Evite os Erros que Deixam os Cabelos Arrepiados e com Frizz

Evite os Erros que Deixam os Cabelos Arrepiados e com Frizz
5 (100%) 1 vote

 

O frizz é um fenômeno temido pela maior parte da mulherada. Esse fenômeno que ataca tanto lisas quanto cacheadas tem explicação exclusivamente na ciência. A carga elétrica contida no fio do cabelo com frizz é a grande causadora do efeito. Os fios se repelem devido ao acúmulo de eletricidade que é causada por fricção (no cabelo ou por pente, por exemplo). Outros fatores externos também podem causar o atrito entre os fios.

Mas apesar de existir diversos produtos que prometem controlar e até mesmo eliminar o frizz, eles não substituem o cuidado com os cabelos. Não basta investir em vários cremes para acabar com o frizz se diariamente os fios são agredidos por atitudes erradas. Já falamos do atrito, agora confira outras ações que podem agredir cruelmente suas madeixas.

Ver também: Tudo o Que Você Sempre Quis Saber Sobre Botox Capilar

Lavar o cabelo com água quente

A água quente é extremamente prejudicial aos cabelos, pois reduz a oleosidade natural do couro cabeludo. Com isso os fios ficam ressecados e consequentemente arrepiados. O recomendável é lavar as madeixas com água fria. A baixa temperatura auxilia na selagem das cutículas garantindo mais uniformidade aos fios. Dessa forma, com as cutículas mais fechadas, o contato dos fios com a toalha, pente e dedos resultará em menos atrito. O que garantirá a diminuição do frizz.

Pentear os fios com o cabelo seco

A água tem propriedades que facilitam o processo de escovação, diminuindo o atrito dos fios com a escova ou pente. Ela acalma as cargas elétricas favorecendo o desembaraço e deixando os fios comportados. Com isso, eles deslizam mais facilmente sobre o pente sem ter um contato muito forte.

Entretanto, pentear os cabelos a seco é essencial para que o óleo produzido pelo couro cabeludo chegue até as pontas. Para evitar o atrito entre os fios, recomenda-se utilizar uma escova com material natural. Ela não irritará o couro cabeludo e nem irá deixar o cabelo elétrico. Porém, para as cacheadas é quase impossível passar o pente no cabelo seco. Elas podem perdeu seus cachos definidos. A fim de que isso não aconteça, o ideal é pentear durante a noite e finalizar os cachos na manhã seguinte.

Usar escovas com dentes de nylon ou pentes de plástico

As escovas com cerdas de nylon e pentes de plástico causam muito mais frizz devido a sua produção e transmissão de cargas elétricas. Já as escovas com cerdas naturais ou pentes de madeira, possuem características que impedem a passagem de eletricidade por elas. Com isso, a eletricidade estática não chega ao cabelo e os fios não ficam arrepiados.

Exagerar nos tratamentos químicos

Um processo químico já agride o cabelo, mais de um então… Nem se fale! Permanente, luzes, escova progressiva e tintura são apenas alguns dos tratamentos que acabam com o cabelo. Os fios ficam mais frágeis, sensíveis, quebradiços, ressecados,… E com frizz! Isso acontece porque o fio com química fica mais poroso e quanto mais poros, maior o contato com as superfícies externas.  O que resulta em mais frizz.

Para eliminar esse problema alguns tratamentos são fundamentais. A hidratação, por exemplo, devolve a água para os fios. A nutrição insere os nutrientes e vitaminas que foram perdidos no processo químico. Já a cauterização auxilia na selagem da cutícula deixando o fio menos poroso. Alguns produtos para finalizar com base de silicone também ajudam nessa questão. Mas a fixação não é tão boa e o produto logo se perde no processo de lavagem.

Usar o secador de forma errada

Para domar a fera nos dias que ela acorda mais atacada, nada melhor que um bom secador. Prático e rápido, o secador pode ser uma mão na roda para quem acorda atrasada, mas quer sair com os cabelos impecáveis. Ele deixa as madeixas bem comportadas, mas se usa-lo incorretamente o resultado não será tão bom assim.

Primeiramente é preciso retirar o excesso de água dos cabelos. Mas cuidado para não ressecar demais. Caso isso aconteça os fios terão certa deficiência de água (e é ela quem neutraliza as cargas) ficando mais arrepiados. Daí, o jato do aparelho deve estar posicionado na diagonal, a 30 centímetros de distância da raíz e de cima para baixo. Assim as escamas ficam fechadas eliminando o efeito arrepiado.

Para potencializar os resultados é ideal que se use produtos termoativados. Eles ajudam a diminuir a água no fio capilar, além de protegê-lo contra o calor. O uso de secadores com material ionizante também ajuda no controle do frizz. Por emitir íons negativos, as cargas ficam mais neutralizadas e os fios menos arrepiados.

Torcer o cabelo com toalha

Para secar o cabelo de maneira eficiente na toalha, o primeiro ponto é escolher o tipo adequado do tecido.  Aquele constituído com 100% de algodão garante um contato mais suave do cabelo com o pano do que outros. Nisso, menos frizz será formado. Para secar o couro cabeludo o ideal é esfregar a toalha na cabeça e nunca enrola-la. Também, se pressionar suavemente o cabelo na toalha já será suficiente para ela retirar boa quantidade de água.

Chapinha com muita frequência

No momento da aplicação já basta para a prancha alisadora danificar os fios fazendo-os desidratar. E com a falta de água nas madeixas a estrutura capilar se torna mais elétrica e, por consequência, cabelo mais arrepiado.

Para impedir esse dano uma boa dica é a utilização de produtos finalizadores que garantem a proteção para o cabelo. O calor da chapinha pode agravar o problema da desidratação. Além disso, a prancha alisadora pode atingir os 300 graus Celsius. Com isso o seu uso deve ser restrito às ocasiões especiais.

O tipo do aparelho também pode influenciar. As pranchas feitas com liberação de íons negativos podem neutralizar os fios que estão arrepiados. Mas ainda assim, qualquer tipo de prancha pode prejudicar os cabelos. Portanto, a atenção na hora de cuidar das madeixas é fundamental para deixa-las saudáveis e sem o temível frizz.

Clique Aqui para Deixar um Comentário Abaixo 0 comentários

Deixe uma Resposta: