O que fazer ao notar que a depressão está afetando o seu relacionamento (IMPERDÍVEL)

O que fazer ao notar que a depressão está afetando o seu relacionamento (IMPERDÍVEL)
Avalie esse artigo

A depressão é uma doença que faz com que a pessoa diagnosticada sinta um mal-estar enorme e a sensação de que está lutando sozinha. Entretanto, ao dividir as pequenas e grandes dificuldades do quotidiano com alguém, esse sofrimento pode ser amenizado.

Um estudo realizado pela Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, divulgado pela Galileu, revelou as conclusões obtidas através do relato de mais de 130 casais. Dentre os entrevistados, pelos menos um dos cônjuges enfrentou ou ainda está encarando a depressão.

Felizmente, a maior parte dos depoimentos era muito otimista. Eles revelaram que o amor ajuda a combater mais rapidamente os transtornos psicológicos. Além disso, foram enaltecidos os vínculos de confiança e segurança que garantem a compreensão entre as duas pessoas em momentos mais atribulados.

Uma das esposas relatou que, por ambos terem a doença, acabaram aprendendo a lidar melhor com a situação, principalmente durante as recaídas. Outra, afirmou que durante suas crises de depressão nervosa, sentia uma conexão com o esposo que nunca tivera experimentado anteriormente.

Se você tem interesse em saber mais a respeito de como lidar com os problemas enfrentados pelo parceiro ou por si mesma, quando o assunto é depressão, acompanhe as dicas a seguir.

 

Como reconhecer os sintomas no parceiro

 

Há quem confunda “ficar para baixo” com depressão. Mas trata-se de algo diferente, que vai além disso. No geral, os sinais de que a doença se instaurou são muito peculiares em cada indivíduo. Mas não são impossíveis de se reconhecer.

Fique de olho nos seguintes sintomas que podem denunciar se seu parceiro está enfrentando algum tipo de depressão:

  • Relatos de sensação de vazio ou desespero
  • Isolamento e mudanças repentinas de humor
  • Carência e pessimismo muito frequentes
  • Falta de interesse sexual constante
  • A perda de motivação e interesse por assuntos ou atividades que gostava antes
  • Muita fadiga e sensação de exaustão, mesmo pela manhã ao acordar
  • Alterações perceptíveis nos padrões do sono
  • Alterações perceptíveis nos padrões da alimentação
  • Sintomas físicos intensos, mas sem explicação lógica
  • Revelação de pensamentos de morte ou suicídio

Se seu parceiro apresentar esses ou outros comportamentos relacionados, não leve para o lado pessoal. Sua atitude pode ser crucial nesse momento. Tenha cautela ao conversar sobre o assunto e conte com ajuda especializada.

É fundamental que você demonstre seu interesse, expresse sua preocupação e coloque-se a disposição para ajudá-lo. Procure conversar e faça isso repetidas vezes, se encontrar dificuldades.

 

Como lidar com a própria depressão em um relacionamento

 

Caso você tenha percebido em si mesma os sintomas que remetem a um quadro de distúrbio psicológico depressivo, precisa ter consciência da importância de tomar uma atitude. Se não tiver confiança na própria capacidade de lidar com o problema, procure ajuda o quanto antes.

Além disso, procure desempenhar uma postura favorável para combater o problema, apesar da adversidade que está enfrentando. É importantíssimo:

  • Dialogar sobre os sentimentos que está enfrentando, sem tentar guardá-los somente para si, mesmo que seja com a intenção de poupar o seu companheiro
  • Mostrar ao seu parceiro que não se trata de desinteresse na relação e que você está disposta a se tratar por você e por ele também
  • Reconhecer os esforços dele, através de palavras e também de atitudes
  • Analisar a sua libido e atividades sexuais, pois até mesmo os antidepressivos podem agravar esse quadro
  • Evitar o isolamento e a solidão, eles não ajudam em nada na sua recuperação e no seu relacionamento
  • Acreditar no apoio que você está recebendo do parceiro e de outras pessoas, a confiança é a base para o suporte que eles lhe oferecerem
  • Tirar suas dúvidas sobre a doença, não tenha vergonha de questionar um especialista e leia livros a respeito
  • Contar com auxílio profissional de um terapeuta ou psiquiatra, as consultas e o possível amparo de medicamentos é primordial

 

Hábitos saudáveis para casais que enfrentam a depressão juntos

 

Quando pelo menos um dos dois cônjuges passa por uma fase depressiva, seja ela recorrente ou não, alguns hábitos simples podem ajudar a manter a saúde da pessoa e da relação.

Dentre as atividades que podem ser realizadas para melhorar o quadro, estão:

  • Cozinhar comidas mais saudáveis

A alimentação balanceada oferece nutrientes essenciais para a manutenção do nosso sistema nervoso, imunológico e de todo o organismo. Além disso, se procurarem preparar as refeições juntos e sentarem à mesa sem distrações para usufruir desse momento, esse pode ser um momento divertido para ambos.

 

  • Sair ao ar livre

Se aventurar numa trilha ou explorar parques e outras atrações ao ar livre na sua cidade e região é sempre bom. O contato com a natureza ajuda a renovar as energias e manter o bom humor, além de promover a valorização da vida. Não se feche somente em casa.

 

  • Praticar atividades físicas

Os exercícios físicos ajudam na produção de serotonina, um neurotransmissor que ajuda a equilibrar o humor e o bem-estar. Quanto praticadas em duplas, as atividades físicas são mais prazerosas. E engana-se quem pensa que elas se restringem à sessões exaustivas e monótonas na academia. Vale qualquer tipo de movimento: caminhada, corrida, dança, patinação, entre outros.

 

  • Socializar-se com outras pessoas

Ainda que a relação do casal seja um porto seguro e que a tendência seja de isolamento de ambos quando passam por uma dificuldade, é importante contar com a presença de mais pessoas. Sejam familiares ou amigos, promova encontros e atividades sociais que renovem as suas forças e a de seu parceiro.

 

A importância do apoio profissional

 

Todas as dicas prestadas até então são muito valiosas. Contudo, se você acredita que corre o risco de machucar a si mesma(o), recorra por ajuda profissional imediatamente. Decisões definitivas tomadas em momentos de emoção são muito perigosas, não somente para você mas também para outras pessoas.

Participar de um grupo de apoio pode ser uma peça-chave na sua recuperação ou na de seu parceiro. Sejam eles presenciais ou virtuais, podem colaborar muito com a situação.

Além disso, vale frisar a importância de seguir seu tratamento à risca. Jamais interrompa de forma abrupta a sua medicação.

Tem alguma dúvida? Deixe na área dos comentários! Esperamos ter ajudado.

Clique Aqui para Deixar um Comentário Abaixo 0 comentários

Deixe uma Resposta: