Reconheça Os Primeiros Sinais Da Calvície Feminina

Reconheça Os Primeiros Sinais Da Calvície Feminina
5 (100%) 1 vote

Sabe aquela escova que dá efeito de babyliss ao cabelo? Chama-se escova modelada. Conhecido por dar um ar de top model a qualquer mulher, esse penteado é a nova febre, pois deixa o cabelo liso com leves cachos nas pontas.

A escova modelada cai bem a qualquer hora, mas é especialmente à noite que as celebridades preferem usar os fios soltos com as pontas onduladas. A finalização é a preferida do tapete vermelho às passarelas.

O penteado ganhou fama em 2017, quando a naturalidade entrou em evidência. Em 2014, como a mesma linha despenteada deve seguir, este cabelão sexy estará em alta, garante o hairstylist Fabiano Mazini do salão Walter’s Coiffeur, no Rio de Janeiro.

Ver também: Hidratação é a Garantia para Ter Cabelos Maleáveis e Bonitos

Super dicas

Química  Quem não abre mão do liso absoluto é adepta de algum processo químico. São muitos os tratamentos disponíveis, escova progressiva, de chocolate e marroquina. Com cabelo ondulado, a atriz Juliana Paes faz uso da Escova Soft Gloss, tratamento para alisar com ativos naturais. O resultado é um cabelo disciplinado sem ser um liso estático.

Escova correta  A escolha da escova para pentear o cabelo faz toda a diferença. Procure o modelo raquete (quadradona). Ela facilita o desembaraço dos fios e evita a quebra. Além disso, ela também ajuda a distribuir por igual a oleosidade natural dos fios. Os modelos de escovas com cerdas unidas e naturais também auxiliam a alisar e dar brilho.

Hidratação  Em todo processo químico ocorre perda de nutrientes e a estrutura capilar é modificada. A hidratação devolve esses nutrientes em falta, mantendo o equilíbrio. Os mais indicados são tratamentos com creatina e queratina, substâncias que protegem e fortalecem os fios alisados. Mas use moderadamente para não endurecer o fio.

Tinturas com moderação Se você faz progressiva ou alisamento e ainda quer colorir, saiba que é possível, mas com certo cuidado. Ao fazer mais de um processo químico é preciso ter atenção com a compatibilidade, para não ocorrer desgaste e quebra. Se você tinge o cabelo e faz uso frequente de secador, use o protetor térmico para evitar o desbotamento da cor.

Chapinha A chapinha é a uma das maneiras mais fáceis de obter os fios lisos. Mas evite passar no cabelo sujo ou com óleo reparador e creme de pentear. Essa combinação ‘frita’ o cabelo.  Use sempre em uma temperatura moderada. A atriz Débora Nascimento, como Tessália, da novela Avenida Brasil, recorria ao liso chapado.

Produtos sem enxágue Invista em produtos sem enxágue para disciplinar e dar brilho ao cabelo, como silicone, leave in, spray de brilho e sérum. Esses produtos deixam os fios maleáveis e controlam o frizz. No cabelo seco, aplique o produto como recomendado, alguns são em todo comprimento e outros só para as pontas.

Escove o cabelo antes de dormir  Escove o cabelo antes de dormir. O atrito da escova com o cabelo ajuda distribuir a oleosidade da raiz até as pontas. Uma dica para não amassar o cabelo e manter o brilho é usar fronha de seda ou cetim.

Perca de cabelo

Já imaginou se todos os pelos do seu corpo começassem a cair da noite para o dia? Foi o que aconteceu com a relações públicas Camila Correa, de 31 anos, que recebeu o diagnóstico de alopecia areata em 2010, quando notou falhas de cabelo na nuca. No ano seguinte, perdeu todos os pelos, incluindo sobrancelhas e cílios.

No começo foi um choque, mas hoje, ainda em tratamento, ela encara a situação de maneira “bem mais leve” e fala sobre o assunto no YouTube e no blog Detalhe de Mulher. “Consigo falar sobre a doença abertamente, ando de lenços numa boa e, na maioria das vezes, estou de full lace (peruca de aspecto mais natural).

Na academia, uso somente uma faixa para proteger do suor”, contou ela, que lançou uma loja online de perucas e acessórios para mulheres que passam por situações parecidas.

Assim como Camila antes do diagnóstico, muitas pessoas não fazem ideia do que é alopecia areata. E justamente para aumentar o conhecimento sobre a doença, sete mulheres posaram carecas para a fotógrafa islandesa Sigga Ella, no projeto intitulado Baldvin.

Muitos estereótipos existem sobre gênero e um deles é que as mulheres devem ter cabelos longos. É necessário abrir a discussão e trabalhar contra esses estereótipos de gênero”, defendeu a fotógrafa.

A alopecia areata não é contagiosa e sua causa é desconhecida, mas sabe-se que sofre interferência da genética e de fatores autoimunes. “O que ocorre é uma ativação anormal do sistema imunológico, levando a uma reação contra os folículos pilosos do próprio corpo.

Fatores emocionais como ansiedade , depressão e estresse não são causas, mas podem ser desencadeadores de uma crise de alopecia areata em algumas pessoas suscetíveis”, explicou o dermatologista José Rogério Regis Júnior, coordenador do Departamento de Cabelos e Unhas da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

De fato, Camila passou por um momento de abalo psicológico poucos meses antes de manifestar os sintomas: foi vítima de um sequestro-relâmpago ao sair do trabalho.

Foca nas dicas

Segundo o dermatologista, os casos mais graves e de pior resposta ao tratamento representam 5%. São chamados de alopecia areata total, na qual ocorre queda de todos os cabelos do couro cabeludo, e de alopecia areata universal, caracterizada pela perda total dos pelos de todo o corpo.

Os quadros localizados, com áreas arredondadas únicas ou múltiplas, são a maioria e têm uma melhor resposta ao tratamento, sendo que eventualmente pode ocorrer recuperação espontânea dos fios mesmo sem qualquer uso de medicamentos.

No ano passado, a colunista Alice Smellie, do jornal Daily Mail, revelou que, em outubro de 2011, descobriu um círculo de 5 cm de diâmetro sem cabelos, que depois passou para 10 cm de diâmetro.

Olhei para o local incapaz de dizer qualquer coisa. Em seguida, as lágrimas desceram. É difícil descrever porque perder um pequeno pedaço de cabelo era tão devastador. Não era uma ameaça à vida. Mas você não tem ideia de quanto valoriza o seu cabelo até que ele caia”, escreveu.

Segundo Alice, três meses antes, teve um susto relacionado à saúde, que pode ter sido o gatilho. Fora isso, tem histórico familiar de doenças autoimunes, como problemas de tireoide.  No fim de fevereiro de 2012, os fios voltaram a crescer com a ajuda de tratamentos.

Dois anos depois, ainda vou para o espelho todas as manhãs só para verificar os cabelos. No entanto, também sei agora que a parte realmente assustadora não era a perda de cabelo, mas a incerteza. E espero, se acontecer de novo, estar pronta para lidar com isso.”

Clique Aqui para Deixar um Comentário Abaixo 0 comentários

Deixe uma Resposta: