Perder a razão o principal erro dos apaixonados

Perder a razão o principal erro dos apaixonados
Avalie esse artigo

Não sei como é muito menos quando fui laçado pela paixão essa estranha sensação que envolve e preenche deixando-nos à deriva nesse mar de emoções.  Fico desperto em noites acordado refletindo desse medo que tortura.

Mas como impedir desse sentimento recusar apaixonado eu estar e você todo instante procurar apavorado fico quando longe está sem o meu coração aquecer e sem os meus lábios beijar coração apaixonado o que eu fiz para merecer sem você irei perecer…

Ver também: OS COMPORTAMENTOS MAIS ATRAENTES QUE EXISTEM E COMO CONSERVÁ-LOS

RAZÃO X PAIXÃO

Tudo na vida tem um motivo, tem uma razão de ser. Mas quando pessoas se encontram e um sentimento acontece é a paixão que deve prevalecer.

Porque a razão é o temor da alma .É a defesa de uma mente que não quer viver intensamente .É o medo da dor de amar, de sofrer, de ouvir um não.A razão nada mais é do que um meio de passar por essa vida sem emoção.Ela é exatamente o contrário da paixão

Paixão é viver em devaneio, é amar sem receio.Mergulhar de cabeça e não ter medo do erro. Paixão é fechar os olhos e enxergar a pessoa desejada do mesmo jeito.É acordar sorrindo, é sonhar acordado e estar com o coração repleto de alegria.

É pensar o tempo todo no ser amado.É acima de tudo viver na ilusão.Esquecer os defeitos do ser amado E ainda que ele seja imperfeito, desejá-lo assim mesmo.

E a paixão nos transforma, nos engrandece. Para o apaixonado não tem regras, amarras ou obstáculos que faça desistir do ser amado.E é imaginar o futuro, cada dia vivido, cada passo dado junto do ser amado.

Mas o mais importante de tudo é que viver com paixão nos torna inesquecível, pois fazemos poesias, lutamos, tornamos-nos verdadeiros heróis.E viver baseado na razão faz de nós faz ser apenas mais um no mundo, algo inanimado que pelo temor de amar e ser amado não vive a vida, e sim, passa por ela sem ser notado

O Elo entre as Almas

O Medo de perder faz a gente agir diferente…Esconder coisas, quem somos e o que fomos… não por vergonha do que foi feito, mas por não se conhecer o ainda “objeto de desejo”.

E fica-se tão preocupado em passar uma imagem boa, em encaixar-se e suprir o que falta, em ser de um jeito “objeto”, que se perde tempo em não conhecer o outrem….e ficamos perdidos sem saber QUEM somos e na dúvida de QUEM fomos.

E nessa o amor se desfaz…dia a dia e pouco a pouco conforme as máscaras vão caindo. Tudo vira um jogo onde os amantes participantes acumulam dados e informações se armando com fatos não contados, ou desvendados ou ainda nem descobertos, e na hora oportuna tudo é jogado ao vento!

Porque nessa batalha sangrenta todos atiram, e sem ter tempo de estruturar uma defesa, ninguém consegue parar as balas, e estas…cumprem sua função: Machucam! E os apaixonados agora feridos, sentem-se sós, desmascarados, perguntando-se – Quem sou? – e ainda …- Porque Sou?

– Chega-se a perder a identidade e perguntar – “Hei!? O que você quer que eu seja?”A questão é que ambos haviam ganhado, mas agora perderam!E digo ambos porque de inicio se tratava apenas de um jogo de conquistas onde as informações profundas e valores inoportunos não deveriam e nem tinham o porque de vir a tona! Mas ambos conquistaram!

E agora se trata mais de um joguete incerto onde o perdedor sairia de coração partido, porém…continuaria a viver.Agora um não vive sem o outro!Literalmente!E todos querem entender o porque! Ou…quando foi isso!…e aí vem o medo…aquele do início…medo de que o sentimento de um seja mais forte que o seu…ou ainda diferente.

Mas as máscaras caíram e o que se vê são derrotas…tristezas, vergonhas, cólera! A caixa de Pandora expressa em rostos, dois rostos que se escondiam atrás da máscara chamada ESPERANÇA!E os dois rostos se encaram fatigados e envergonhados de seus erros! Envergonhados de se esconder atrás de máscaras…Cansados……De jogar.

Eis o ELO!

Ambos percebem que mesmo sem máscaras há a segurança da entrega. A vida toda as pessoas passam procurando um lugar onde possam ser elas mesmas e neste momento este dois percebem que o porto seguro almejado pode estar no abraço do amado… e sem máscaras!

Não há mais o que resolver. Não há mais o que desvendar. Não porque temer o passado. Haverão respingos de longas rajadas de uma batalha.

Porque o fato é que queremos ser perfeitos para quem se deseja, mas esquecemos de perguntar se o “perfeito” supre o “necessário”. Podemos ser perfeitos e ainda sim ver o nosso amor se sentir carente ou incompreendido, e ainda sim nos perguntarmos: “Porque ele(a) está assim?”, “O que eu fiz?”, “O que está faltando?”.

E detalhe: Perguntamos só a nós mesmos e esquecemos de perguntar ao eleito “dono do nosso coração”. E enquanto este sofre do mesmo mau! Ou de algum outro como por exemplo achar que se faz compreender sem dizer nada!

Percebe-se então que há inúmeras diferenças!

No entanto, mais forte é o ELO !Ambos desmascarados! Prontos a conhecer logo de início um lado do outro e de si próprio que jamais se imaginava conhecer!Gritos! Vidros! Corações em inúmeros pedaços partidos!

Desaforos! Palavras que saem sem querermos!Possuídos por cólera, ira e a mais profunda das tristezas!Não há mais a razão! Não se conhece a medida do amor!Mas o Elo…Ah! O elo formado entre duas almas!

Que enxergaram por trás daquelas máscaras e que viram além de rostos com expressões de Pandoras… que enxergaram no outro a si mesmo! Como um reflexo perfeito em um espelho de cristal!

Desculpas não adiantam porque não há o que se perdoar!

Há a compreensão de um zero a zero e a certeza de que o jogo agora é outro. Não há mais QUEM vai ganhar e sim …COMO vai ser ganho…O ELO torna os dois amantes em um só jogador de um jogo que se chama VIDA!…e que recomeça quantas vezes for necessário.

 

Clique Aqui para Deixar um Comentário Abaixo 0 comentários

Deixe uma Resposta: