Razões por que seu marido não quer conversar (IMPERDÍVEL)

Razões por que seu marido não quer conversar (IMPERDÍVEL)
Avalie esse artigo

A falta de comunicação

Esse é um dos principais problemas nos casais. Isso não é novidade. Mas, neste caso, nos referimos a uma situação que provavelmente será familiar: quando a mulher quer conversar, mas o homem quer fugir.

Isso é um problema sexual? Por que a mesma coisa sempre acontece? Quem nos deu esse papel para falar ou escapar? Claro que são diferentes, mas também têm muitas coisas em comum. É precisamente isso que devemos fortalecer vivendo como um casal.

O que observamos ao analisar vários casais é que eles optam mais pela comunicação verbal do que os homens. Quando eles identificam um problema como um casal, eles entendem que dificilmente pode ser resolvido se eles não falam. Os homens parecem mais inclinados a agir ou ter paciência esperando a nuvem sair.

O que é bom e o que está errado

Nem coisa nem outra. São duas maneiras diferentes de ser e devemos compreendê-las. Os homens acham mais difícil dizer o que sentem, compartilhar seus problemas e até mesmo relatar boas notícias. Eles preferem fugir.

Muitos pensam que falar será sinônimo de se colocar em risco. Em geral, é um campo em que os homens se sentem pouco qualificados e têm medo de escorregar.

De sua parte, as mulheres se sentem seguras em participar de uma conversa que fala de sentimentos. Eles sentem que é o ponto de partida para quase tudo. Eles usam palavras para se relacionar, mas também para exigir ou expressar suas emoções.

Fale para desabafar, fuja para pensar

Vamos dar um exemplo simples: um casal formado por Inés e Jorge. Ambos trabalham fora de casa e em seus respectivos escritórios as coisas não estão certas. Os dois devem atravessar o trânsito no centro da cidade, discutir com o chefe, pensar no dinheiro que cada vez mais alcança menos …

Quando eles voltam para casa, Jorge senta no sofá para escapar dos problemas e se distrair com um jogo de futebol. Mas Ines vai querer falar sobre o que aconteceu com ela. Opta-se pela gestão interna de seus problemas, o outro por uma gestão compartilhada dos mesmos.

Como diz John Gray em seu livro Men are from Mars, as mulheres de Vênus, a grande diferença entre os sexos é que, quando têm um problema, tornam-se introvertidas e se concentram em outras tarefas. Eles se escondem em suas cavernas e se isolam, é difícil para eles pedir conselhos ou delegar tarefas a outros.

Eles são emocionais e, para os homens, podem ser esmagadores. A maneira como aliviam seus medos é conversando, esvaziando-se por dentro, embora nem sempre com o objetivo de buscar ou ouvir soluções e opiniões.

Cada um então enfrentará o problema de uma maneira diferente. Talvez seja porque os homens devem manter sua honra e as mulheres têm a “permissão” para chorar ou mostrar seus sentimentos.

 Ela e ele devem entender um ao outro

Vamos começar com uma lição para as mulheres. É necessário entender por que o casal se esconde naquela caverna e se sente seguro nela. Esse lugar íntimo e inabalável, onde ninguém pode acessar, permite que você reflita e tome decisões assim que a tempestade passar.

Se você estiver no limiar e quiser atravessar esse território, mesmo pedindo permissão, será muito difícil ser bem-vindo. Melhor esperar até ele decidir ir embora. O bom é que, entretanto, ambos se acalmarão e poderão encontrar uma solução mais eficaz.

Agora um aprendizado para os homens. Quando o casal pergunta sobre o que acontece e tenta nos fazer ficar com ela, em vez de se refugiar, ela enfrenta a situação. Eles precisam se expressar com palavras, gestos e até mesmo chorando e rindo para mostrar o que acontece com eles. E eles precisam se sentir apoiados pelo homem e que ele os ouça.

Onde está o ponto do meio

casal sentado de costas, simbolizando os fatores que terminam com o amor de um casal Como obter o equilíbrio? Talvez você tenha que mudar sua atitude, e se ele se esconder na caverna da contemplação a caminho de casa no ônibus enquanto ela conversa com um amigo para baixar aquela riqueza de detalhes do que aconteceu? Assim, as tendências de um e do outro ficarão mais relaxados quando chegarem em casa.

Essa seria uma boa maneira de se aproximar de um ponto intermediário entre o que cada um faz em uma situação conflitiva. Nós não podemos forçar o outro a falar e não calar a boca. Mas se mostrarmos que nos esforçamos para evitar que a diferença entre ambos seja ampliada, talvez possamos encontrar um ponto de encontro.

CASAIS E FAMÍLIA

01-FALTA DE COMUNICAÇÃO NO CASAL

Recentemente, na consulta, no meu programa terapêutico onde trabalho com uma pessoa do Rio de Janeiro, um mês inteiro intensamente, meu cliente apresentou um problema comum. Não ser capaz de desenvolver uma comunicação adequada com seu parceiro há sete anos. Esperando um bebê, neste momento importante parecia que a comunicação entre eles havia mudado e se havia sido cortada.

Isso também acontece em casais que não foram longos. Todos nós temos um estilo de comunicação. Se ambos os estilos, o meu e o do meu parceiro colidirem, podemos e devemos melhorá-los. Uma comunicação saudável no casal é essencial para um relacionamento feliz. Você já conhece a teoria; Neste artigo, vamos nos concentrar na prática para melhorar sua comunicação como um casal.

RECOMENDAÇÕES E EXERCÍCIOS PARA A COMUNICAÇÃO NO CASAL

Vamos seguir em frente para praticar com estas orientações e exercícios

NÃO SE ANTECIPAR A POSSÍVEIS PROBLEMAS FUTUROS

Promove e previne conflitos futuros. A prevenção é sempre melhor que remediar. Quando o conflito é desencadeado, é muito mais difícil de resolver. Exercício: pergunte ao seu parceiro abertamente (pelo menos uma vez por semana), se a qualquer momento você tiver feito algo que o incomoda. Tente resolver conflitos sempre antes de dormir.

03- CONCENTRAR-SE APENAS NOS ERROS DO SEU MARIDO

Diga “obrigado”.

Avalie conscientemente as coisas que o seu parceiro faz por você e não se concentre apenas nesses “erros” que você comete.

Exercício: pegue papel e lápis e anote em uma folha as coisas que seu parceiro faz por você, incluindo os grandes atos e os pequenos detalhes, e responda honestamente:

  • Quando meu parceiro fez alguma dessas coisas, eu abertamente mostrei apreço / apreciação por isso? Como eu poderia expressar o quanto me senti feliz?

04- NÃO SABER LIDAR COM AS ADVERSIDADES

Aprenda com os conflitos vividos juntos. Conflitos já surgiram no passado e já os resolvemos. Temos que lembrar e perceber como fizemos isso.

Exercício: juntos, fazer uma avaliação da situação que tem sido um conflito e como foi resolvido. Lembre-se do que causou o desconforto, o que você pensou e como você se sentiu, e então reforce e recompense como você o resolveu, como seu pensamento foi transformado e o bem-estar que você resolveu.

05- O PROBLEMA PODE ESTAR EM VOCÊ

Suponha que você é parte do problema e parte da solução Em muitas ocasiões, tendemos a pensar que o nosso humor depende do nosso parceiro, isto é, que ele é “culpado” do nosso desconforto. Isso muitas vezes resulta em frases como “você me pressionou e eu não tinha escolha”, “Eu fiz isso porque você me disse e olhar para as consequências”, “Eu estava esperando por você para me dizer algo para nós para falar” …

Exercício: desenhe 3 colunas em uma folha. No primeiro escreva o que seu parceiro é culpado (exemplo: “ele não jogou o lixo e cheira toda a casa”). No segundo, faça uma análise da situação, mas em relação a si mesmo, e anote sua participação ou responsabilidade no que aconteceu. Na terceira, escreva as ações possíveis que você pode realizar ou soluções para que isso não aconteça novamente.

Clique Aqui para Deixar um Comentário Abaixo 0 comentários

Deixe uma Resposta: