Escovar ou Lavar os Cabelos com Frequência Pode Causar Queda de Cabelo?

Escovar ou Lavar os Cabelos com Frequência Pode Causar Queda de Cabelo?
Avalie esse artigo

Será que lavar os cabelos e escovar com muita frequência vai causar queda no cabelo? Não vai não! Um cabelo bonito precisa de cuidados básicos, por exemplo, lavar os cabelos com o xampu e condicionador certos e pentear. Lavar o cabelo com água fria vai ajudar os fios a ficarem protegidos, pois a água fria fecha as cutículas do cabelo, ajudando a reter os óleos naturais e a umidade.

Quando estamos tomando banho, pode até parecer que os fios estão caindo demais. Porém, o que acontece é que todo o cabelo que estava grudado um no outro, se desprendem da cabeça e acabam caindo. A dica é que você penteie o cabelo antes de tomar banho e espere que eles sequem naturalmente por um tempo até poder passar a escova de novo.

Ver também: Dicas Simples (E Eficientes) para Dar Volume aos Cabelos Finos

Tem os fatores da queda genética e de vez em quando, que podem acontecer por conta de uma alteração hormonal.

A caspa que é a inflamação no couro cabeludo e gera descamação pode proporcionar a queda também. Por isso, a queda não tem uma só causa, então é importante dar uma investigada para descobrir que fatores estão sendo responsáveis por esse problema.

É bem comum ser feito diversos penteados no cabelo, como o rabo de cavalo, mas o que acontece é que os fios ficam tencionados demais e o fio acaba quebrando e inflamando o folículo capilar, promovendo a queda dos mesmos. Ao passar muito tempo com o cabelo preso, podemos desenvolver uma alopecia por tração, ocorrendo falhas no cabelo por toda a força que fazemos para deixar os fios puxados.

Quem não quer abandonar os penteados de cabelo, tem que buscar não prender com tanta força o cabelo, ainda mais quando eles estiverem molhados e tentar soltar o cabelo com uma frequência maior.

Com temperaturas bem altas de água durante o banho, os nossos fios ficam ressecados. A água muito quente tira o sebo em excesso, o que é muito importante para proteger o couro cabeludo. Se você não quer danificar os fios, procure tomar banhos com a água morna, suficiente para sentir um friozinho quando for enxaguar o cabelo.

O banho quente também pode causar a caspa e a seborreia, podendo agravar esses problemas se eles já são existentes. Elas não vão causar a queda de cabelo, mas se o problema já estiver acontecendo, podem acabar agravando o processo.

Quando estamos com algum tipo de deficiência hormonal, o nosso cabelo pode cair.

Há problemas nas glândulas endócrinas como a tireoide, suprerrenal e hipófise, acabam desregulando o nosso organismo, atrapalhando os nutrientes de chegarem nos folículos capilares. Quando temos problemas no perfil hormonal, o corpo vai reagir deixando de fazer funções que ele acredita ser desnecessária e isso inclui o crescimento de cabelo.

Vemos alterações hormonais no período menstrual, pois a quantidade de hormônio se modifica. Mas não é só isso, passa-se por uma deficiência de ferro, mineral bem importante para a saúde dos fios. Assim é preciso buscar uma dieta rica em ferro, consumindo bastante carne vermelha, feijão e vegetais verde escuro.

Quando estamos estressados, o nosso corpo acaba usando mais energia que normalmente e isso vai afetar a produção de fios.

Os nutrientes que são reservados para os fios, acabam sendo consumidos para poder gerar energia. O organismo acaba perdendo uma serie de vitaminas e minerais. O estresse faz com que o nosso organismo produza também o cortisol, aquele hormônio que desacelera a divisão celular na raiz. O estresse pode causar de metade a três quartos do total de fios.

Quando nós mudamos a nossa alimentação para seguir um cardápio rígido, com falta de algumas vitaminas, por exemplo as do complexo B ou a C, faltam carboidratos, proteínas ou mirenais com o zinco e o ferro, podemos perceber a queda maior de cabelos. O nosso folículo precisa de bastante minerais, especialmente de ferro para poder fazer os fios nascerem. Quando entramos em dietas mais controladoras, faltam-se nutrientes, causando fragilidade nos fios, resultando na sua queda.

A alopecia areata é uma doença autoimune onde o sistema imunológico acaba destruindo os tecidos saudáveis do organismo.

Os remédios antibióticos, anabolizantes, anti-hipertensivos acabam fragilizando o cabelo. O antidepressivo é ainda mais agressivo. Ele atua direto no nosso sistema nervoso e na divisão celular. Seria ideal conversar com o médico para poder regular a dose ou tentar trocar por alguma substância que não vá interferir no bulbo capilar.

Quando está faltando ferro, apresentamos falta de ar, mal-estar, dor de cabeça, cansaço, fraqueza e a queda de cabelo. Isso acontece porque a anemia acaba diminuído a produção de fios e fragiliza os que já estão ali, porque acaba faltando oxigenação no bulbo capilar. O cabelo é em boa parte feito de proteína, por isso ele precisa de um bom funcionamento da hemoglobina.

Os homens têm mais chances de desenvolver a alopecia androgenética, tipo de calvície que está ligada a fatores hereditários. É o tipo de calvície que pode ser identificada quando há falhas nas laterais da testa e na parte superior da cabeça.

Depois dos cinquenta anos, o couro cabeludo fica menos espesso, sendo prejudicial para as glândulas sebáceas e sudiríparas. Os nutrientes chegam com muita dificuldade para produzir os fios, desse jeito, os fios acabam afinando e depois caindo.

O fumo pode levar a queda de cabelo, pois o nosso corpo tem pouca condição de obter nutrientes para os fios, já que o tabagismo diminui a irrigação do couro cabeludo.

Bem popular, a escova progressiva é um tratamento químico bem agressivo ao cabelo. O ideal mesmo é que se tenha um intervalo de três a quatro meses entre um procedimento e outro. O mesmo acontece com xampus que dizem alisar o cabelo. Tome cuidado!

Clique Aqui para Deixar um Comentário Abaixo 0 comentários

Deixe uma Resposta: