Relacionamentos Errados: 10 erros Comuns

Relacionamentos Errados: 10 erros Comuns
Avalie esse artigo

O amor sempre foi considerado um dos sentimentos básicos da vida cotidiana, porque ajuda a consolidar as relações com os outros e com nós mesmos. Às vezes, porém, você se depara com relacionamentos errados, porque a princípio eles podem parecer corretos, mas com o passar do tempo, mal-entendidos surgem, insatisfações que levam a brigas e mal-entendidos por parte de ambos os parceiros.

Em geral, há 10 sinais ou os erros mais comuns, que nos advertem que algo não está certo, por isso tomamos distâncias e decisões importantes, para ajudar aquele que amamos, mas mais nossa pessoa; para recuperar a confiança e a liberdade interior.

Quando você começar um relacionamento, geralmente durante o primeiro período de conhecimento, nós tendemos a idealizar ou para melhorar o casal, de forma desproporcional, esquecendo-se de que não é sempre encontrado na frente dos seres humanos e, portanto, não pode existir a perfeição.

No início, de fato, estamos vivendo o período tão despreocupado e tudo parece imensamente belo, mas as primeiras sombras que ocorrem em nosso relacionamento, você cair em uma das decepções foi porque ninguém sabe, com o que significa que você tem que enfrentar as primeiras armadilhas. Mas podemos encontrar soluções, isto é, que a perfeição não existe na vida, e pode-se melhorar a si mesmo e aos outros através do diálogo.

  • Desconfiança

Em muitos casais há um ingrediente oculto ou ciúme. Este sentimento pode ser inofensivo, mas às vezes a desconfiança pode surgir em direção ao parceiro, significa que você não tem mais confiança em si mesmo, você fica desconfiado e assume atitudes ofensivas, então automaticamente o casal desmorona. Pelo contrário, se o ciúme não atrapalha a vida de um casal, pela obsessão com o outro, isso é considerado saudável, porque ajuda a construir um relacionamento duradouro e duradouro baseado na confiança.

  • O controle

Um dos elementos mais prejudiciais em uma vida de casado é o egoísmo. No começo um egoísmo saudável é bom, porque nos ajuda a conhecer e entender melhor, quem temos ao nosso lado, tentando realizar cada pequeno desejo dele. Infelizmente, quando o egoísmo persiste, isso faz com que, dentro do relacionamento, a harmonia seja quebrada, deixando um dos dois amantes cansado, porque agora está cansado de ser passivo, apenas o que agrada ao outro, sentindo-se desapontado pessoa. Por isso, é aconselhável remover esse tipo de sentimento, contanto que você esteja na hora.

  • As mentiras

Muitos usam esse tipo de método, mentiras, para evitar desapontamentos e deixar o parceiro irritado. Nós tendemos a escondê-los mais frequentemente do que não, para evitar ser pego em flagrante, mas como é bem conhecido, “mentiras têm pernas curtas”, então uma vez descoberto, corremos o risco de perder tudo, para sempre, mais confiança.

  • A possessividade

Cada um de nós ama a nossa própria autonomia e, consequentemente, a liberdade, razão pela qual, quando a confiança é perdida para os outros, começamos a nos tornar possessivos e a tentar investigar tudo o que o nosso parceiro faz. De fato, eles começam obsessões obsessivas reais, como por exemplo, um tenta perseguir o amado, porque uma suspeita ele, sem o conhecimento dele. Isso faz com que o relacionamento afunde em um túnel sem saída.

  • A desconfiança

Quando a insegurança aparece, ligada à insatisfação, surge um sinal claro de que algo em nosso relacionamento não está indo na direção certa. O que isso depende? Depende da desconfiança que temos em nós mesmos, o que não nos permite viver melhor a história de amor ou qualquer outro tipo de relacionamento, porque a desconfiança se torna nosso critério para tudo o que fazemos e, portanto, inibe o casal e eles mesmos. Devemos tentar preveni-lo e tratá-lo.

  • As armadilhas

Ambos os parceiros pensam, na maioria das vezes, que existem problemas no casal, que, mesmo que não existam, envolvem a criação de um forte sentimento de ansiedade. Há um grande desejo de resolver as armadilhas, mas sem entender, que é melhor prevenir, qualquer forma de mal-entendido, talvez falando sobre isso, antes que todo mal-entendido conduza o relacionamento ao seu fim.

  • agressividade

A agressão é um dos muitos elementos que prejudicam o relacionamento. Pode haver dois tipos: o verbal e o físico. A violência se manifesta quando se é muito infeliz e insatisfeito, levando ambos os parceiros a serem agressivos, mesmo que por natureza não sejam. Esse tipo de mecanismo, em um relacionamento, desencadeia agressão em um dos dois, enquanto o outro, temeroso, sofre passivamente, sem poder reagir, mesmo sabendo das consequências. Neste ponto de não retorno, medidas devem ser tomadas para cortar definitivamente o relacionamento.

  • Injustiça

Quando não estamos mais satisfeitos com a nossa história, procuramos formas de fuga, que podem trazer benefícios para nós mesmos, bem como um pouco de paz e serenidade. Muitas vezes, essas formas de evasão, são a saída mais curta, para escapar da nossa história, por exemplo, buscamos a atenção de outra pessoa, desencadeando um jogo de sedução, que não pode mais ser parado, traindo nosso parceiro com outra pessoa.

  • O hábito

É comum no início de uma história, que parece idílica, não fazer nenhum tipo de projeto, permanecendo ancorada ao presente, sem pensar que, uma vez que o relacionamento evolua, devemos pensar no futuro.

Se esse tipo de atitude persistir ao longo do tempo, sem encontrar tempo para refletir, é sinal de que nenhum dos parceiros quer encontrar um terreno comum, assumir a responsabilidade por sua vida como casal. Isso significa que o relacionamento chegou ao fim, mas pela força da inércia e do hábito não é suficiente, coragem suficiente para cortar severamente o relacionamento, prejudicando-se assim …

Traição: enfrente-a

 

Muitas pessoas, para enfrentar a dor e o trauma imediatamente, associam a traição à sua culpa, convencidas de si mesmas como a causa. Tente não suportar as causas do que aconteceu com você, só assim você pode encarar a situação com uma mente mais clara. Tente ser determinado e cercar-se tanto quanto possível por seus entes queridos, seja eles melhores amigos ou familiares, falar e desabafar quando quiser, a sua presença e sua empresa será de ajuda real.

Inicialmente, deixar para trás uma dolorosa traição parecerá algo impossível, porque a raiva e a raiva são os primeiros estados emocionais que permeiam a mente. Tente não ser vítima da instintividade do momento, através de cenas ou brigas. Mas pare, por um momento, para ser racional e pense se houve (talvez há muito tempo) algo que não funcionou dentro do relacionamento, evitando assim amplificar ainda mais as tensões já em curso.

Finalmente, um último conselho, antes de jogar tudo no ar, tente refletir e avaliar se existem as condições necessárias para salvaguardar o relacionamento, através de muita comunicação e muito diálogo.

 

 

 

 

Clique Aqui para Deixar um Comentário Abaixo 0 comentários

Deixe uma Resposta: