É possível desistir de um amor?

É possível desistir de um amor?
Avalie esse artigo

Um fato é que você não precisa amar a quem não merece. Podemos abandonar o que sentimos por uma pessoa. A partir do momento que alguém nos prova que não é possível mais conviver em equilíbrio, podemos decidir deixar de amar. Mas, com toda essa frieza? Sim e não, pois a decisão pode ser tomada de maneira fria sim.

Se a pessoa te traiu, se a pessoa possui um comportamento muito ciumento, possessivo ou violento que lhe desgasta, se ela lhe tortura moralmente ou qualquer que seja o seu motivo, você pode friamente dar um basta em toda essa situação, com uma atitude mental decisiva. Mas é lógico que, a partir do momento que você decidir se afastar, será preciso tomar iniciativas firmes para não entrar em recaída, pois o amor não se desmancha da noite para o dia em virtude de uma decisão.

Ver Também: É possível acreditar no amor novamente?

De qualquer forma, o propósito de se relacionar com alguém é que os dois cresçam e se sintam felizes, de modo geral. Obviamente, não devemos ser imaturos de pensar que qualquer tipo de desentendimento é motivo para um rompimento, mas devemos ter a capacidade de reavaliar a todo instante o conjunto da obra.

Quando o amor que você vive não lhe faz bem, repense nas escolhas que você fez: sempre há tempo de recomeçar. Aliás, também é preciso repensar o tempo todo nas suas escolhas, já feitas anteriormente. Sinta-se vivo até o último dos seus dias. Ame-se, se o amor com quem você escolheu não der certo, ainda haverá muito amor para dar.

Ame de maneira inteligente, cada pessoa é um conjunto de virtudes e defeitos peculiares. Cabe a cada um dos dois se perguntar se os defeitos do outro são pequenos diante das virtudes que se apresentam, não de maneira matemática, pois não seria possível, mas segundo seus próprios princípios. Você tolera seus comportamentos negativos? E se for avaliado de maneira geral, você é feliz com essa pessoa? Se você é infeliz, por que continuar? Não misture paixão com amor.

Se você deseja demais ter uma pessoa para si, isso pode ser na verdade apenas paixão e essa, sem amor, morre com o tempo. Quando você pensa desesperadamente em como será a vida sem essa pessoa e o que você faria sem ela ao seu lado, se eu cérebro não consegue conceber o que seria de você, isso é paixão.

Nesse caso, é muito mais fácil uma separação. Mas, quando você ama, você não pensa, você sente. A possibilidade de separação causa uma dor no peito, uma tristeza, uma saudade e uma fraqueza.

No geral, as pessoas que amam também são apaixonada e é no caso de amor que será mais árdua a tarefa do esquecimento. Mesmo assim, se você decidir que quer por um fim a um relacionamento desgastante, esteja certo disso e faça-o como se não tivesse volta. A maioria das pessoas não aceita reatar depois de terem sido dispensadas, portanto, não corra esse risco. Trate o outro com gentileza e sem ofensas, isso não é necessário.

Quanto a você mesmo, não existirão fórmulas infalíveis para se esquecer alguém, mas existem algumas dicas. Tente apenas não se torturar e não queira se enganar. Com o tempo, isso tudo também passará. Para o seu próprio bem, apenas esteja certo que o que você está fazendo lhe fará mais feliz.

O que posso fazer antes de desistir?

Antes de desistir, esteja disposto ao máximo a amar. Antes de optar por abandonar um amor, tenha a certeza que prosseguiu com alguém tudo que podia andar. Amar é também ter coragem de insistir.

O amor verdadeiro não é aquele que parece ser mais o forte ou melhor, mas é justamente o que está com mais disposição a mudança e pronto para fazer as coisas acontecerem.

O amor de sucesso é aquele que fica mais resistente quando sofre um golpe e não aquele que parece nunca desmoronar ladeira a baixo. Muitas pessoas vão dizer que você não pode fazer a diferença onde o amor já faliu, mas a real é que quem diz isso, na verdade têm medo imenso de tentar. Não querem acreditar que duas pessoas, apesar das suas diferenças, podem conviver bem. O amor tem sim os seus enrosco, mas pode ser fácil quando quer.

Temos que aprender que o progresso só acontece quando estamos fora da zona de conforto. Depois de um tempo, mais maduros, nos arrependeremos não daquelas coisas que fizemos, mas das que passaram despercebidas ou as que poderíamos ter feito diferente.

Se você sente que tudo está ficando esquisto entre vocês, explore mais o amor simples. Sonhem juntos com aquilo que é importante. Descubra quais são os caminhos mais tranquilos de se fazer juntos e procurem andar nessa direção.

Desistir ou insistir? Abandonar ou novamente tentar?

Não é fácil lidar com um fracasso, mas é recomendável recomeçar sempre. Ser bem-sucedido em alguma coisa que não sente paz também não interessa. A maioria das nossas falhas acontece quando minimizamos o quanto já andamos na companhia de alguém e deixamos de valorizar os pequenos sucessos.

Se todos os casais aprendessem a olhar menos para o tamanho dos problemas e começássemos a olhar mais para o que podem fazer juntos para resolver ou minimizá-los, teríamos menos pessoas desistindo um do outro.

O mais importante é saber para onde se está indo

Se vocês não tiverem definido bem o que querem, provavelmente cairá em um plano qualquer. Muito do estresse que o casal é vítima, se dá exatamente por não pensar em como construir algo junto. Assim, procurar uma realização na companhia do outro é uma realidade que já não conseguimos viver.

A felicidade hoje está dependendo do dinheiro, do emprego, da estabilidade, dos objetivos pessoais. Quando percebemos que apesar de faltar algo, pertencemos um ao outro.

A arte de viver com alguém está em eliminar os problemas, mas sim em crescer com eles. Não podemos esperar da felicidade que ela seja um local para atingir, mas uma maneira de não ficar parado. O amor não é recompensado pelo que vai conseguir adiante, mas é realmente na dedicação de fazer acontecer. Desistir sem amar, é desistir de si.

Clique Aqui para Deixar um Comentário Abaixo 0 comentários

Deixe uma Resposta: