Perdoar ou não perdoar uma traição?

Perdoar ou não perdoar uma traição?
Avalie esse artigo

Perdoar uma  traição não é uma das coisas mais fáceis de fazer. É preciso gostar muito e acreditar que vale a pena investir na relação para que esse processo aconteça de verdade. Sim, é um processo e exige muita paciência da parte do traidor, assim como um enorme investimento de energia de ambos.

Em primeiro lugar, temos que saber o motivo da traição, o que fez com que o cônjuge procurasse ou simplesmente deixasse se envolver por outra pessoa mesmo estando compromissado com seu parceiro.

Muitos podem ser os motivos, mas nem por isso estou justificando o fato

Em geral o  relacionamento já vem se desgastando há algum tempo e ambos não se dão conta disso, estão acomodados na rotina e convivência diária. Não percebem que, no fundo, o sentimento pelo outro está desgastado, enfraquecido, e não o alimentam.

A vida sexual já não é como antes, a vida corrida e atribulada do dia-a-dia faz com que o casal quase não tenha tempo para si, distanciando-se cada vez mais; deixando de lado os momentos românticos e atitudes gostosas que um dia foram importantes na conquista de um pelo outro.

Ver também: Dicas para te ajudar a descobrir uma traição

A decisão de passar o resto da vida na companhia de uma pessoa precisa ser tomada com muito cuidado

Nos tempos atuais, muitas pessoas decidem casar com pouco tempo de relacionamento, pensando em se separar caso não de certo. Porém, esse ponto de vista banaliza o significado de montar uma família e, as consequências da separação nem sempre são previstas por quem carrega esse pensamento.

Principalmente se houver filhos no jogo, criar a criança sozinha não é bom nem para a mãe e nem para o pequeno

A presença do pai na educação dos filhos é essencial para que a criança cresça com uma estrutura psicológica adequada e uma boa formação pessoal. Além disso, romper um relacionamento duradouro pode ser muito doloroso para ambas as partes e, superar a perda do companheiro e encarar uma vida de solteira com crianças para criar é um grande desafio.

Diferente da época de namoro sem alianças, o compromisso do casamento torna as responsabilidades e as regras da relação muito mais pesadas e rigorosas. Uma traição é perdoada mais facilmente quando o casal ainda está no inicio da relação e não possui planos de casamento. Porém, depois de consolidar o compromisso, uma traição de uma noite pode ser suficiente para acabar com anos de história.

Por isso, é muito importante que todos os passos sejam dados com cuidado, principalmente nos momentos de crise

Fazer a escolha de casar com alguém é tão difícil quanto decidir se separar do companheiro. As consequências precisam ser analisadas, junto com os sentimentos e a possibilidade de perdoar e recuperar a confiança no parceiro.

Confira algumas dicas sobre como agir nessa situação e fazer a melhor escolha:

Sem radicalismos É comum que, após descobrir uma traição, o sentimento de decepção se misture com a raiva e o orgulho e, de cabeça quente, o companheiro é expulso de casa com todos os pertences.

Porém, tomar uma atitude radical sem antes pensar no assunto e sem ter certeza do que quer, pode causar muito arrependimento mais tarde

Se envolver com uma pessoa fora do casamento é um erro muito grave e não pode ser perdoado facilmente. Mas ser radical também não é a melhor escolha no momento da crise e pode acabar com qualquer chance de restaurar o casamento.

Por isso, o ideal é não tomar nenhuma decisão precipitada e, se não quiser perder o companheiro e achar que é possível que ele se arrependa do que fez, o melhor é lutar para recuperar a pessoa amada e não perder para uma mulher que apareceu de repente e não tem nenhum vínculo com o amante.

Saiba com quem se casou Em alguns casos, é muito mais fácil perdoar uma traição do que em outros. Principalmente se a relação for duradoura e a mulher conhecer bem a personalidade do companheiro, dar uma segunda chance depois do deslize é mais fácil.

Neste caso, a traição pode ter ocorrido por diversos motivos e, se o parceiro se sentir mal pelo o que fez e estiver arrependido, provavelmente não fará de novo.

Porém, há casos em que as traições ocorrem mais de uma vez, e a mulher sabe que se casou com um homem que tem esse ponto fraco e, por isso, não consegue ser fiel. Os homens mais mulherengos dificilmente escondem a personalidade e o interesse por diversas mulheres.

Por isso, tomar a decisão de casar com um homem pouco confiável pode ser um convite a traição e, nesses casos, fazer o companheiro se arrepender é muito mais complicado.

Quando é possível dar uma segunda chance

Na hora de cogitar a possibilidade de dar uma segunda chance, é preciso colocar todos os pontos positivos e negativos da relação na balança. Os sentimentos também são importantes e o quanto a vida a dois é feliz e satisfatória, excluído o fato da traição.

A vontade do companheiro de abandonar a outra mulher e investir novamente no casamento também precisa ser avaliada. Mesmo que tudo indique que o melhor é dar uma segunda chance, o mais difícil vai ser restaurar a confiança e, acreditar novamente no parceiro será um processo lento.

Muitas mulheres que perdoam se veem tomadas pela desconfiança com qualquer atraso e, logo iniciam brigas e discussões por não acreditar no companheiro.

Esses sentimentos também precisam ser controlados, pois a partir do momento que a segunda chance for concedida, é fundamental que os dois restaurem a rotina que tinham antes do evento.

Infernizar a vida do parceiro com brigas por desconfiança pode fazer com que acabe a boa vontade para restaurar o casamento. Supere a crise com ajuda Pedir ajuda para alguém de fora é uma boa escolha para resolver o problema de forma adequada. A ajuda pode vir tanto de um amigo, um profissional ou até mesmo de um padre, caso o casal seja religioso.

No momento da crise e da confusão de sentimentos, uma terceira pessoa pode trazer bons conselhos, através da visão de fora da situação e do conhecimento que tem sobre a personalidade do casal em questão.

Se o casal decidir superar a crise juntos e voltar a ser o que eram antes, uma terapia de casamento pode ser útil para que o processo ocorra sem deslizes. Sair de uma crise geralmente é muito complicado e exige que os dois tenham um bom preparo psicológico e passem a enxergar novamente a pessoa que fizeram juras de amor no momento que a relação foi consolidada.

Clique Aqui para Deixar um Comentário Abaixo 0 comentários

Deixe uma Resposta: