Não consigo desapegar do meu ex. O que fazer?

Não consigo desapegar do meu ex. O que fazer?
Avalie esse artigo

Muitas pessoas ainda são assombradas pelos amores do passado. Por diversos motivos, às vezes fica difícil finalmente colocar uma pedra em cima do que passou. Com isso, todas as tentativas de recomeço no amor ficam comprometidas.

Não que seja fácil mudar esse quadro. Como quase tudo na vida, não existe uma fórmula de sucesso. Mas ao mudarmos certas atitudes, essa obsessão por um amor do passado acaba sumindo.

Colocando um ponto final

Muito se fala em esquecer ou apagar um relacionamento que se teve no passado. Eu discordo. É impossível simplesmente passar uma borracha por cima de tudo que já vivemos, que dirá apagar alguém que fez parte de nossas vidas.

O que somos hoje é o produto de tudo aquilo que já vivenciamos, inclusive os momentos bons e ruins. Então esqueça todas as tentativas de usar um apagador. A ideia é superar o tal amor, e não fingir que ele não existiu.

Ver também: Fui largada pelo meu grande amor. O que fazer?

O problema em cultivar algo que não deu certo

Todos nós um dia perderemos (ou já perdemos) nossos pais. A morte vem pra todos, e muitos ainda não se conformam com essa ideia. Quando isso acontecer, passaremos pelo período de luto, e até aí tudo bem.

Acontece que muitas pessoas ficam incapazes de não só aceitarem o fato, como também de se desfazerem de todas as coisas que pertenciam aos pais. A ideia não é jogar tudo fora assim que o enterro for realizado, longe disso. Mas existem pessoas cujo luto será eterno.

Nisso, a casa em que os pais moravam, por exemplo, fica intocável, como num museu. E pelo resto da vida, a pessoa não será capaz de viver sua própria vida em detrimento da morte dos pais.

A comparação foi mórbida, mas funciona mais ou menos assim quando não conseguimos nos desapegar de algo. Isso nos impede de seguir em frente. E aí é que mora o problema.

Quando esse amor acabou, você também viveu num período de “luto”. Mas é preciso aprender e voltar a ter forças para sair dele, senão você afunda num poço cada vez mais fundo.

Procure entender que isso não lhe traz nenhuma vantagem a não ser a tristeza. A nossa capacidade de superação é proporcional a um esforço racional para entendermos que isso é passado e ponto.

A arte do desapego

  1. Pra dar certo, você primeiro precisa colocar de uma vez por todas que acabou.
  2. Não cultive falsas esperanças, não fique perseguindo a pessoa, não vigie 24h o perfil social dela, não fique ligando ou mandando mensagens. Ou mesmo que você nunca mais a tenha visto, “esqueça” que ela não existe por um tempo.
  3. Feito isso, pare diante do espelho e se analise. Leve o tempo que você quiser. Quando passamos muito tempo apegamos a algo ou alguém, isso se reflete no nosso corpo de alguma maneira. Parecemos mais cansados, desanimados, infelizes, deprimidos, nossa alimentação fica comprometida, nosso sono não é mais tranquilo. Tudo isso são sinais dizendo “é hora de seguir em frente e ser feliz”.

Sim, por que não? Ninguém é responsável pela nossa felicidade a não ser nós mesmos. Então trate de erguer a cabeça. Se for o caso, pare de se culpar pelo fim. Aceite que acabou.

Com mais de 7 bilhões de pessoas no mundo, você acha que não existe ninguém mais interessante e disposta a caminhar ao seu lado? Entenda que nem todo romance tem final feliz.

Praticar a arte do desapego é um modo de nos lembrarmos diariamente que no fim estamos todos sozinhos e por conta própria. E não é egoísmo pensar assim. Mas quando isso acontece, passamos a valorizar mais cada dia que passamos com os amigos, família e etc.

Não tenha medo de se abrir para novas oportunidades, especialmente as amorosas. Mais cedo ou mais tarde você vai olhar pra trás e enfim se lembrar com carinho – e não remorso, culpa ou tristeza –do que aconteceu entre você e aquele amor. E nada melhor do que se reinventar e começar de novo, não é?

Dicas para desapegar de um relacionamento que já acabou

A ESPERANÇA É A ÚLTIMA QUE MORRE. MAS MORRE!

A máxima “A esperança é a última que morre”, deve ter surgido de alguém que terminou uma relação.

Afinal, muitas das vezes, sofremos de amor perdido justamente porque não matamos a tal da esperança de que, de alguma forma a pessoa vá mudar, voltar atrás, se transformar, morfar, algo assim bem miraculoso, inclusive.

Portanto, o primeiro passo é entender e aceitar que acabou, que é melhor seguir em frente, QUE NÃO DÁ MAIS! E PONTO FINAL! (com exclamação, neste caso)

Sendo assim, é a hora que mais dói, pois vão haver coincidências, acontecimentos e até mesmo pessoas querendo ajudar, que vão nos encher de esperanças, nos fazer crer que agora algo mudou, que ele quer voltar, que a outra pessoa é só um rompante, mas logo volta, etc.

No entanto, para que você consiga se desapegar, é necessário aceitar que acabou e que não há mais volta. O segundo passo é nossa famosa “autossabotagem” em ação. Ela vai nos dar desculpas para que voltemos a sentir a esperança e, para vencermos ambas, temos que ser fortes e romper o ciclo vicioso:

“EU JÁ ESTAVA ACOSTUMADA A TER ALGUÉM”

Ok! É realmente verdade que nos habituamos com a vida a dois e quando saímos da relação tudo parece estranho, fora de ordem, etc. Mas acabou, então, esta é sua nova vida. A vida sem a pessoa. A vida agora é você cuidando de você mesma(o)!

Trocando em analogias, usar esta desculpa para não encarar a nova realidade, seria como ser convidada a morar na Europa com tudo pago, mas não aceitar porque está acostumada a morar no kitnet na zona periférica da cidade.

Então, respire fundo e encare a nova fase com a maior positividade possível. Repare que o terceiro passo também é pura “autossabotagem”. É mais uma desculpa, como no segundo passo, para resgatar a maldita esperança que ainda esperneia tentando respirar em nós:

“MINHAS AMIGAS TODAS NAMORAM E EU SOU A ÚNICA QUE FICOU SOLTEIRA AGORA”

Para esta desculpa, valeria um ditado de mãe que todo mundo conhece: “Se sua amiga se jogasse num precipício, você iria se jogar também?” (risos)

Mas, falando sério, o fato das amigas estarem namorando e você ficar solteira é um saco mesmo. Não ter com quem sair para paquerar é chato, é desanimador.

Porém, para esta sua fase de desapego, acredite, pode ser a melhor coisa que você tem! Sim, amigas que namoram/são casadas, vão se compadecer de seu momento e te ouvir, te acolher. Por outro lado, estando com elas, você evita de entrar na tão comum fase de “sem noçãozice”.

Aquela fase onde quem terminou namoro fica postando asneiras na rede social tentando provocar o outro, ao mesmo tempo que tenta chamar atenção de outras pessoas, ao mesmo tempo que tenta desabafar, etc e nas baladas bebe e pega tudo e todos sem critério “para provar que está bem”.

“TÍNHAMOS PLANOS E ATÉ UMA POUPANÇA JUNTOS”

Planos se renovam junto com as novas situações da vida. Isso vai servir para quando você estiver solteira, casada, tendo filhos, mudando de casa etc. Temos que ser resilientes: saber se adaptar a cada situação da vida.

No mais, os bens materiais dividem-se. Às vezes compensa até abrir mão de alguns em prol da sua paz.

 

Clique Aqui para Deixar um Comentário Abaixo 0 comentários

Deixe uma Resposta: