LENTES DE CONTATO: QUAIS OS TIPOS E COMO USÁ-LA:

LENTES DE CONTATO: QUAIS OS TIPOS E COMO USÁ-LA:
Avalie esse artigo

 

As doenças oftalmológicas podem cursar com diminuição da acuidade visual que, em determinados casos, podem ser irreversíveis. Porém é possível tratar e prevenir muitas dessas doenças quando o tratamento é iniciado precocemente e, portanto, visitas regulares ao oftalmologista são imprescindíveis para uma boa saúde ocular.

A história das lentes de contato e os melhoramentos que elas reservam são impressionantes, uma vez que grande parte da população apresenta problemas de visão. A correção da visão é uma necessidade crônica no mundo todo. Cada vez mais pessoas estão optando pelas lentes de contato para conseguirem focar sua visão e as razões para essa mudança vão desde opções de estilo de vida ativo até as estéticas.

Ver também: Fazendo uma perfeita maquiagem esfumada preta

O QUE FAZEM AS LENTES DE CONTATO?

A maioria dos problemas de visão são facilmente corrigidos por lentes de contato. As lentes de contato são pequenas lentes graduadas, usadas em ‘contato’ com o olho. São concebidas para corrigir erros refrativos e manter a saúde ocular. Flutuam na camada de película lacrimal na superfície da córnea.

As lentes de contato são super indicadas em casos de miopia, astigmatismo, hipermetropia e presbiopia. Por serem muito práticas e confortáveis, dão uma liberdade única a quem precisa enxergar melhor. Praticamente todas as marcas são produzidas com alta tecnologia, excelente oxigenação, hidratação e estabilidade. Existem as de uso diário, quinzenal, mensal e até anual!

As lentes de contato modernas são muito mais do que pequenas lentes de óculos que se adaptam aos olhos. Funcionam, contudo, de forma idêntica aos dos óculos regulares (refratando e focando a luz para que os objetos pareçam nitidamente) e uma vez que as lentes se ‘colam’ ao liquido lacrimal na superfície do olho, movem-se naturalmente com ele.

PRINCIPAIS PROBLEMAS DE VISÃO

A Miopia é um erro de refração bastante frequente, caracterizado por afetar a visão à distância. Ela ocorre pois a imagem visual é focalizada em uma região anterior à retina. A miopia pode ter origem em função de um maior comprimento do globo ocular, ou aumento na curvatura da córnea ou do cristalino.

O sintoma mais evidente na miopia é a dificuldade de enxergar objetos à distância, que parece ‘melhorar’ com um breve fechamento dos olhos. A miopia pode ser tratada com óculos, lentes ou cirurgia.

O Astigmatismo, geralmente é causado por uma diferença na curvatura nos meridianos da córnea ou do cristalino. Sua principal característica é a distorção de imagem causada, pois os raios de luz não chegam ao mesmo ponto na retina.

A Hipermetropia é um erro de refração caracterizado por afetar mais a visão de perto e, nos casos mais severos, a visão de longe também. Ela ocorre pois a imagem visual é focalizada posterior à retina. A hipermetropia pode ter origem em função de um comprimento menor do globo ocular, ou uma menor curvatura da córnea ou do cristalino. Seu tratamento pode ser realizado com óculos, lentes de contato ou cirurgia.

A Presbiopia ou ‘vista cansada’ é uma condição inevitável que costuma aparecer após os 40 anos de idade. Ela é caracterizada pela baixa visão de perto que ocorre em função da perda da acomodação do cristalino.

A presbiopia pode ser corrigida com óculos e lentes de contato. Ainda não existe uma cirurgia específica que corrija a presbiopia, porém, existem duas técnicas que podem ser utilizadas para compensar o problema: a monovisão, onde um olho é focalizado para longe e o outro para perto, e o implante de lente intra-ocular multifocal. Além disso, hoje dispomos de lentes de contato multifocais descartáveis, que podem trazer total independência dos óculos.

TIPOS DE LENTES DE CONTATO

O primeiro registro de lentes de contato, ainda como um projeto, foi concebido por Leonardo Da Vinci, porém foi por volta de 1930 que as lentes ganharam seus primeiros modelos comerciais.

As primeiras que apareceram eram rígidas, difíceis de serem usadas pelo desconforto que provocavam devido aos materiais utilizados em sua fabricação e à baixa permeabilidade de oxigênio, ou seja, capacidade que o material tem de “respirar”.

A descoberta de novos materiais para fabricá-las tornou-as mais confortáveis, mas seu uso requer cuidados e a orientação de um médico oftalmologista.

As lentes de contato vêm ganhando cada vez mais tecnologia em seus materiais, proporcionando muito mais conforto para todos os seus usuários e garantindo o crescimento do seu uso. Hoje, as lentes podem ser diferenciadas basicamente quanto à sua aplicação (patologia) ou material.

Atualmente, existem lentes de contato rígidas e gelatinosas. As rígidas são feitas de poliometilmetacrilato, mas existem também as fluorcarbonadas e as siliconadas. Estas, por serem menos rígidas, permitem maior permeabilidade ao oxigênio e são indicadas para corrigir defeitos visuais específicos.

Lentes Rígidas: As lentes rígidas ou RGP (Rígidas Gás-Permeáveis) são consideradas mais fáceis de serem manuseadas e limpas, possuindo maior durabilidade também. Como estas lentes permitem que o oxigênio entre direto com a córnea, a chance de quaisquer complicações com seu uso também são reduzidos.

Embora existam diversas pessoas que mal percebem o uso das lentes rígidas, sua adaptação costuma durar algumas semanas, pois são lentes sem tanta flexibilidade quanto as gelatinosas ou de silicone, o que pode provocar um desconforto (lacrimejamento e, às vezes, dor, como se houvesse um cisco enorme nos olhos) por algumas semanas.

Vale lembrar que esta adaptação deve ser acompanhada por um médico oftalmologista, que é quem vai poder dizer qual o tipo de lente ideal para a sua patologia.

Apesar dessas desvantagens, as lentes rígidas apresentam algumas vantagens em relação às lentes gelatinosas, especialmente no que diz respeito à correção do astigmatismo, sendo muito eficientes até mesmo nos astigmatismos irregulares, como ocorre nos casos de ceratocone, por exemplo. As lentes rígidas também podem ser utilizadas para corrigir irregularidades da superfície ocular, como em casos de cicatrizes ou depressões decorrentes de úlceras corneanas.

Lentes Gelatinosas: As lentes gelatinosas, como o nome nos sugere, são muito mais flexíveis se comparadas com as lentes rígidas. Essa flexibilidade permite que as lentes se adaptem mais facilmente a quem está começando a usar as lentes agora, pois apresentam melhor aderência à superfície ocular, fazendo com que seja mais difícil sair do olho, se comparada às lentes rígidas.

Nunca é demais lembrar, também, que quem nunca utilizou lentes de contato deve procurar um médico oftalmologista para auxiliar na adaptação e fazer as correções necessárias para encontrar a lente ideal. Além disso, as lentes podem ser:

Tóricas: São lentes destinadas a corrigir o astigmatismo, além do erro refracional esférico (miopia ou astigmatismo). Multifocais e Bifocais: são lentes capazes de oferecer foco para mais de uma distância, geralmente correspondendo às distâncias de longe e perto.

Mono visão: É um sistema que se baseia no uso de duas lentes de contato, onde uma será colocada em um olho com a correção óptica para longe (grau para longe) e a outra será colocada no outro olho com a correção óptica para perto (grau para perto).

A mono visão é bem aceita pela maioria dos pacientes com presbiopia e pode oferecer uma boa visão sem o uso de óculos, desde que não existam outras alterações visuais nos olhos.

Estéticas: são lentes com finalidades estéticas, utilizadas para realçar a beleza ou melhorar a beleza dos olhos. Estas lentes podem aliar a correção do erro refracional (miopia, astigmatismo, hipermetropia etc), como nos casos das lentes coloridas, ou podem ou não ter “grau”.

Clique Aqui para Deixar um Comentário Abaixo 0 comentários

Deixe uma Resposta: