O que é preciso para um relacionamento durar?

O que é preciso para um relacionamento durar?
Avalie esse artigo

 

É totalmente comum que as pessoas acreditem que o amor não dure. Isso pode ser verdade, se uma das pessoas desistir do amor, o que é completamente possível.

Muitas vezes um dos dois pode não priorizar o amor verdadeiro, descambando para a traição, partindo para o controle excessivo sobre o outro ou ainda colocando outras prioridades sobre o amor que sente.

Mas, se ambos se amam reciprocamente, não existem motivos para que o amor não dure. É preciso entender que o amor é espontâneo, mas também é preciso entender que ele tem meios de ser propiciado e de ser cultivado.

Pode até parecer piegas e senso-comum esta comparação: mas o amor nasce como uma planta. É preciso que o terreno esteja preparado para fazer o amor brotar.

E depois que esse amor surge, sem obrigação de existir, ele deve ser bem cuidado. Sim, o amor não tem obrigação alguma de existir. O que define o amor verdadeiro é exatamente sua expontaneidade.

Ver também: O que você deve fazer depois de terminar um relacionamento

Você não ama porque deveria amar, não ama porque o outro lhe ama, não ama porque seria bom amar uma pessoa assim ou assado. É obvio que existem situações que podem propiciar um interesse, uma atração, uma curiosidade de outra pessoa com relação a outra. Contudo, não há como negar que o amor em si é espontâneo.

E é exatamente toda essa espontaneidade gratuita que deve ser mantida para que você não maltrate seu amor. Toda vez que existe um controle de uma pessoa sobre a outra, toda vez que uma pessoa se convence de que deve amar a outra, toda vez que duas pessoas estejam juntas porque têm a obrigação de estar, aí o amor ressente e murcha.

É por esse motivo, que às vezes um relacionamento de longa duração faz com que o amor não pareça mais ser o mesmo. Mesmo que as duas pessoas se amem, elas podem esquecer que isso é absolutamente gratuito. Não deve haver motivo para amar.

Um casal deve querer estar junto, pois o amor é o que basta, mas não porque namoram há anos ou estejam casados. Por outro lado, essa característica espontânea no sentimento amoroso não deve ser considerada como a inércia na relação.

Fazer com que o amor cresça livremente inclui também cuidados especiais, para que ele realmente possa crescer. Para isso, é preciso parar para refletir o quanto você ama e o quanto é preciso demonstrar esse amor.

É preciso relembrar a espontaneidade com que você fazia carinho, com que você surpreendia, com que você corria para os braços do seu amor. É preciso alimentar em você a adolescente apaixonada que você já foi. Alimente essa juventude no jeito que você ama. Se você deixar o amor envelhecer, logo ele morrerá por senilidade.

O que o amor precisa para sobreviver?

  1. O amor não funciona como juros bancários

Bancos são legais. Você deposita o dinheiro neles e seu dinheiro fica lá até que você vá sacá-lo. Uma grande parte do tempo, seu dinheiro cresce mesmo – graças a uma coisinha chamada juros.

Mas o amor não funciona como uma taxa de juros… Ou como um banco. Uma vez que você deu amor a seu parceiro, você deve continuar a fazer depósitos regulares de amor, a fim de obter um retorno.

  1. O amor não é uma ferramenta

Há um segredo assustador que eu descobri como conselheiro matrimonial: a pessoa que se preocupa menos com o relacionamento, geralmente o controla.

Muitas vezes, um parceiro ameaça o seu cônjuge com o divórcio ou alguma outra consequência se o outro não se endireita. Em essência, esses parceiros estão usando o amor como uma ferramenta de manipulação para conseguir que seus cônjuges mudem.

“Se você não fizer (x), eu vou deixar de te amar.” Quando isso acontece, causa uma grande quantidade de danos. Se a relação fica ou se vai, há uma grande quantidade de dano que precisa ser reparado.

  1. Só porque você ama não lhe dá o direito de ser amado

Já vi inúmeros casais em meu escritório quando um dos parceiros está com raiva de seu cônjuge, dizendo: “Depois de tudo que eu fiz por você, você acha que pode me tratar assim.”

A verdade é que, só porque você ama alguém não significa que ele ou ela tenha que tratá-lo de qualquer maneira em particular. Claro, isso seria bom, mas quando você ama alguém, você ama por quem a pessoa é – não pela maneira como ela retribui sua atenção.

  1. O amor não é condicional

Muitas vezes, os parceiros gritam com seus cônjuges para não deixar seus pratos pela casa ou toalhas molhadas no chão… De novo. Enquanto essas coisas são certamente irritantes, o nosso amor ao parceiro não deve ser condicionado à sua capacidade de colocar um prato na pia ou pendurar uma toalha. Quando você ama alguém, você deve amá-lo independente disso.

  1. O amor vem em todas as formas e tamanhos

Você pode tentar expressar o seu amor enviando flores, mas seu cônjuge pode não sentir-se amado com esse gesto. Há uma série de maneiras de se sentir amado. Seu trabalho é descobrir como o seu cônjuge prefere sentir-se amado, e, em seguida, fazer isso.

  1. O amor não é, na verdade, tudo que você precisa

O amor é nobre, mas há muitos tipos de amor. Há o amor amizade, o amor romântico, o amor compromissado e muito mais. Você pode sentir que pesa mais o lado da amizade, e menos o lado romântico. Você precisa de um pouco de todos os tipos de amor, a fim de ter um relacionamento verdadeiramente saudável.

  1. Amar é mais importante do que ser amado

Todo mundo gosta de se sentir amado. Enquanto não é preciso muito talento para se sentir amado, é necessário ter muito caráter para deixar de lado a hesitação e mostrar ao seu parceiro que você se importa – mesmo quando você está se sentindo mal. Quando os parceiros podem olhar além de suas próprias feridas, a fim de apoiar os seus cônjuges, isso não só demonstra um grande caráter, mas faz maravilhas aos relacionamentos.

 

 

 

 

Clique Aqui para Deixar um Comentário Abaixo 0 comentários

Deixe uma Resposta: