Descubra se você já teve orgasmo

Descubra se você já teve orgasmo
Avalie esse artigo

Você ouve suas amigas falando sobre as sensações maravilhosas que elas experimentam durante o sexo. O prazer indescritível, a sensação de chegar ao pico do mundo e ver estrelas… Enquanto isso você se sente uma verdadeira alienígena porque nunca sentiu nada parecido. Então, você nunca teve um orgasmo? Acredite, isso é mais comum do que você imagina. Não precisa entrar em pânico! Isso pode ser consequência de vários fatores. Para ajudar a melhorar a sua vida sexual, hoje eu vou explicar um pouco sobre as causas desse problema e te dar uma ajudinha para que você possa alcançar o seu primeiro orgasmo.

O que é um orgasmo?

O orgasmo tem quatro fases: excitação, tensão muscular, grande prazer e relaxamento. A partir do momento que você começar a receber estimulação (de si mesma, do seu parceiro ou com a ajuda de um brinquedo sexual), você começa a ficar excitada e na maioria dos casos, lubrificada. Quando você está chegando perto do clímax seus músculos se contraem (você pode sentir na pélvis, estômago, virilha e nádegas) até chegar ao seu mais alto nível de prazer e relaxamento. No caso de orgasmos  múltiplos, o ciclo pode ser repetido uma ou mais vezes.

Eu nunca tive um orgasmo, o que eu tenho de errado?

Estudos dizem que  cerca de 10% das mulheres sexualmente ativas nunca experimentaram um orgasmo na vida e muito mais mulheres, apesar de terem começado a sua vida sexual na adolescência, não conseguem um orgasmo até o final dos seus vinte ou 30 anos. E ainda há mulheres na faixa dos 40 anos que nunca experimentaram um orgasmo.

Portanto, se você nunca teve um orgasmo, não se sinta uma estranha, não há nada errado com você.

Porque isso acontece

Esse problema pode ser causa de uma disfunção sexual chamada anorgasmia ou falta de orgasmo. A anorgasmia é mais comum do que se  poderia imaginar e atinge uma a cada três mulheres no mundo. Dependendo dos sintomas e as situações em que acontece, a anorgasmia se distingue de 4 maneiras:

  • Anorgasmia primária: quando a mulher nunca  experimentou a sensação de orgasmo, nem através de relações sexuais e nem mesmo através da masturbação.
  • Anorgasmia secundária: quando a mulher  já experimentou o orgasmo em um período anterior de sua vida e, por algum motivo, deixou de fazê-lo.
  • Anorgasmia total ou absoluta: quando a pessoa não tem orgasmo, independentemente do tipo ou da qualidade do estímulo.
  • Anorgasmia situacional: quando a anorgasmia ocorre em determinada situação ou com determinado parceiro.

Anorgasmia x frigidez

A anorgasmia, muitas vezes, é  confundida com diminuição da libido ou frigidez, e embora estas também sejam disfunções sexuais femininas, não têm a mesma manifestação. Na frigidez, por exemplo, não há desejo sexual, enquanto quem sofre de anorgasmia, desfruta do ato em si, mas não chega ao orgasmo.

Por que você nunca teve um orgasmo: causas

Mais de 90% dos casos de anorgasmia feminina tem a ver com problemas psicológicos e emocionais, enquanto apenas 5% são causas físicas. Felizmente, na maioria dos casos, as causas são psicológicas e podem ser resolvidas. Veja as causas mais comuns da anorgasmia feminina:

Má educação sexual

A sexualidade ainda é tabu em muitos lugares e o sexo é visto como algo vergonhoso. Conceitos negativos como associar o sexo ao pecado, a algo sujo ou à culpa pode resultar em anorgasmia, pois ao ter relações sexuais você pensa que está fazendo algo errado. Isso pode levar as mulheres a sofrer uma barreira psicológica que as impede de desfrutar plenamente do sexo.

Outra causa de uma má educação sexual é o fato da masturbação feminina ser vista como algo antinatural e, em consequência, as mulheres não conhecem seu próprio corpo.

Stress e preocupações

Não ser capaz de se desligar dos problemas ou questões da vida diária faz com que você não esteja 100% concentrada no ato sexual,  já que a cabeça não para de trabalhar e desvia dos estímulos do prazer.

Doenças

Algumas doenças como a depressão, diabetes, doenças neurológicas ou medicamentos utilizados para combatê-las podem diminuir ou fazer desaparecer o desejo sexual. Com menos desejo, menos possibilidade de atingir o orgasmo.

O mesmo vale para alguns contraceptivos, já que o hormônio, em algumas mulheres, pode fazer com que diminua a libido.

Alterações anatômicas

Sofrer anomalias no útero ou pélvis pode provocar anorgasmia. Também a mutilação do clitóris pode levar a incapacidade de atingir o orgasmo feminino.

Relações sexuais passadas traumáticas

Se em relações anteriores a mulher não conseguiu ter prazer ou sofreu algum tipo de dano, seja por falta de lubrificação, relações sexuais muito fortes ou não consensuais, ela é menos receptiva a relações e ao prazer.

O processo de envelhecimento

A medida em que envelhecemos, as mudanças em nosso corpo, hormônios, sistema neurológico e o sistema circulatório podem afetar nossa sexualidade. Uma diminuição gradual dos níveis de estrogênio durante a transição para a menopausa pode diminuir a sensação no clitóris, nos mamilos e na pele, o que dificulta o orgasmo. O fluxo de sangue para a vagina e para o clitóris também pode ser impedido, o que pode retardar ou parar completamente o orgasmo.

Álcool e drogas

As bebidas alcoólicas afetam o sistemas nervoso central e autônomo, que controlam a excitação sexual. O consumo de álcool causa disfunção erétil e pode provocar anorgasmia. O uso de cocaína pode ser prejudicial para a resposta sexual do nosso corpo aos estímulos sexuais.

Outras drogas, tais como heroína e o LSD podem gerar distúrbios sexuais.

Autoestima

Ter uma imagem positiva de si mesma e de seu corpo é essencial para que possam desfrutar plenamente da relação sexual com um parceiro e com ela mesma.

Atração pelo parceiro

A mulher precisa tanto se sentir desejada como desejar o outro. Se não existe química entre o casal, é difícil que a mulher alcance o orgasmo.

Problemas ginecológicos

O orgasmo pode ser afetado por cirurgias ginecológicas tais como a histerectomia ou cirurgia de câncer. Além disso, a falta frequente de orgasmo anda lado a lado com outros problemas sexuais, tais como a relação desconfortável ou dolorosa.

Dicas para alcançar o orgasmo

Embora seja sempre aconselhável consultar um especialista para responder a quaisquer perguntas sobre esta condição, há alguns passos simples que você pode implementar para começar a superá-la. É por isso que hoje eu trouxe algumas dicas para que você, que nunca teve um orgasmo, possa alcançar o clímax.

Autoestima

Parece clichê, mas é a mais pura verdade. Você precisa se amar para que possa desfrutar de uma vida sexual saudável. Olhe para você mesma, nua no espelho, e faça as pazes com seu corpo. Sem críticas!

Explore

Toque seus seios, seu clitóris e siga com o que mais te agrada: assim você vai saber como gosta que te toquem. Você poderá orientar seu parceiro a tocar nessas suas áreas erógenas e te ajudar a alcançar o prazer.

Preliminares

Se você tem um parceiro, não procure de imediato a penetração. Aproveite o tempo das carícias com ele, deixe que toque você e desfrute da excitação que isso traz. A penetração só deve chegar no momento em que você se sentir mais cômoda.

Fora negatividade

Não alimente sentimentos de impotência ou fique imaginando que as coisas não vão sair bem. A primeira coisa que você precisa é de uma mente aberta para depois trabalhar o seu objetivo, que nesse caso é o orgasmo.

Conhecimento

É essencial saber quem você é, na vida geral e na cama. Se você não se sentir confortável tendo um papel, não se sinta obrigada a representá-lo. Se te interessa disfarçar ou gostaria que seu parceiro fizesse, mãos a obra.

Explore seu parceiro

Se você faz parte de um casal, deve entender que este é um caminho compartilhado. Se ele está tentando agradar, retribua. Seja pró-ativa. Experimente coisas que não fizeram antes. Aprecie o seu parceiro no quarto, na sala, no sofá, ou onde for possível.

Leve o seu tempo

Não se acostume com rapidinhas. Ela é perfeita em algumas  situações, mas é melhor separar um tempo em sua agenda, para que não seja incomodada. Encontre tempo para desfrutar de si mesma ou compartilhar esse momento com seu parceiro.

Lembre-se: as mulheres levam muito mais tempo que os homens para chegar ao orgasmo; por isso, não se apresse.

Use lubrificantes

Usar esses produtos permitirá relaxar os músculos vaginais, o que ajudará a potencializar as carícias ou penetração. Use os lubrificantes como aliados contra a anorgasmia, além disso você estará experimentando algo novo.

Tente novas posturas

Algumas posturas facilitam a estimulação do clitóris, por isso vale a pena tentar novas posições. Além de te ajudar nessa busca do prazer, vai obrigar você e seu parceiro a saírem da rotina.

Faça exercícios

Há práticas que ajudam a fortalecer os órgãos sexuais e até mesmo partes do corpo, como coxas e quadris, para que você possa se sentir mais relaxada enquanto inicia a busca pelo orgasmo. Além disso, elas te ajudarão a se concentrar.

Não fique obcecada

É  normal que você deseje experimentar o orgasmo, mas sua mente pode jogar truques sujos e fazer com que você não preste atenção ao momento. Trabalhe para alcançá-lo, porém, desfrute do caminho.

Comunicação sempre

A comunicação com o seu parceiro sobre o seu desejo é muito importante e é o primeiro passo para resolver o problema. Ter um parceiro compreensivo e disposto a colaborar é de grande ajuda nessa tarefa. Muitas vezes, para que possa comunicar melhor e identificar e expressar os seus desejos, terapia psicológica também pode ajudar.

 

Clique Aqui para Deixar um Comentário Abaixo 0 comentários

Deixe uma Resposta: