Saia da crise e reconquiste seu relacionamento

Saia da crise e reconquiste seu relacionamento
Avalie esse artigo

Geralmente chamamos de crise tudo que sai fora de um padrão ou de uma rotina. No caso dos relacionamentos as crises existem porque, basicamente, as pessoas mudam todos os dias.

Ninguém nunca é a mesma pessoa do dia anterior e nem sempre as mudanças são melhores para ambas as partes. Daí, começam as divergências.

O que precisamos entender é que além da atração natural que sentimos, também têm estes outros fatores (diferenças e afinidades) que pesamos, conscientemente ou não.

A melhor maneira de lidar com as fases ruins de uma relação é aprender a administrar as emoções e lidar com elas. “Devemos começar olhando o que precisa ser mudado e o que pode ser aproveitado em um momento de crise.

Todo relacionamento visa suprir determinadas expectativas. E a maior de todas é ser feliz e viver em harmonia com alguém, mas quando este relacionamento entra numa crise é preciso recapitular o que fomos buscar ali, nesta relação e quanto conseguimos satisfazer de nossas necessidades.

O que o casal não pode fazer é acumular as ‘mágoas e palavras engolidas’ no decorrer da relação e jogar tudo de uma vez na hora da crise. Isso só vai piorar a convivência.

Ver também: Reconquiste seu amor consertando os problemas do seu relacionamento

É preciso ter consciência de que as crises não podem ser evitadas, mas podem e devem – ser superadas. Iniciativa para mudar e buscar um diálogo permanente são a chave para superar eventuais crises e manter o relacionamento em alta.

E de repente você percebe que as coisas mudaram, que você não parece estar mais tão feliz assim, que muitas mudanças prejudicaram vocês e que ele(a) lhe parece distante. Sim, pode ser que você esteja vivendo uma crise no seu relacionamento. Mas não, não precisa se desesperar. Crises são normais e muitas vezes necessárias. Saiba o que fazer:

– O que há de errado?

Crises são normais, mas não se instalam da noite para o dia. O primeiro passo é tentar descobrir o que levou você a se sentir assim. Falam que as pessoas não mudam, mas pode ter certeza de que você acorda de um jeito e vai dormir de outro.

Diversos fatos, desde os mais simples, podem ser responsáveis por operar tais mudanças e sentimentos. – É um hábito dele(a) que está te irritando?

– São problemas na família? É a família dele(a)? Ou é você que está estressado/ansioso/nervoso com outras coisas e acaba descontando no outro?

Reflita por algumas horas e anote tudo o que lhe vem à mente. O objetivo é entender o porquê você sente que não está mais em sintonia com seu parceiro(a).

– Ele(a) também concorda que as coisas vão meio erradas?

Às vezes, apenas uma das partes da relação identifica uma crise. E isso faz com que essa parte não entenda seu mau-humor, suas explosões de nervoso e sua falta de educação.

Se isso acontece com você, essa é a hora de sentar e compartilhar tudo aquilo que você está sentindo. Não se sinta irritado ou ofendido porque o outro não entendeu o que estava acontecendo e não sabia dos seus sentimentos.

Ninguém possui bola de cristal, e certas coisas devem ser deixadas explícitas.

Por outro lado, se seu parceiro também sentiu que os trens estão um pouco descarrilados, a ideia de sentar e conversar continua em pé. Peça para que ele(a) também se abra e dizer tudo o que está sentindo.

– Por que nos sentimos assim?

O ser humano é naturalmente egoísta. E quando nos relacionamos com alguém, é normal que esse instinto venha à tona e seja comumente traduzido em forma de ciúmes exagerado ou em colocar proibições sobre o parceiro.

E aí vem a ideia de casais que mais vivem numa relação de prisão do que de companheirismo. Sempre terá um acorrentado e o outro achando-se no direito de mandar.

“Você não vai sair com seus amigos, você não vai sair com essa roupa, você não pode falar com fulano,etc etc etc”. É difícil entender, mas relacionar-se é difícil e exige esforços de ambas as partes.

Entenda que você não tem direito de moldar o outro conforme suas vontades. Uma coisa é pedir que ele seja menos ciumento, outra é mudar a essência da pessoa. Fatores externos também podem atrapalhar:

– Trabalho

– Estudos

– Dependência familiar e financeira

– Expectativas

– Mudança de planos para o fim-de-semana…

Ou seja, não temos controle sobre quase nada. É preciso permitir-se ser livre e permitir que o outro também o seja. Namorar não é controlar, é compartilhar sua vida com alguém.

– Como resolver?

Depois que vocês sentaram e identificaram juntos aquilo que está pegando no calo de ambos, é hora de fazer alguma coisa. E pode ser que com uma simples conversa vocês resolvam o que incomoda, ou pode ser que essa conversa leve a altas brigas e faça com que vocês desenterrem assuntos que já pareciam resolvidos.

Cuidado com o modo que você diz tudo isso, pois palavras podem magoar mais do que ações. Entenda que esse é o momento de dizer o que está lhe incomodando. Conte suas frustrações, suas expectativas, fale tudo. Às vezes descobrimos que estamos incomodados consigo mesmos! O diálogo ainda é a melhor forma de superar as temidas crises.

– E se não resolver?

Se depois de toda a conversa, todo pedido de mudanças e de compreensão as coisas não mudarem, não se frustre. Não é querendo ser seguidora de um ideal romântico de que o amor supera tudo. De certa forma sim, ele supera.

Mas para uma relação seguir em frente, é preciso mais do que amor. A vantagem é que quem se ama tem mais chances de fazer dar certo. Só cuidado pra não confundir “amar alguém” com “eu mando nesse alguém”.

Dicas para enfrentar as crises

1. Deixe claro o que quer

É importante que você deixe seu parceiro a par de suas vontades e desejos. Algumas mulheres costumam acreditar que os homens adivinham o que elas querem e gostam, mas isso não é bem assim.

Por isso, conte para seu parceiro o que você gosta e quer, não apenas espere que ele adivinhe em um passe de mágica. Assim, você torna o relacionamento mais prático e evita frustrações.

2. Respeite as diferenças

É muito normal que entre duas pessoas haja interesses divergentes, sendo assim, seja flexível e encoraje também este tipo de atitude.

É menos desgastante para um casal negociar entre ir ao teatro um dia e ao cinema em outro do que escolher apenas a atividade que um gosta mais. Porém, deixe claro seus próprios limites em relação a estas divergências de interesses.

3. Tenha vida além da relação

Durante o relacionamento, muitos casais acabam abdicando de suas vidas individuais para viver apenas em função do outro. Embora isso pareça muito interessante e gostoso a princípio, após algum tempo isso pode matar pouco a pouco a relação.

Em vista disso, procure manter amizades fora do círculo do casal e sair com estes amigos sem o seu parceiro. Além disso, mantenha seus interesses próprios assim como era antes do relacionamento. Isso manterá você fiel à sua vida independente e a atração do seu parceiro por você.

 

Clique Aqui para Deixar um Comentário Abaixo 0 comentários

Deixe uma Resposta: