Emagrecimento Requer Mudança De Comportamento 

Emagrecimento Requer Mudança De Comportamento 
Avalie esse artigo

O que não faltam hoje são métodos que prometem milagres. Muitos deles realmente fazem a pessoa perder muito peso em pouco tempo. O maior desafio para quem quer emagrecer é encontrar uma forma de perder peso com saúde. No entanto, não se trata de um emagrecimento saudável. Além de a gordura voltar com facilidade, o corpo fica fraco.

O nosso corpo precisa da energia dos alimentos para se manter ativo. Essa energia vem das calorias. Então quando consumimos mais calorias do que precisamos, o corpo tende a acumulá-las em certas regiões do corpo.

Para emagrecer, precisamos queimar essas calorias acumuladas. E só há um jeito de fazer isso: gastando mais energia do que consumimos. A calma é parceira do emagrecimento saudável.

Quando se acelera o processo, o corpo se torna fraco e desmotivado. Se você pegar pesado nos exercícios, pode até sofrer uma lesão. Não é possível manter uma dieta assim por muito tempo. Por isso é extremamente importante fazer mudanças graduais.

Ver também: Horário Das Refeições Pode Influenciar O Emagrecimento

Como emagrecer

A s baixas temperaturas do inverno são grandes parceiras da boa forma. Segundo especialistas, para se manter aquecido, o corpo aumenta o gasto calórico em até 10%: esta condição, aliada a uma dieta balanceada e exercícios físicos, é um empurrão para quem quer chegar ao verão com o corpo em dia.

O corpo trabalha mais para se aquecer e gasta mais calorias para isso. Não é um milagre do emagrecimento, mas é importante tirar proveito disso”, orientou a nutricionista funcional Luciana Harfenist. “Agora é a época de malhar pesado, fazer exercícios aeróbicos e se alimentar bem. É época boa para começar a emagrecer e não chegar no verão desesperado por uns quilos a menos.

Ingerir alguns tipos de alimentos ajuda ainda mais no sucesso da dieta. Cafeína, gengibre, pimentas (que só não devem ser consumidos por hipertensos e pessoas com doenças do trato intestinal), além de fibras, também aumentam o gasto calórico.

Já as sopas e caldos, além de aquecerem o corpo e manterem a imunidade em dia, dão saciedade. “Já que as pessoas têm mais fome no inverno, as sopas podem ser usados como entrada, o que diminui a vontade de comer outras coisas. Outra vantagem, é que sopas são fonte de hidratação, esquecida nos dias frios.

Não é preciso esquecer o fondue e o chocolate quente, delícias típicas do frio. Mas pode-se fazer algumas substituições: a bebida, por exemplo, pode ser feita com leite desnatado, cacau em pó com canela e adoçantes. No fondue, pode-se substituir o óleo fervendo na panela por caldo temperado com legumes.

Metade da população está acima do peso no Brasil e, nos próximos anos, a tendência é que esse número continue a crescer. Diante deste cenário, especialistas apontam que é cada vez maior o número de pessoas que recorrem ao uso de medicamentos para perder peso, o que levanta a questão: afinal, quem precisa de remédio para emagrecer e como identificar se essa é a melhor alternativa para você?

De adeus aos quilinhos indesejáveis

De acordo com o médico endocrinologista Alfredo Halpern, criador da dieta dos pontos, um erro comum é “esperar milagre” dos remédios, mas ainda assim as pílulas são alternativas importantíssimas para derrubar o ponteiro da balança mesmo entre quem só tem alguns quilinhos para perder.

Especialistas apontam que é cada vez maior o número de pessoas que recorrem ao uso de medicamentos para perder peso, o que levanta a questão: afinal, quem precisa de remédio para emagrecer e como identificar se essa é a melhor alternativa para você?

Há muitas pessoas que fazem verdadeiras loucuras para emagrecer, mas ainda assim muitos pacientes precisam de remédio, e é um erro achar que só quem é obeso ou quem já tentou de tudo precisa tomar medicamento.

A questão não está no peso, às vezes uma pessoa que tem que perder 5 kg precisa tanto de remédio quanto alguém que tem que perder 50 kgs”, afirmou o médico, durante debate sobre o tema promovido pela revista Vogue nesta segunda-feira (5), em São Paulo.

Se por um lado há quem tome remédio sem precisar – ou use os medicamentos de forma errada, colocando a saúde em risco -, muitos ignoram a alternativa por “puro preconceito”, aposta o fundador da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade (Abeso). “O fato é que há mais de um tipo de obesidade, então é um erro imaginar que todo mundo terá bons resultados apenas com dienta e atividade física”, enfatiza o médico.

Os dois principais medicamentos para emagrecer

Com resultado científico comprovado – são o orlistat (princípio ativo do Xenical) e a sibutramina, cuja venda foi restrita recentemente pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Mas há remédios destinados a outros fins que também causam impactos na balança, embora também causem muita controvérsia: como o topiramato (indicado para tratamentos para enxaqueca e epilepsia) e a victoza (para diabetes) – alvo de intensa polêmica após ser capa de uma revista de circulação nacional.

Mas assim como não existem milagres para emagrecer, também não há uma “fórmula mágica” para identificar quando o remédio será o maior aliado do paciente que quer emagrecer – e em qual deles apostar.

Por isso, alertam os especialistas, a resposta sempre deve sair de dentro de um consultório médico, e não adianta espernear, pois as consequências para a saúde podem ser desastrosas.

“O problema é que muitos pacientes querem que os remédios façam o ‘trabalho árduo’, mas ainda que a pessoa tenha esse recurso, o medicamento é mais uma ferramenta, não a solução”, alerta o psiquiatra Arthur Guerra, fundador do Grupo de Estudos de Álcool e Drogas do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP.

Além de ser o único capaz de identificar qual remédio será um aliado de quem vive em guerra com a balança, o médico também é responsável por avaliar a ocorrência de efeitos colaterais, presentes em todos os comprimidos, e decidir quando é hora de parar.

A sibutramina, por exemplo, pode causar desde constipação intestinal até insônia, por exemplo, enquanto o topiramato pode causar sérios distúrbios de memória.

AlfaCaps realmente funciona?

AlfaCaps traz muitos resultados e é indicado para as pessoas que desejam emagrecer de forma segura. Não possui contraindicação. Para saber mais sobre a melhor pílula emagrecedora confira o site.

AlfaCaps traz muitos resultados e é indicado para as pessoas que desejam emagrecer de forma segura. Não possui contraindicação.

Para saber mais sobre a melhor pílula emagrecedora confira o site clicando aqui.

 

 

Clique Aqui para Deixar um Comentário Abaixo 0 comentários

Deixe uma Resposta: