Saiba como vencer o medo de ser feliz

Saiba como vencer o medo de ser feliz
Avalie esse artigo

Encontrar a pessoa certa e engatar um relacionamento é a meta de muitos homens e mulheres. Quem não gosta de ter alguém especial para dividir tristezas e alegrias? No fundo, ninguém gosta de enfrentar a vida sozinho. Contudo, algumas pessoas parecem não pensar assim e preferem ficar sozinhas ou então ter relações curtas sem apego. Apesar de parecerem frias ou desapegadas, elas podem, na verdade, ter um receio profundo de se entregar a alguém. Você se identifica com essa descrição? Então esse texto é para você. Hoje eu vou falar sobre pessoas que têm medo de se relacionar e como elas podem resolver esse problema. Ficou curiosa? Então leia até o final.

O poeta uruguaio Eduardo Galeano disse uma vez: “se eu caí, é porque estava caminhando. E caminhar vale a pena, ainda que você caia”. As relações são parecidas: umas funcionam, outras não. Mas essa condição que é característica de qualquer ligação sentimental não deve ser um impedimento para continuar procurando, para continuar andando.

No entanto, algumas pessoas não pensam assim. De acordo com um artigo publicado recentemente na revista Psychology Today, muitas negam a si mesmos a possibilidade de encontrar um parceiro para criar uma vida juntos simplesmente porque têm medo.

Causas para o medo de se relacionar

Medo de perder a independência

Ter medo de compromisso é o mesmo que ter medo de perder a liberdade e independência, um medo que impede uma pessoa de estabelecer uma relação estável e onde as palavras “eu te amo” são um incentivo para sair correndo. Embora haja a lenda urbana de que os homens são os que têm mais medo de compromisso, é normal ocorrer em ambos os sexos. O medo de se relacionar geralmente está ligado à falta de afeto e instabilidade emocional durante a infância ou em relacionamentos anteriores difíceis.

Pânico de formar laços emocionais

Há pessoas que perdem o interesse em um relacionamento quando sentem que ele está indo num ritmo muito rápido. Elas preferem não formar laços emocionais ou fazer planos para um possível futuro juntos, evitando assim que a relação atinja um nível mais profundo. Isso pode acontecer por medo de sofrer uma decepção, de se desapontar ou não estar a altura de um compromisso. Quanto mais longe for a relação, mais agonizante ela se torna.

As pessoas que têm medo de se relacionar preferem relacionamentos de curto prazo e não é raro elas terminarem o relacionamento bruscamente quando se dão conta de que estão ficando presas na estabilidade de uma relação.

Medo de repetir padrões de relacionamentos anteriores

Pessoas com medo de compromisso têm problemas de segurança, ou passaram por histórias complicadas e não querem enfrentar novamente a mesma situação. Depois de um relacionamento doloroso pode haver uma tendência a estabelecer relacionamentos superficiais. É necessário banir esse medo e acreditar que podem voltar a ter um relacionamento completo, em vez de olhar para o passado.

O amor nos torna vulneráveis

Embarcar em um novo relacionamento significa se aventurar em território desconhecido, apostar em algo sobre o qual não há certeza de sucesso e assumir um risco que muitas pessoas não conseguem lidar. Algumas pessoas acreditam que se expor a alguém sobre a qual sabemos pouco ou nada aumenta a sensação de vulnerabilidade. Há uma falta de controle sobre o que acontece a partir do momento que você deixa essa pessoa entrar na sua vida. Há uma frase que diz que “amar é dar a alguém a habilidade de destruir você, mas confiando que não fará isso”.

Um novo relacionamento abre velhas feridas

Muitas pessoas não estão cientes da dor e experiências negativas que trazem de relacionamentos anteriores até que tentam começar algo novo. É nesse momento que medos e inseguranças surgem, motivados por tudo que já passaram. Assim, elas acabam trazendo para o relacionamento pré-julgamentos e permitem que eles influenciem suas atitudes com os parceiros, impedindo que eles ajam livremente.

Amor questiona velhas certezas

Uma pessoa que está acostumada a pensar que não tem o direito de se apaixonar, que não é tão boa,sexy ou inteligente para despertar o interesse de alguém enfrenta um forte debate interno quando descobre que pode ser amada e que acabou de encontrar uma pessoa para comprovar isso. Desmontar crenças negativas enraizadas durante anos no cérebro é um conflito emocional muito profundo que algumas pessoas não conseguem lidar, recusando-se a possibilidade de começar um relacionamento.

Felicidade também envolve dor

Algumas pessoas acreditam que quanto mais estivermos envolvidos na felicidade, mais difícil será quando o relacionamento chegar ao fim. Por isso se recusam a se apaixonar, porque têm certeza de que a alegria envolverá necessariamente um monte de dor e tristeza no futuro.

O amor desperta um sentimento de perda

Em muitos casos, amar intensamente provoca um terrível medo de perder a pessoa que você ama. Aparecem então os receios de que essa felicidade acabe. Para superar esse sentimento de pânico, muitas pessoas acabam afastando seus parceiros inconscientemente, chegando inclusive a abandoná-los por sua incapacidade de lidar com o medo de perdê-los no futuro.

Comportamentos

As pessoas que têm medo de se relacionar adotam uma série de comportamentos, entre eles:

  • Vitimização: elas pensam que são sempre as vítimas, culpam relacionamentos anteriores ou fatores externos pelos seus medos e temores. Por pior que tenha um relacionamento é preciso aceitar os erros e fracassos (seus e dos outros) para evitar repeti-los no futuro. Qualquer relacionamento tem bons e maus momentos, devemos aprender a apreciar e lembrar dos bons e tentar aprender com os maus.
  • Procuram defeitos: quando conhecem alguém se concentram em buscar e apontar os defeitos. Caso não encontrem, investigam até encontrar algo que sirva para justificar a sua incapacidade de manter um relacionamento. Em vez de procurar e apreciar as qualidades, ficam empenhadas em encontrar algo negativo.
  • Saem com pessoas muito diferentes: quando procuramos um parceiro e o encontramos, geralmente levamos em conta afinidades e gostos em comum e a maneira de ver o mundo. Quem tem medo de se relacionar costuma se envolver com pessoas muito diferentes de si mesmas, para que essa diferenças sirvam como desculpa para não ir mais adiante.
  • Encontram razões para discutir: quando começam um relacionamento e veem que ele está ficando sério, procuram motivos para criticar, até que a outra pessoa se canse.
  • Isolamento: em seu ponto mais grave, o medo de se relacionar e ter um parceiro acaba se tornando um isolamento social. Seja evitando o contato com outras pessoas, seja escondendo-se para não conhecer ninguém mais.

Dicas de como superar o medo de se relacionar

  1. Reconheça os seus medos: saiba quais são os seus medos e enfrente-os: o medo do abandono, rejeição, estar sozinho, de perder a liberdade ou identidade. Tente descobrir de onde vem esse temor para combatê-lo.
  2. Ter medo de relacionamentos não significa que há algo de errado com você. Convidar alguém para ser parte de sua vida é muito importante. É natural ter medo de uma tal mudança em sua vida pessoal.
  3. Fale com o seu parceiro sobre seus medos. Fale abertamente com a outra pessoa sobre seus medos e sentimentos. É importante identificar os limites de cada um e deixar que o seu parceiro esteja ciente dos seus problemas, para assim, enfrentá-los e superá-los juntos.
  4. Tente não se desesperar ou desistir. Não se culpe, aceite esses sentimentos como natural e não o subestime. O medo é difícil de superar, leva tempo e é necessário trabalho.
  5. Tenha autoconfiança. Se você realmente quer um relacionamento, você vai encontrá-lo. Mas não se despreze por ter medo. Todo mundo tem medo de mudanças.
  6. Se o problema persistir, procure um psicólogo para que ele possa dar orientação.

Não deixe o medo definir o seu relacionamento

Medo de se relacionar, de ter um compromisso, pode influenciar a vida. Faça um exame interno. O que te preocupa? Você fica estressado pensando no seu parceiro? O que você sente quando ele quer dar um passo adiante? Determinar a origem do medo do compromisso é um passo essencial para construir um relacionamento saudável.

Se o problema se agravar, você também pode ir para qualquer profissional, para ajudá-la a resolver o problema. De qualquer maneira, o importante é olhar para o futuro e estar segura de que realmente ama essa pessoa.

Não deixe que seus medos interfiram em sua vida amorosa. Aprenda a apreciar a proximidade com o seu parceiro, as vantagens de um relacionamento, e não se esqueça de ter algum espaço para você. Compartilhar experiências e sentimentos com seu parceiro transmite força e confiança e ajuda a reduzir medos e dúvidas que surgem no caminho. Dê uma chance ao amor.

 

Clique Aqui para Deixar um Comentário Abaixo 0 comentários

Deixe uma Resposta: