QUAL A MELHOR FORMA DE SAIR DE UM RELACIONAMENTO PROBLEMÁTICO

QUAL A MELHOR FORMA DE SAIR DE UM RELACIONAMENTO PROBLEMÁTICO
Avalie esse artigo

Há muitas pessoas que se encontram presas dentro de um relacionamento problemático e não sabem como sair ou se sentem ameaçadas de pedir ajuda ou simplesmente terminar. Infelizmente, essas situações são bem mais comuns do que pensamos e não há solução a não ser o término.

Muitas de nós acabam insistindo por crerem que vão conseguir mudar o parceiro e acabam se machucando ainda mais por prolongarem um sofrimento que já existe. Além disso, a situação de dependência que o relacionamento abusivo gera te leva a crer que você não vai mais conseguir viver sem ele.

Quando esses relacionamentos chegam a níveis de dependência extremos, as dificuldades para se libertar dessa relação doentia só aumentam. Apenas as pessoas que já passaram por momentos como esses na vida, sabem o quanto eles conseguem exercer uma influência em cima de você independentemente do quão você é madura (de um ponto de vista sentimental).

Ver também: É possível esquecer um amor? Oque devo fazer?

Devido à pressão que você está enfrentado pelo seu parceiro, você passa a acreditar que tudo o que você vivencia é uma realidade diferente e que não tem motivos para sair, como se fosse uma eterna fantasia. Porém, na verdade você passa a enfrentar muito mais problemas do que a receber benefícios dentro dessa relação.

Na maioria das vezes, acabamos perdoando o que nosso parceiro faz ou acabamos assumindo a culpa por uma atitude errada dele. Isso é o ápice de que nos encontramos em um relacionamento que está nos machucando e simplesmente não queremos enxergar isso ou encarar de uma forma mais racional.

Aqueles ditados de que o amor nos cega ou nos impede de visualizar o que está acontecendo conosco realmente se encaixa perfeitamente nessa situação. A dependência que temos pela pessoa chegou a um nível tão elevado que preferimos acreditar que o nosso sofrimento é na verdade culpa nossa.

Além disso, o suborno psicológico que a pessoa “amada” causa em nós nos faz crer que não há outro destino melhor a não ser ficar com ela. Essa pressão, na verdade, só te torna presa a algo que te machuca.

Existem algumas características que podem te ajudar a identificar um relacionamento abusivo. Entre elas, podemos destacar a infelicidade (ele acaba com a sua autoestima), os ciúmes exagerados, desconfiança, possessividade, hierarquia, culpa e, nas situações mais críticas, chega a violência (podendo ela ser verbal, física ou psicológica).

Abaixo, vamos explicar algumas dicas para você conseguir se libertar de um relacionamento que te faz mais mal do que bem.

1 – ACABE DE FORMA DEFINITIVA

A melhor forma de se ver livre de um relacionamento abusivo é através de um rompimento único e definitivo. Você deve estar preparada, pois o seu companheiro abusivo tentará de todas as armas que ele tem para fazer você mudar de ideia.

Ele poderá usar chantagem emocional, te ameaçar (através de vingança ou agressões físicas). Caso você já tenha sofrido agressão física você deve procurar ajuda. Deixe a vergonha de lado e garanta a sua segurança após o término.

Para que o término seja definitivo você deverá se manter firme e não ceder em nenhuma das vezes que o seu parceiro te chantagear. Todas as vezes que você ceder, abrirá oportunidades para que ele possa exercer um poder ainda maior sobre você.

Sendo assim, todas as vezes que você continuar voltando para a situação em que você se encontrava antes, acabará ficando ainda mais dependente do que já era e ainda mais presa. Por isso é de extrema importância que você termine de forma imediata e sem volta.

2 – A DISTÂNCIA AJUDA

Quanto mais longe você estiver melhor será para evitar possíveis recaídas. Quando você determinar que é melhor estar longe do que perto, provavelmente ele usará algum meio para fazer com que você vá encontra-lo.

Apesar de ser dolorido para todos os envolvidos no começo, vocês devem ter em mente de que isso foi o melhor para todos e que vocês conseguirão ficar melhor com o tempo. Além disso, a distância te ajudará a chegar ao objetivo de maneira mais rápida.

Dependendo do nível de abuso que a relação chegava, o melhor a ser feito é cortar o contato de todas as maneiras possíveis e evitar que ele possa te encontrar de alguma maneira. Para isso, recomenda-se que você bloqueie ele de todas as redes sociais e mantenha-se afastada dos círculos sociais que ele frequenta.

3 – RECAÍDAS ESTÃO FORA DE COGITAÇÃO

Novamente: evite reencontros. Eles podem te influenciar a incerteza em relação ao que você está fazendo e te fazer desperdiçar tudo o que você conseguiu atingir. Um dos comportamentos mais típicos que os ex que foram abandonados fazem é promessas de mudança de comportamento caso você o aceite de volta.

Não se iluda – essas promessas são falsas e só vão te deixar confusa. Por isso que manter distância é importante e te ajuda a não ficar confusa com essas situações.

4 – PODE PEDIR AJUDA

O apoio daqueles que confiamos é fundamental para que a gente possa continuar superando esse processo dolorido e confuso, ainda mais por esse tipo de término ser uma situação um pouco mais complicada.

Os seus amigos e familiares podem te ajudar a enxergar ângulos que você ainda não tinha percebido e que te ajudem a tomar a decisão correta.Mesmos que eles não tenham viveram o mesmo que você, eles perceberam o que estava acontecendo e te conhecem muitíssimo bem para te ajudar a buscar o melhor para você.

5 – PASSAR COM PSICÓLOGOS PODE FACILITAR

Ir a um psicólogo não é para apontar o culpado de situações específicas, ainda mais porque uma relação é feita por duas pessoas. Mesmo que você seja a vítima da relação, todo o tempo que você permaneceu dentro dela acabou alimentando o abuso que ele fazia e acaba ficando “doente” como ele.

Se você tem condições de procurar psicólogos, invista num tratamento que possa te ajudar a reconhecer o que levou a relação a esse ponto e o que você pode fazer para se libertar de uma vez por todas disso. Para você voltar a ser como era antes, é necessário que você tenha força de vontade de continuar com o tratamento e seguir em frente com o processo de libertação.

 

 

 

Clique Aqui para Deixar um Comentário Abaixo 0 comentários

Deixe uma Resposta: