O amor não enxerga preconceitos e preciso entender

O amor não enxerga preconceitos e preciso entender
Avalie esse artigo

O Amor é um sentimento tão puro e rico, plural, único e define bem A condição humana que não poderia ter uma exclusiva e acabada versão. Ele haveria de ter, por certo, várias subcategorias e especificidades.

Claro que amor é amor em qualquer lugar e circunstância, como poderia dizer algum purista ou poeta romântico do século XIX. Mas em matéria de sentimentos nem todos os gatos são pardos, as diferenças existem e ninguém.

Afinal de contas, ama a esposa da mesma forma como ama, por exemplo, o próximo na fila do banco. Há diferentes níveis e sutilezas quando o assunto é amor. Por isso, vale a pena definir os diferentes tipos de amor.

Ver também: No casamento é momento perfeito para declarar seu amor

O sentimento mais lindo que existe, o amor! É até um pouco difícil de defini-lo, mas podemos iniciar com bom começa, naideia de que se fala do sentimento dominante, que cativa, que alegra, que faz sorrir,  a partir do qual vários sentimentos são irradiados com sua beleza.

Ele sempre a frente dos demais sentimentos parece ser bem simples e claro que o amor tem um certo protagonismo e rouba toda cena e ditando o rumo das relações. Sua abrangência nos monstra que há varias formas não só de se amar, como também varias definições do  que podemos dizer o que é o amor.

Preconceito

Como o próprio nome já diz o preconceito é um julgamento que alguns fazem na maioria das vezesantes de qualquer saber ou análise. Algo que não é bom ou não presta, porque é assim que é, ou porque julgamos que é.  Todavia, antes de julgamentos apressados, ou pior, de condenações apressadas, precisamos saber distinguircada caso.

Somente você e mais ninguém será responsável pelas suas atitudes, então é através de você mesma que vai buscar sua felicidade. Colocando isso em mente e acreditando, analise sua relação atual, ou a sua última relação, e pare pra pensar quando foi a primeira vez entre esses relacionamentos que você se sentiu desconfortável, frustrada, amargurada, infeliz, desvalorizada.

De acara você irá perceber que foi bem no começo, foi aí que você enxergou o que estava errado e quis mostrar que poderia mudar isso, que aquela pessoa que você tanto amava ou ama, tinha X motivos para agir dessa maneira, que seria só incentivar e investir para mudar essa situação que se criou. Não é simples? Quando sofremos por amor, criamos desculpas para prosseguir vivendo isso.

Nos casos de amor e relacionamento, a coisa pega fica ainda maisforte , já que “o coração possui razões que a própria razão desconhece”,  não é correto julgar se tal amor é “certo ou errado”.  Só é preciso saber se ele existe, se é real.

O que será certo ou errado neste mundo? Os pensamentos diferem de pessoa para pessoa, sendo muito difícil chegar-se a um consenso.  Assim sendo, quem poderá julgar-se o dono da verdade para considerar algo como certo ou errado? Vamos tentar definir quais os amores que provocam reações em pessoas preconceituosas.

A verdade é que o amor é cego

Ele não tem enxerga cor, sexo, condição social ou idade. Apenas existe, e provoca aquela sensação deliciosa quando os amantes estão juntos. E se o amor existe, há que deixa-lo sobreviver.  Não existe “amor diferente”.  Existe AMOR, simplesmente e deve ser vivido intensamente e da melhor maneira possível.

É comum que, nessas buscas idealizadas, se procure por alguém com características semelhantes às próprias. O(a) pretendente deve viver em um lugar semelhante, ter recebido um tipo parecido de educação, possuir um grau de escolaridade equivalente, gostar de atividades de lazer análogas…

É verdade que todos esses e muitos outros elementos podem ser pontos de afinidade. Isso não significa, no entanto, que a relação com pessoas com características diferentes das suas não vá dar certo. A verdade é que, em muitos casos, os opostos realmente se atraem. Com muito amor, desejo a todos “normais” ou “diferentes.

Amores impossíveis

Mas quando o amor é real, forte entre ambos, devem apenas estar preparados para encarar certas reações preconceituosas, apenas procurando dar a resposta através do amor que sentem um pelo outro. Vivam com, do e para o amor, e fim de papo.

Muitas vezes o que ocorre, é que a perseguição e as críticas pode leva-los a manter uma união sem aquele amor verdadeiro, apenas “para contrariar e mostrar que faço o que quero”. É quando pode não certo, para felicidade dos preconceituosos, que sempre sorriem vitoriosos, com a célebre frase: “Não te disse?”.

Será que consigo mudar?

Podemos lembrar e perceber que é possível mudar!  Somente você e mais ninguém será responsável pelas suas atitudes, então é através de você mesma que vai buscar sua felicidade.

Colocando isso em mente e acreditando, analise sua relação atual, ou a sua última relação, e pare pra pensarquando foi a primeira vez entre esses relacionamentos que você se sentiu desconfortável, frustrada, amargurada, infeliz, desvalorizada.

De acara você irá perceber que foi bem no começo, foi aí que você enxergou o que estava errado e quis mostrar que poderia mudar isso, que aquela pessoa que você tanto amava ou ama, tinha X motivos para agir dessa maneira, que seria só incentivar e investir para mudar essa situação que se criou. Não é simples? Quando sofremos por amor, criamos desculpas para prosseguir vivendo isso.

Sejapelo simples  medo de não encontrar alguém, ou por qualquer outro bloqueio, você está inventando uma desculpa para não ver e perceber a realidade, está se  mantendo na relação como adolescente, e somente atrai pessoas que também se relacionam desta maneira.

Antes mesmo de você identificar seus padrões, você irá identificar no outro o eco do seu padrão e pode pular fora ou não, a escolha vai ser sua. Sim, é necessário saber que nem todas as relações tem conserto, claro.

Uma visão diferente

Antigamente ver-se pessoas de raças diferentes juntas, sempre provocava olhares e comentários maldosos. Hoje é um pouco mais aceito, mas muitos pais, se falam que não tem preconceito racial, nunca aceitam que um filho ou filha tenha um relacionamento interracial.

Não tem nada a ver, se ambos se amam. O coração e o cérebro não tem olhos para enxergar essas coisas, e se existe a real afinidade, o mais que se tem a fazer é aceitar a situação, e deixa-los viver o amor em paz.

Em certas camadas, existe um preconceito muito forte contra um amor entre pessoas de condições sociais diferentes.  Volta-se a bater na mesma tecla.  Se eles se amam, saberão acertar entre si todas as diferenças porventura existentes, sem que ninguém precise as ficar apontando, criticando e condenando.Não vejo diferença.  Tanto uns como outros tem o mesmo direito à felicidade. Se eles se amam…

Clique Aqui para Deixar um Comentário Abaixo 0 comentários

Deixe uma Resposta: