Entenda a sua relação! Antes de discutir…

Entenda a sua relação! Antes de discutir…
Avalie esse artigo

Trouxemos alguns toques para não entrar em uma discussão por pequenos problemas. A vida é muito curta para brigar pelo que não vale a pena. Confira:

Ver também: Conheça os alicerces do casamento 

Analise a situação de várias formas:

Aprender a se colocar no lugar do outro é uma das coisas mais importantes dentro de uma relação e fazendo isso corretamente, você evitará brigas desnecessárias. Apenas olhe seu lado na história e olhe também o lado do outro, para que você possa tentar entender a problemática que foi gerada ali.

Pense se vale a pena iniciar uma briga:

Nem sempre vale a pena discutir por algo, principalmente quando se trata de coisas pequenas e irrelevantes. Saiba ter filtro perante as situações para que as brigas pequenas não leve seu namoro a um desgaste com o tempo.

Saiba como se comunicar:

Em momentos de raiva, apenas abrimos a boca e soltamos tudo que está nos incomodando… Pare e pense antes de falar algo, pois uma vez dita, não há mais volta e tudo pode ir por água abaixo.

Não tente resolver nada de cabeça quente:

Um dos maiores erros no relacionamentos é não saber esperar o momento certo para se ter aquela conversa séria. Não adianta tentar resolver as coisas com os ânimos aflorados, nada será definitivamente resolvido em momentos assim.

O melhor a se fazer é esfriar a cabeça e quando os dois estiverem mais calmos, iniciar a conversa sempre respeitando um ao outro para eu não aconteça nenhuma exaltação novamente.

Não grite:

Muitas pessoas quando ficam nervosas tendem a alterar a voz e normalmente essas pessoas se relacionam com pessoas que não tem esse costume, então aí temos um grande problema:

Mesmo que você grite, nada mudará! Seu parceiro apenas irá te ignorar o que fará com que você queira gritar ainda mais para que ele te dê atenção e ele não vai te dar a atenção que você quer. Quando o caso é de duas pessoas que se alteram muito fácil, pode resultar em agressão física e sabemos que isso não é nada legal em uma relação.

Não usar brigas antigas para justificativa:

Estamos de cara com a técnica mais usada nas brigas entre casais, as brigas antigas! Costumamos dizer, na verdade, que isso não passa de imaturidade.

Não existe um por que lógico para que você justifique sua briga atual com algo que aconteceu a 3 meses atrás, já aconteceu, deve ficar lá atrás. Essa “técnica” é infalível para desencadear grandes e até pequenos términos de relacionamentos. 

Não brigue por conta de diferenças:

Se tem algo que não vale a pena é entrar em uma discussão por simplesmente não aceitar opiniões que contradizem as suas. Cada um nasceu e foi criado de forma diferente e consequentemente com isso, possuem valores e ideais também diferentes e não há nada de errado nisso, não é?

Só porque seu parceiro não pensa da mesma forma que você em relação a alguns assuntos, não significa que você tenha que começar uma briga com ele. 

Não culpe e não aponte erros:

Muitas vezes, tentamos justificar as imperfeiçoes de nossos parceiros apontando seus erros e isso é algo muito triste de se fazer com alguém! Todos estamos nesse mundo para aprender e aprender com nossos erros é a maneira mais eficaz de se evoluir verdadeiramente.

Não vai adiantar muita coisa você apontar os erros de seu parceiro e culpa-lo pelas coisas estarem como estão. É necessário olhar para si mesmo e ver que todos temos nossos defeitos e só devemos aprender a lidar com eles. 

Evite reclamar automaticamente:

Temos também mania de achar que nada está bom, quando na verdade é apenas uma necessidade nossa de reclamar, reclamar e reclamar. Assim fica bem chato, né? Procure sair desse ciclo de reclamação, pois isso gera uma onda de estresse muito grande e também faz com que seu parceiro comece a te achar chata e insuportável.

Homens odeiam discutir

Imaturidade ou exclusivamente diferenças na constituição do cérebro? Independente de qual seja a resposta, o correto é que os homens geralmente detestam aquela conversa para cortar as arestas do relacionamento, popularmente chamada de ‘debater a relação’.

A fim de apreender um tanto melhor o que os homens pensam, a ciência tem procurado respostas nas origens biológicas. Por intermédio de pesquisas de comportamento, tenta-se entender por que os homens são pouco propensos a falarem sobre os aborrecimentos que incomodam o casal.

Alguns estudos de universidades internacionais mostram que são 2 os principais alvos desta embirração do homem a abordar a relação: primeiro visto que acham redução de tempo e em seguida visto que demoram mais a se recuperarem do stress causado pela alteração.

Resolver os problemas com uma noite de sexo

Estas conclusões são frutos de vários estudos científicos que, no decorrer do tempo, têm procurado captar a diferença entre homens e mulheres. Um deles foi realizado pela Faculdade de Missouri, nos Estados Unidos. Os cientistas aplicaram uma análise em crianças do sexo masculino entre 8 e 16 anos.

Depois de avaliação dos resultados, os cientistas concluíam que os meninos pensam que uma briga apenas torna os complicações maiores. Então, desde a mais tenra infância os homens preferem evitar o alvoroço e se afastar com outras atividades.

Isto explicaria a propensão ancestral masculina de buscar solucionar um aborrecimento de casal com uma noite de sexo, tendo como exemplo.   Já uma estudo da Faculdade do Alabama, similarmente nos Estados Unidos, apontou que os homens demoram bem mais a se recuperarem de uma situação de stress, ainda que comparado às mulheres.

E daí vem a origem da defensão masculina a entrar em atrito e argumentar com suas parceiras. A percepção do homem depois da discussão é de que eles constantemente saem perdendo, aponta o resultado do pesquisa.  

Desculpa para não enfrentar os problemas

Os homens são “resolvedores” e não gostam de argumentar antes de refletirem sobre um conteúdo. “Homens não verbalizam pormenores de seus pensamentos, eles apresentam conclusões. Ao continuar debatendo complicações com um homem sobre o qual ele até então não pensou, as mulheres são capazes de dispensar-se mais que achegar seus parceiros.

Apreender um tanto melhor como funcionam os homens não quer dizer ocultar os aborrecimentos. À luz da psicologia, terapeutas alertam que as descobertas científicas não precisam servir como absolvição para a falta de desejo de afrontar um problema existente do casal.

Clique Aqui para Deixar um Comentário Abaixo 0 comentários

Deixe uma Resposta: