Me arrependi de ter traído ele, devo contar ou não?

Me arrependi de ter traição" rel="nofollow" target="_self" >traído ele, devo contar ou não?
5 (100%) 1 vote

Você gostaria de ser traição" rel="nofollow" target="_self" >traída? A sua resposta provavelmente vai ser “não”. E seu parceiro, será que ele gostaria de ser traição" rel="nofollow" target="_self" >traído? Certamente não! Só que agora já foi.

Você cedeu aos encantos do ex, ou conheceu um cara maravilhoso em uma festa e acabou rolando algo mais. A traição aconteceu e agora? Contar ou não contar para o amado?

Claro que o mais justo e correto é abrir o jogo com o parceiro, contar o que aconteceu e explicar que foi um deslize. É melhor ele saber por você do que alguém cotar para ele, mas será que ele vai entender?

No geral, homens perdoam menos do que as mulheres, ou seja, sua honestidade pode arruinar seu relacionamento. Segundo a especialista Shoshana Bennett, em artigo publicado no site Your Tango, contar nem sempre é o melhor caminho.

Ela explica que a confiança, uma vez perdida, não volta a ser como antes e por isso, fazer com que o parceiro saiba do que você fez, é meio que um caminho sem retorno, ou seja, por mais que ele perdoe, vai sempre estar um pouco inseguro e achando que você pode estar cometendo o erro novamente.

Segundo ela, se o relacionamento com o seu parceiro está valendo a pena realmente, o melhor a se fazer é esquecer a traição e ficar quieta.

Ela ressalta ainda que a grande maioria das pessoas que optam por contar para o parceiro que o traíram, o fazem porque se sentem culpados e querem tirar esse sentimento de culpa de si mesma e não porque acha que o outro parceiro deve saber. É como se contar fosse uma defesa própria.

Ver também: Meu marido me traiu: o que será que aconteceu?

Contar ou não?

Traição é e sempre será horrível: porque dói, porque te faz sentir um lixo, porque te faz perder a confiança, porque te faz ficar neurótico e se sentindo pouco amado.  Por essas e por outras razões que, no final das contas, nunca vale a pena trair.

Porém, para quem já fez , se arrependeu de verdade, e pretende de coração nunca mais repetir o mesmo erro, fica a eterna dúvida: será que vale a pena contar para um parceiro que, com toda razão, depois de saber o que você fez não teria mais motivos para acreditar em você?

Teria valor uma promessa secreta feita de coração do traidor para ele mesmo e que diz que isso nunca mais se repetirá? Afinal de contas, o que mais vale: o sincero que nem sempre muda de fato e apenas conta o que fez ou o omisso que se pune e muda de fato?

É certo que o melhor seria o sincero que já é naturalmente mudado para o bem, mas os seres perfeitos nessa área definitivamente não são temas nesse texto e por isso não entram em comparação.

Ainda que a sinceridade seja tida como uma das atitudes mais nobres do mundo,  querendo ou não o amor e a vontade de ser feliz ainda estão acima dela. Esse texto não é uma apologia a traição, muito pelo contrário. Esse artigo é tão somente um chamado para a reflexão: até que ponto a verdade é melhor não só para você mesmo, mas para a pessoa que você ama? Você seria capaz de responder isso sem nenhuma falsa moral e hipocrisia social que pregam teorias que nem sempre são aplicáveis ao seu caso na prática?

O que fazer?

Antes de sair contando, faça uma análise do que aconteceu:

  • Esse novo relacionamento foi especial para você?
  • Você voltou a ter contado com o outro?
  • Foi uma escapadinha só?
  • Acha que vai voltar a trair?
  • O seu relacionamento atual está mesmo valendo a pena?
  • Você ama o seu parceiro?
  • Porque você traiu?
  • Acha que seu parceiro aceitará bem essa traição?
  • O que fez com que você não evitasse a traição?
  • E se ele fizesse isso com você, você gostaria de saber? Perdoaria?

Pense muito sobre essas perguntas e veja até que ponto essa puladinha de cerca foi importante para você. Se você procurou outra pessoa porque não sente mais nada pelo seu parceiro atual, ao invés de magoá-lo, você pode terminar e depois seguir para outra, por exemplo. Cada caso é muito diferente e a decisão de contar ou não cabe somente a você. O melhor mesmo é evitar a traição.

Porque as pessoas traem?

Isso varia muito, mas veja os motivos mais comuns que levam uma pessoa a trair, e veja se você se encaixa em algum deles:

1. Para sair da rotina:

Há quem traia só para variar e não porque não goste mais do parceiro. Como está com a mesma pessoa há muito tempo, precisa de algo novo e procura uma amante para isso. Pode ser tanto apenas um encontro quanto algo mais duradouro.

2. Carência:

Se o relacionamento está desgastado e não vai bem, muitos acabam vendo na traição uma saída.

3. Para chamar a atenção:

Há quem traia para fazer o outro sentir ciúmes e se interessar mais. Isso parece estranho mais existe. É quando a pessoa está se sentindo abandonada pelo outro e acha que traindo, conseguirá fazer com que o parceiro atual note que pode perdê- lo e o procure.

4. Vingança:

Isso é bem mais comum nas mulheres. Saber que o parceiro a traiu, tentar fazer de conta que está tudo bem sem na verdade estar, pode fazer com que ela procure outro cara, só para se sentir vingada. Nesse caso, muitas vezes o parceiro atual nem fica sabendo da traição. Só o fato de ela ter traição" rel="nofollow" target="_self" >traído, já faz com que se sinta vingada.

5. Impulso:

Algumas pessoas traem porque na hora não refletem todo o mal que isso pode causar. Conhecem alguém interessante e acabam traindo.

6. Auto-afirmação:

Sabe aquela necessidade de saber que pode ter a atenção de mais alguém além da do parceiro? Que ainda é desejada por outros homens? Muitas pessoas, em busca dessa resposta e de ter a certeza disso, acabam traindo.

Traição não é legal e o melhor a ser feito é evitar. Caso já tenha acontecido, pense muito antes de contar e, se decidir contar, vá com cuidado para não ferir ainda mais o parceiro.

Clique Aqui para Deixar um Comentário Abaixo 0 comentários

Deixe uma Resposta: