairecer” sem ter concluído o assunto

Sair de casa e fugir da briga, ainda que seja com a desculpa de acalmar os ânimos, não é a melhor atitude. Você estará demonstrando desdém e desinteresse em resolver aquele problema.

Aja com maturidade, identifique o motivo do desentendimento e busquem juntos uma solução. Respirar fundo e espairecer é importante, desde que vocês combinem que o assunto será tratado num momento mais oportuno. Basta não desviar do conflito por ser incapaz de encará-lo.

5. Fingir que nada aconteceu ou agir com falsidade

Muitas pessoas são mestres na arte de fingir que nada aconteceu depois de uma briga. Isso é muito irritante além de ser um artifício para jogar a “sujeira debaixo do tapete”. Mais cedo ou mais tarde aquilo vai se revelar novamente, o que piora as coisas. Demonstre o interesse no seu casamento. Coloque um ponto final na discussão quando for oportuno e siga em frente com sinceridade.

6. Ignorar a presença da outra pessoa

Sentir raiva da outra pessoa, em algumas situações, é inevitável. Mas não instale em volta de você uma barreira de indiferença e silêncio, isso de nada adianta. O processo de reconciliação precisa ser maduro e bem resolvido.

7. Ficar se colocando na posição de vítima

Reações impensadas (ou bem planejadas), como se colocar no papel de vítima para que o cônjuge se sinta um vilão também não são saudáveis. Procure reavaliar sua postura e lidar melhor com as próprias frustrações.

8. Usar o argumento da separação como uma ameaça

Outra atitude digna de ser taxada como imatura é a ameaça. Divórcio é uma palavra que diversas pessoas usam como arma, tentando ferir ou assustar a outra pessoa para que ela recue.

Se a separação é, de fato, uma possibilidade, trate o assunto com firmeza. Mas se você está utilizando esse argumento da boca para fora e não é a sua real intenção, pare agora mesmo. Decisões precipitadas e emotivas podem ser tomadas sem que você realmente as deseje.

9. Ir dormir em outro cômodo ou fora de casa

Se você for dormir em outro cômodo, como no quarto de visitas ou no sofá, só está demonstrando que não superou a briga. Lembre-se que compartilhar a mesma cama diminui o atrito e a irritação de ambos. Ainda que fiquem de costas um para o outro, pode muito bem acontecer de vocês acordarem agarradinhos. É ou não é verdade? Pense nisso!

10.  Não ser capaz de perdoar e seguir em frente

Muitos dos itens até então citados se resumem nesse: não ser capaz de perdoar. Não permita que a mágoa, o ressentimento e o rancor tomem conta do seu coração. Ceda e perdoe quando julgar que for justo.

Agir com petulância como estratégia de vingança não fará com que o sofrimento do seu cônjuge o faça te amar mais. Esse é um veneno do qual ambos provarão e sofrerão as consequências. Releve e seja mais feliz! E então, depois de uma briga você age de alguma das maneiras citadas acima? Como acontece, normalmente, a sua reconciliação? Dê suas ideias e interaja na área dos comentários! Nós vamos gostar de ouvir você também. Até mais!

Clique Aqui para Deixar um Comentário Abaixo 0 comentários

Deixe uma Resposta: