GRITAR NA HORA DE DISCUTIR A RELAÇÃO NÃO ADIANTA SAIBA POR QUÊ

GRITAR NA HORA DE DISCUTIR A RELAÇÃO NÃO ADIANTA SAIBA POR QUÊ
Avalie esse artigo

 

Antes de qualquer coisa, vamos esclarecer algo: discutir não é sinônimo de briga ou barraco, mas sim de abrir um espaço na relação para aclarar posições, assuntos e/ou tomar decisões. O intuito de uma discussão é o ajuste e conciliação de ideias, mas sem brigas. Com isso não queremos dizer que os ânimos não podem se exaltar, assim como as vozes.

Em uma discussão na qual os ânimos se exaltam tende-se a recorrer aos gritos, algo que deve ser evitado. Eles ocorrem devido a tensão do momento, nesse ponto, o lado emocional supera o racional e não há como manter um posicionamento ou defender uma ideia.

Uma decisão tomada em uma guerra de quem grita mais alto, não só não é lógica como também não tem chance de ser seguida ou respeitada. Tente pensar nisso quando sentir que o seu lado emocional vier à tona, pare um pouco e depois volte a discussão mais calma e racional.

Ver também: Terapia de casal: quando optar por ela?

 

O que saber sobre os gritos? 

Utilizar os gritos para exercer autoridade ou até medo a fim de ganhar uma discussão em uma relação só causará danos nela, medo e imposição de um sobre o outro não são aspectos que alguém deseja.

Vamos dar um exemplo: quando um chefe descobre um grande erro, não sabe quem o causou, e grita com todos os funcionários sem parar para ouvi-los, tentar descobrir algo mais sobre o caso e/ou assumir que talvez ele fosse o responsável por não ter explicado bem o trabalho ao grupo. O grupo se sentiria coagido pelo medo de perder o emprego e ir de contra ao chefe. Não se trata de respeito, mas sim de autoridade.

Como reagir aos gritos?

Definitivamente, gritar de volta não é uma opção. Se a outra pessoa está alterada não irá dar ouvidos ao que você tem a dizer, muito menos se forem em forma de gritos. Qual a melhor opção? Esperar. Isso mesmo, esperar. Gritar cansa e a outra pessoa não irá conseguir continuar por muito tempo. Quando a outra pessoa estiver mais calma, é a hora de expor seus pontos de vista.

Tenha algo em mente: quando alguém começa a gritar é sinal de que os seus pontos de vista racionais acabaram, assim como os seus argumentos lógicos. Gritar acaba sendo o último recurso a ser empregado para tentar impor a sua própria razão. Pensando em como agir diante de uma discussão que levou a gritos, separamos 4 exercícios para você fazer nessa situação:

Seja o polo oposto: mantenha a calma           

Foque no problema que deve ser discutido, procurando entender e resolver o que aconteceu com calma, sempre com a ajuda do seu companheiro. Estar calma e manter a mente aberta a possibilidades contribuem para a discussão e são bem mais produtivos do que iniciar uma disputa de quem grita mais alto e constrange mais o outro. A sua relação deve ser mais importante do que ter razão em um determinado momento.

Cuidado com o tom de voz 

Se o que você almeja é a resolução de um problema sem o bônus dos gritos, procure manter o tom de voz sério que demonstre que você está comprometida com a discussão, utilizar um tom de voz mais amigável e mediador pode causar má interpretação e piorar a situação. Afinal, o objetivo é analisar e solucionar um problema, não criar outro. A discussão pode ser definida pela forma que você se expressa.

Saiba eleger o que vale a pena ser discutido 

Levar o seu companheiro para uma discussão sem fundamento por capricho é dar um passo atrás na sua relação, podendo, se for frequente, acarretar em seu desgaste e destruir a possibilidade de manter o seu relacionamento saudável. Discussões são importantes para uma relação, esclarecer pontos de vista, resolver situações juntos é produtivo, mas cuidado para não exagerar.

Atenção no que escuta 

Antes de iniciar uma discussão certifique-se que todas suas informações estão certas, não adianta começar a discutir sobre algo que não aconteceu de fato ou a situação foi gerada por rumores infundados. Estar disposto a ouvir o que o outro tem a dizer demonstra que você está tão interessada em resolver seus problemas como o seu parceiro. Comunicação é tudo.

Como vimos, uma discussão é logo vista como uma briga e associada a um relacionamento ruim. Não siga esse pensamento, assim como aquele comumente conhecido de que toda boa relação tem que ter discussão o tempo todo. Procure o equilíbrio. Discutir algo significa que em seu relacionamento há abertura, cumplicidade e respeito suficiente para permitir que o outro exponha o seu ponto de vista sem imposição, gritaria e/ou constrangimento.

Estudos americanos comprovam que casais que preferem ser felizes a terem razão em uma relação são mais felizes e tem mais perspectiva de um futuro sólido. Saber ceder, aceitar quando não tem razão em algo, além de uma grande qualidade, contribui para o fortalecimento dos laços que unem o casal.

“Quem grita perde a razão” e não há maior verdade que essa, pois toda a lógica de um argumento vai embora quando se começa a gritar. Quando se começa a gritar, tanto você como o outro pararam de ouvir. Toda e qualquer decisão tomada em momentos assim não serão levadas em consideração ou a sério por nenhum dos dois.

Antes de se propor a iniciar uma discussão, analise a situação emocional de ambos, seja clara, séria e saiba escutar o outro. Aqui as palavras-chave são respeito e atenção, sem elas nenhuma discussão chegará a algum lugar e só será uma grande perda de tempo e uma forma de fragilizar a relação.

Quando a tensão emocional atinge o ponto máximo e explode uma briga, coisas indesejadas podem ser ditas e situações irreversíveis podem ser caudadas. Então, gritar em uma discussão não leva a nada bom.

Dica

 Quando não conseguirem resolver suas discussões sozinhos, podem procurar um especialista que sirva como mediador, assim todos serão ouvidos, a discussão e seu relacionamento podem sofrer agradáveis mudanças.

Clique Aqui para Deixar um Comentário Abaixo 0 comentários

Deixe uma Resposta: