Relacionamentos pela internet tem futuro?

Relacionamentos pela internet tem futuro?
Avalie esse artigo

Quem nunca stalkeou um paquera pela internet? Deu aquela espiadinha básica no perfil do cara que acha lindo? Ou buscou pelo affair que viu na rua, no ônibus, na balada, na escola ou no trabalho na internet?

Stalkeou até os primos e os familiares mais distantes do cara para saber mais sobre a vida dele. Seguiu os passos virtuais, olhou a ultima vez que ele entrou ou visualizou o facebook a cada 10 minutos. Parece insano, coisa de louco, mas na realidade é viciante, quando estamos apaixonados produzimos os seguintes hormônios: dopamina, estrógeno, oxitocina e testosterona.

Se você não para de pensar no cara, culpe-o, ele mesmo! Seu cérebro, o seu organismo.

Pelo menos por uns 6 meses, em tese, este é o tempo que a paixão dura. A etimologia da palavra paixão vem da palavra Pathos, que em grego significa doença, logo, estar apaixonado é estar doente! Eita, para tudo! Você quer dizer que stalkear o cara que eu acho uma graça é doença?

Veja também: 5 MOTIVOS PARA DEMONSTRAR O SEU AMOR

Sim e não.

Sim, porque é uma função natural do organismo, estar apaixonado é uma delícia, a gente se joga mesmo, idealiza quantos filhos vamos ter com o boy magia,  que cor vai ser o lençol  em que iremos fazer amor juntinhos, quantas velas acenderemos e todas as coisas que vamos jogar no cara na primeira decepção ou mancada quando ocorrer.

Mas e quando não temos nem o cara gatinho que a gente viu na rua, na padaria ou na fila do banco para idealizar nas noites frias e dar aquela xeretadinha no face no fim do dia? Ou até mesmo em términos de  algum um relacionamento longo, ficamos ao relento.

Os amigos antigos estão comprometidos, os paqueras  desaparecidos e a auto estima lá no chão?

Quantas mulheres ou homens já não passaram por isso?

O que se fazer quando se sai de um relacionamento longo?

Quando não se conhece ninguém disponível?

Não tem ninguém para sair contigo em um barzinho para dar uma piscadela…ou pior, a gente nem lembra mais como se paquera.

Se tiver um cara olhando, a gente logo imagina, é a minha cara que está suja ou a minha calça que está manchada? Será que eu devo algo para ele? Ou estou fazendo alguma coisa de errado? Pior ainda, quando a gente manja que é paquera, mas é tímida! Eu mesma, olho pro chão, pra cima, pra quina da mesa, menos para os olhos do cara.

Por essas e outras, boa parte das pessoas quando buscam um relacionamento, após várias tentativas frustradas em barzinhos, contados vazios e noitadas com um cara que não te liga no dia seguinte, nem no próximo e nem século seguinte, acabam se entregando ao mundo desconhecido da net.

Na net a gente nunca sabe se o cara é legal mesmo.

Sabemos que as fotos são legais, que os gostos são editados, que as vezes tem um estilo moldado, tipo bolo de padaria, sabe?  Por fora é lindo, por dentro é só pão de ló mesmo com goiabada. Não que seja ruim, mas há muito enfeite por aí, disfarçado de bolo de casamento, mas quando a gente come, não passa de bolo de fubá, sem erva doce ou goiabada.

Quem nunca caiu numa cilada assim desbravando os mares da net?

Ou quando nós mesmas não tentamos pintar um quadro do que somos, só para não dar o gostinho de outra pessoa falar, vixi, fulana está na bad, levou um pé na bunda, está solteira, ficou viúva e está procurando um cara para substituir fulano, o falecido, o cara que trocou ela por uma mina mais jovem, mais magra ou mais bem sucedida…

E a gente pinta mesmo! Pintar é bom, o barato da net é você poder mudar aquilo que a gente não vê o tempo todo, nós mesmas!

O quanto você se olha para o espelho? Pois é, jovens, os perfis nas redes sociais não passam de um espelho, mesmo que sejam aqueles espelhos bizarros de circos de horrores de alguma década que a gente não viveu.

Desbravar pela net é como achar um continente novo que se encaixa com o nosso conteúdo. E o mais gostoso é quando mudamos o líquido do conteúdo, às vezes  procuramos  vinho e no fim das contas acabamos experimentando refrigerante.  Isso não significa que não será gostoso, só será diferente do que a expectativa você estava criando.

E tem coisa melhor do que chegar em um continente inexplorado? Cheio de temperos novos, aromas, sabores e texturas das quais jamais havíamos experimentado!

A internet está recheada destas delicias para se aventurar, vou fazer uma listinha básica de lugares para vocês colocarem os barquinhos para velejar:

Em primeiro lugar:

  • Tinder! O aplicativo faz sucesso em vários países, o programa para Android e iOS começou a mudar a forma como as pessoas se relacionam e, através de um crush( é algo como soma de você com algum cara que tem coisas em comuns).

Da para ter vários parceiros, conhecer várias pessoas, inclusive tirar onda com outros amigos que estão no mesmo barco que você. Uma das coisas mais legais é falar que está saindo com uma galera que você conhece, no fim acaba virando um rolê gigante em que se conhecem várias pessoas que você nem imaginava que existia!

  • Facebook: Claro, a rede social que tem quase mais gente nela do no mundo real. Também é ótima para conhecer pessoas, tem aqueles grupos secretos maravilhosos, principalmente LGBTQ em que a gente baba por horas com as gracinhas que postam, coisas engraçadas e deliciosas para ler.

Lá gente é Candinha mesmo, mexe até no perfil do Mark Zuckerberg, quando ele colocar disponível e solteirão, um milhão de pessoas irão curtir ou zoar muito. Vale a pena procurar pessoas por lá e se divertir!

  • Happn: Esse faz com que você encontre aquele cara que rola uma paquera na fila da padaria, do banco ou na mercearia. O app faz buscas de pessoas com interesses em comum na região em que você está!

Esse aplicativo é uma mão na roda, impossível ficar solteira em qualquer lugar, se você morar em Saltinho-SP e estiver de viagem para Sergipe da para procurar pessoas legais instantaneamente e chamar para tomar aquele cafezinho gostoso com aroma de bicota que faz os mais conservadores chorarem. Happn é pra fazer acontecer mesmo!

No fim das contas, tem várias outras formas de se divertir na net. O importante é não ficar em casa, sair para se aventurar, tanto pela net ou nos bares e cinemas da vida.  Mexa e remexa, assim segue a vida. O amor é que nem água, ele molda de acordo com objeto que você escolhe para apara-lo. Só cuidado para não se afogar, usem boias e vão prevenidas! #Partiu amar!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Clique Aqui para Deixar um Comentário Abaixo 0 comentários

Deixe uma Resposta: