Crise financeira pode afetar minha relação?

Crise financeira pode afetar minha relação?
Avalie esse artigo

Quando a capacidade de ouvir o outro é perdida, um relacionamento não tem outro caminho a não ser o fim. Quando um casal está enfrentando uma crise em sua relação, como será que é possível recuperar a capacidade da conversa?

Uma vez que chega naquele momento em que as duas pessoas não conseguem mais expandir os horizontes, presos aquela tensão que fora criada ali, talvez a melhor solução seja o auxílio de um mediador de intrigas.

Seja para superar a crise e fortalecer o relacionamento ou decretar logo o fim da relação – mas de modo que os dois lados terminem bem e satisfeitos com os resultados – a presença de uma terceira pessoa neutra pode ser a solução de muitos problemas críticos, como é o caso de uma crise financeira em um casamento.

Ver também: Como tornar o relacionamento mais saudável?

Quando há dinheiro, não há problema algum. Os dois vão levando a vida sempre de forma tranquila. O problema surge quando falta dinheiro ou acontece alguma transformação muito grande na vida a dois.

As dívidas podem começar a se acumular, os problemas vão se tornando bolas de neve e o casal não consegue nem conversar, o que dificulta muito chegar a algum tipo de solução e é aí que as relações começam a desmoronar.

O peso das questões financeiras poderiam ser regulados se os casais determinassem combinados em relação ao dinheiro antes do surgimento de problemas, mas é fato de que este tipo de diálogo, sobre finanças, não existe na grande maioria dos relacionamentos.

Sem a conversa, começam a surgir as suposições e as queixas. Um reclama que o outro está falando que está tudo muito caro, mas acabou de quitar um veículo. As insatisfações vão surgindo e só aumentando sem que o problema seja de fato, conversado e resolvido

Os conflitos começam a ter origem não só quando aparece um problema financeiro muito grave, como o desemprego ou queda intensa no faturamento, mas também quando alguma mudança acontece dentro da família.

A chegada de um filho, como exemplo, muda muita coisa. Na verdade, muda tudo! São mais gastos, mais comida, de repente a contratação de alguém para dar auxílio, pois nem sempre a mulher dá conta sozinha. Se tudo isso acontece sem diálogo, o conflito provavelmente irá surgir.

O diálogo sobre o dinheiro ainda no começo da relação é um fator muito importante, porque o casal precisa entender que ambos vieram de realidades diferentes, o que ocorre na maioria das vezes. Mesmo se os dois vierem de uma classe social parecida, os valores são diferentes, assim como a maneira que cada um enxerga e usa o dinheiro.

A conversa precisa surgir para que um entenda as necessidades e valores que o outro possui. Tem pessoas que acham que não podem gastar excessivamente, e outros já pensam que não vai levar nada quando morrerem, as formas diferentes de olhar essas situações vão interferir na forma de lidar com o dinheiro.

Então, a resposta é sim! Uma crise financeira pode influenciar diretamente na sua relação com seu parceiro.

Dicas de como tentar manter seu relacionamento em momentos de crise financeira: 

A crise financeira entre um casal pode ser excelente para aumentar o afeto e o vínculo entre o casal, principalmente após a passagem da mesma. Alcançar esse objetivo, depende do casal jogar no mesmo time, estarem juntos independentemente da situação ruim em que se encontram. É preciso se conversar com o objetivo de seguir para a frente, de encontrar soluções eficazes, e não apenas ficar batendo o problema na mesma tecla de forma pessimista. 

Procure sempre manter a sinceridade em relação aos problemas

Saber como e em que velocidade lidar com a questão dependerá de como originou-se a crise. Podem ser duas as principais causas: a traição financeira ou a perda de emprego. Na primeira, o que ocorre é uma quebra de confiança.

É quando uma dos dois acaba emprestando dinheiro do casal a amigos e familiares sem consultar o outro, gasta economias do casal em algo para si sem se quer avisar ou mente sobre seus lucros, que pode ser causado por fatores externos, pois uma demissão dificilmente é planejada ou esperada, mas afeta o casal da mesma maneira.  

Tente manter o amor e o sexo

Independentemente do motivo no qual foi gerada a dificuldade financeira, alguns casais acabam permitindo que a crise também afete o afeto e a sexualidade. Já não existe mais paciência para carinhos e pequenas gentilezas; transar, nem pensar. O comum é associar essas mudanças de comportamentos às preocupações com as contas a serem pagas, mas o buraco normalmente está mais profundo.

Quando o relacionamento com o próximo já não é bem trabalhado desde muito antes da crise, o peso que ela irá ocasionar será muito mais avassalador. Poderá se manifestar a agressividade, cobranças desnecessárias, xingamentos e, consequentemente, a falta de amor e de desejo um pelo outro.

Ou seja, a falta do dinheiro ao qual o casal estava acostumado a sempre possuir, apenas provoca reações negativas sobre o relacionamento como um todo.

A partir daí, começa um jogo de pressões de um sob o outro. Para solucionar isso, é necessário fazer um esforço e parar de apontar o dedo um para o outro.

Quando o dinheiro é considerado mais importante do que o relacionamento em si para uma dos dois amantes, ou até mesmo para as dois, dificilmente esse relacionamento vai conseguir lidar com a mudança que a crise financeira estará trazendo para o dia-a-dia deles.

Tentar manter as coisas mais importantes acesas em situações como essas, como o amor e o desejo sexual um pelo outro, pode fazer com que a situação fique mais leve.

Além de ser bom para nosso corpo, tanto o afeto quando o sexo são maneiras positivas de ajudar no relaxamento mental e assim, quem sabe, pode fazer com que tudo flua de maneira mais fácil.

 

 

 

 

Clique Aqui para Deixar um Comentário Abaixo 0 comentários

Deixe uma Resposta: