Fui traída, como conviver com esse fato?

Fui traição" rel="nofollow" target="_self" >traída, como conviver com esse fato?
Avalie esse artigo

Depois de descobrir que foi traição" rel="nofollow" target="_self" >traída, uma pessoa é tomada de diversos sentimentos: raiva culpa, decepção, desamparo. Muitos pensamentos contraditórios e dúvidas veem a mente nesse período. Isso dificulta tomar uma decisão coerente. Dessa forma este artigo tem por objetivo ajudar a considerar alguns pontos fundamentais para que você fundamente a sua decisão.

ENTENDA QUE NÃO É CULPA SUA

A culpa é um dos primeiros sentimentos que afligem quem foi traição" rel="nofollow" target="_self" >traído. É claro que a pessoa que foi traição" rel="nofollow" target="_self" >traída entende que foi uma vítima, porém o sentimento de que não é bom o bastante para o parceiro também surge nesse momento.

A vítima de traição por vezes passa a acreditar que não é atraente o bastante ( ou que é feia), que não se dedicou o suficiente ao companheiro e coisas do tipo. O traidor costuma reforçar tais sentimentos, afinal lhe é conveniente se livrar da responsabilidade empurrando-a para o traição" rel="nofollow" target="_self" >traído (a). Esta estratégia cruel é muito usada e chega até ser natural para quem é desleal e infiel.

Entenda que por mais insuficiente você tenha sido, foi à índole ou as circunstancia que levaram seu (sua) companheiro (a) procurar outro alguém. Mesmo estando insatisfeito (a) com você, ele ou ela poderia ter simplesmente ter te informado disso, e se fosse o caso, poderia ainda ter terminando o relacionamento sem haver a necessidade de lhe enganar.

Ver Também: Como organizar um coração ferido após uma traição

COMPREENDA OS SEUS SENTIMENTOS

Quem sofre uma traição (seja ela de qualquer tipo) passa pelo processo de luto (negação, raiva, culpa tristeza…). Por cada fase que se passa é possível observar que os sentimentos e a forma de pensar sobre a traição muda. O importante é compreender como se está sentindo com esse fato, para que a decisão a ser tomada seja a mais coerente possível.

POR QUE EU FUI traição" rel="nofollow" target="_self" >TRAÍDO(A)?

Essa é a primeira pergunta feita pela vítima de traição. A verdade é que não existe uma resposta simples, pois cada pessoa possui os seus próprios motivos, entretanto existem algumas características comuns para os casos de infidelidade por questão didática separei as explicações por gênero, mas ainda assim as razões se misturam se quiser saber mais leia:

Fui traição" rel="nofollow" target="_self" >traída (o), o que eu posso fazer?

Os primeiros passos que dei tiveram a intenção de te ajudar a se equilibrar emocionalmente para que então você possa tomar alguma decisão. Vamos ver a hipóteses de reação que você possui:
Por mais que sua história seja única, e a sua angústia seja enorme a possibilidade de ação que se pode tomar nessa situação é bastante limitada:

1. Fazer de conta que nada aconteceu.
2. Cobrar a o parceiro (a), perdoar e seguir a diante.
3. Se vingar e continuar com a pessoa.
4. Se vingar e largar a pessoa depois.
5. Dar um gelo (fazer de conta que vai terminar) e voltar mais tarde.
6. Simplesmente abandonar a pessoa.

São basicamente essas as opções que existem, com algumas variáveis é claro. Devo lembrar a vocês que toda e qualquer escolha que você fizer na vida cobrará seu preço, ainda que você esteja certo. Nessa situação em específico, não há como evitar o sofrimento, só é possível escolher aquilo que irá doer menos.

1. Fazer de conta que nada aconteceu

O que é? Descobrir a traição e optar por não dizer a ninguém, nem mesmo para o parceiro, simplesmente continuar a vida como se nada tivesse acontecido.

Para muitos, essa escolha pode parecer fácil e até covarde, no entanto devemos considerar que vivemos em uma cultura vingativa e misógina. Se por um lado deixar para lá pode parecer uma atitude conformista em relação ao parceiro é uma atitude revolucionária em relação a uma sociedade que te obriga reagir de maneira reacionária em situações assim.

Qual a vantagem? Não perder tudo o que construiu com a outra pessoa, evitar conflitos que podem se estender por muito tempo, não criar alarde para todo mundo ficar sabendo.

Qual o preço? Poder passar o resto da vida com a ideia latente de que se é um otário e que foi feito de trouxa. O desejo súbito de vingança pode surgir ás vezes, por isso é comum que pessoas que tomaram essa decisão por vezes passam a tratar o seus parceiros de maneira fria ou grosseira. Corre-se ainda o risco de se passar por outras traições.

2. Cobrar a/o parceiro (a), perdoar e seguir a diante

O que é? Descobrir a traição tirar satisfações com o parceiro, com a intenção de colocar as coisas no lugar e continuar a relação. Essa é a decisão mais comum, isso por que as pessoas não estão interessadas em ter uma mudança tão grande e repentina em suas vidas, porém também não desejam ser passadas para trás.

Qual a vantagem? Tentar manter a relação saudável e sem mentiras, evitar futuras traições. Tentar não perder o (a) companheiro (a) e tudo o que construíram juntos.

Qual o preço? Depende da forma como o outro irá reagir, ele pode negar, colocar a culpa em você, preferir a separação. É possível que ele aceite todas as suas condições, nesse caso o problema pode ficar em você, as mesmas dúvidas e problemas citados na escolha anterior podem surgir.

3. Se vingar e continuar com a pessoa

O que é? Desejar continuar com (o) a parceiro (a), porém acreditar que ele ou ela deva ser punido pelo que fez. No caso a “punição” costuma ser mais branda, pois se ela for muito dura, o (a) companheiro (a) mesmo sendo infiel pode não suportar ou não aceitar voltar.

Qual a vantagem? Não guardar dentro de si mágoa ou a sensação de ter sido passado (a) para traz.

Qual o preço? Algumas das formas de punição podem ser contra a lei e consequentemente podem te levar a cadeia, coisas como difamação e agressão, pode te levar mandar para o xilindró, mesmo você sendo mulher.

Será que vale a pena tentar novamente?

Se a traição foi apenas um dos inúmeros problemas que marcaram um relacionamento que já estava cheio de desamor, falta de cumplicidade e outras formas de agressão talvez seja o caso de terminá-lo de vez.
Se você já decidiu terminar, porém sente que não consegue esquecer o (a) ex, ou que ainda está muito apegada a ele/ela a postagem Como superar o fim de um relacionamento pode te ajudar.

Clique Aqui para Deixar um Comentário Abaixo 0 comentários

Deixe uma Resposta: