Saiba tudo sobre machismo

Saiba tudo sobre machismo
Avalie esse artigo

Depois de anos de lutas, as mulheres conseguiram conquistar um espaço na sociedade. Ao contrário das nossas mães e avós, temos liberdade para escolhermos se vamos casar, ter filhos ou simplesmente nos dedicarmos a uma carreira. O empoderamento feminino veio para ficar! Infelizmente, essa imagem de uma mulher bem resolvida não agrada a todos. Há homens machistas que acreditam que a mulher é mais fraca e menos capaz, o que é absurdo. Você sabe reconhecer uma pessoa assim? Sabe como identificá-la? No texto de hoje eu vou explicar o que é machismo e o que devemos fazer para lidar com essa questão.

Uma pesquisa realizada pela ONU Mulheres mostrou que 95% das mulheres e 81% dos homens entrevistados consideram o Brasil um país machista. Segundo o relatório final da pesquisa, eles ainda demonstram dificuldade de lidar com as mudanças na organização social e, por isso, buscam constantemente reafirmar a sua masculinidade. Além disso, 3% dos homens se consideram bastante machistas. A pesquisa tinha como objetivo entender como as pessoas se sentem sobre esse tema e como podemos evoluir para uma sociedade com mais igualdade e mais diálogo entre os gêneros.

O que é machismo?

Muita gente ainda se pergunta “o que é machismo”? Machismo é um conjunto de pensamentos, fatos, atitudes e costumes que fazem os homens acreditarem que são superiores às mulheres. O comportamento machista justifica e promove comportamentos percebidos como discriminatórios contra as mulheres. Está relacionado com a diferenciação de tarefas de acordo com o gênero e com a crença que o homem tem mais direitos do que as mulheres.

A sociedade, cultura, família, escola, mídia, estão sempre passando  mensagens sobre o que deveria ser um “homem real”. Então os homens, em seu processo de socialização, vão construindo sua masculinidade impregnada muitas vezes nessa ideologia machista. O problema com esse tipo de crença é que ele pode levar a violência de gênero.

Por que os homens se sentem superiores às mulheres?

Ao longo dos séculos, o papel dos homens teve maior reconhecimento e destaque. Eles eram os provedores e protetores dos clãs: caçavam, pescavam,  enfrentavam animais para proteger o grupo. As mulheres também descobriram e dominaram seu ambiente (muitas descobriram plantas medicinais para curar e salvar o clã, por exemplo),  mas esse papel nunca foi realçado ou reconhecido. Ao longo dos anos, com o surgimento da família, estado, propriedade privada e divisão do trabalho,  a hegemonia dos homens permaneceu e eles tiveram cada vez mais privilégios. Embora nas últimas décadas as coisas tenham mudado para as mulheres – que obtiveram o reconhecimento dos seus direitos – , em algumas partes do mundo a supremacia dos homens continua a ser uma triste realidade.

Os perigos do machismo

Os privilégios que os homens têm desfrutado por séculos levaram a desenvolver a ideologia machista, mas também impôs uma série de obrigações a serem cumpridas. Para mostrar seu poder eles tiveram que reprimir emoções como ternura, sofrimento, dor, medo, vergonha. Ao mesmo tempo, houve um desenvolvimento de violência. Muitos homens que não aprenderam a resolver problemas através do diálogo, empatia e respeito sentem que são os proprietários de suas namoradas ou esposas e, portanto, tem o direito de tirar a sua liberdade, autonomia e, muitas vezes, até mesmo a vida. Daí a gravidade da ideologia machista.

Situações machistas do cotidiano

Dois pesos e duas medidas

Nós costumamos viver muitas situações onde um duplo padrão é aplicado simplesmente baseada no sexo, que limitam a liberdade das mulheres e minimiza a nossa capacidade de viver uma vida segura, independente e enriquecedora. São estereótipos que vão desde a ideia de que as meninas devem mostrar mais autocontrole e educação  do que os homens, o modo como elas usam o corpo para se expressar, além de supostas habilidades naturais de meninos e meninas. Homens e mulheres devem ser vistos como semelhantes, sempre devemos lutar contra esse tratamento diferenciado imposto pela sociedade. Ambos os sexos devem ter os mesmos direitos e privilégios.

Machismo velado

Uma coisa é um homem abrir a porta e não se importar se você fizer o mesmo por ele;  outra é ele se recusar categoricamente a aceitar a sua oferta.  Pede sua bebida ou jantar sem perguntar sua opinião. Uma vez pode ser agradável e você pode até apreciar o detalhe, especialmente se ele sabe seus gostos. No entanto, quando ele faz isso todas as vezes, é sinal de alerta. O sexismo benevolente, considerado protetor e cavalheiresco, é ligado a ideia  de masculinidade . Além disso,  considera as mulheres como objetos morais, puros e dignos de adoração, proteção e provisão de homens. O efeito negativo disso é que as mulheres podem ser consideradas incapazes e sempre dependentes dos homens.

O machismo na mídia

Muitos programas marginalizam e despersonalizam as mulheres e criam ideais nocivas de masculinidade para os homens. A maioria das pessoas preocupadas com o bem-estar de seus filhos e seu futuro, não se esforçam ativamente para que  as empresas de entretenimento melhorem sua programação.

Machismo na escola

Deixamos  que nossas escolas ensinem lições sexistas e continuem utilizando os sistemas de organização por sexo. Em muitas escolas, as crianças estão imersas em um ambiente educacional que apaga a contribuição histórica de mulheres, sexualiza as meninas em termos antiquados ( como as regras de aparência e moralidade) e que fornece exemplos hierárquicos diferenciados por sexo. As crianças precisam saber o que é machismo para então aprender a lutar contra ele.

Como identificar um homem machista

A imagem de um homem viril, forte, com um caráter forte soa muito atraente para muitas mulheres quando imaginam um parceiro ideal. Até certo ponto, não há nada de errado com essas qualidades. O problema é quando a mulher confunde masculinidade com grosseria, força com  agressão e o homem ideal acaba revelando que é um machista. Para que você possa identificar o que é machismo e se o homem é machista, você deve prestar atenção a alguns sinais que funcionam como alertas e analisar se você quer prosseguir no relacionamento ou falar abertamente sobre como corrigi-lo.

  • Dificulta ou impede que mulheres expandam ou ampliem seus conhecimentos (por exemplo, ir para a faculdade ou começar um curso).
  • Ele quer controlar a forma como a mulher pensa, veste ou se comporta.
  • Separa as mulheres em grupos distintos: para casar e para ter sexo.
  • Ele tende a ser brusco ou desconsiderado.
  • Tem certo ar de superioridade.
  • Pode ser amargo e / ou vingativo.
  • Não quer que a parceira tenha amigos homens.
  • Acha que é o suficiente para a mulher ser feliz.
  • Não quer que a parceira vá a festas.
  • Procura não falar sobre seus sentimentos por medo de perder o controle, ou porque é considerado como um sinal de fraqueza.
  • Não aceita que está  errado.
  • Não pede desculpas.
  • Tenta tirar vantagem de tudo.

Relacionamento com um machista

Muitas vezes, as mulheres sentem que esse comportamento é uma espécie de proteção e afeto, no entanto, eventualmente, percebem que ele vai além disso. Uma mulher envolvida  com um homem machista pode desenvolver distúrbios psicológicos como depressão e ansiedade associada a uma baixa auto-estima, sentimentos de desamparo, desesperança e insegurança. Em alguns casos mais graves, essa relação pode levar à agressões físicas e até mesmo à morte.

Se você vive um relacionamento com um machista, procure falar com o seu parceiro como você se sente. Se ele não for receptivo, procure ajuda para tomar uma decisão. As mulheres devem procurar ajuda psicológica, apoio da família ou amigos e até mesmo assistência jurídica.

É possível mudar esse pensamento?

Há mulheres que, embora percebam esse comportamento, decidem permanecer ao lado do homem com a ilusão de que, eventualmente, ele vai mudar. No entanto, é muito difícil para esse tipo de mudança acontecer caso ele não procure ajuda profissional. As esperanças são ainda mais reduzidas quando percebemos que a mudança de mentalidade em homens
machistas é  mais fácil quando acontece desde a infância.

Por outro lado, um dos obstáculos na tentativa de transformação é que, geralmente, esses homens não reconhecem ou admitem um comportamento machista. De fato, em muitos casos, fazem inconscientemente, já que são estilos de comportamento aprendidos ao longo da vida. Para que haja uma  mudança real, é preciso que eles reconheçam que têm um problema e se esforcem para mudar. Além disso, esse objetivo requer, eventualmente, desenvolver um maior grau de introspecção e reconhecer o seu problema.

Como combater o machismo

O machismo deve ser combatido diariamente, em atitudes do nosso próprio dia a dia. Veja o que você pode fazer para ajudar na luta contra esse problema:

Em casa

Um homem lavando pratos não deve ser um motivo de comemoração ou grandes elogios, é  uma tarefa que ambos podem fazer. Não há papéis em casa para ele ou ela. Ambos podem cuidar das crianças e limpar a casa.

No sexo

Sexualidade ainda é um espaço no qual o homem é convidado a ser um especialista e a mulher ignorante ou submissa, mas com a tarefa de “estar sempre pronta”. Não é verdade, nós mulheres também somos uma pessoa sexual e temos o direito de viver a nossa sexualidade plenamente. Ninguém está a serviço sexual do seu parceiro, ambos estão ali para satisfazer um ao outro.

Na escolha da profissão

Não devem ser estabelecidas profissões e ofícios exclusivos para mulheres ou para homens. Enfermagem não é só para as mulheres, medicina e engenharia para os homens. Escolha a sua carreira com base em seus gostos e afinidades, não em estereótipos e crenças.

No trabalho

Não há nada de errado em uma mulher ocupar um cargo de chefia. As capacidades não são definidas por gênero e sim por personalidade, experiência e preparação. Não ligue para opiniões de homens que tendem a diminuir suas conquistas ou que irão destilar pequenas doses de pessimismo. Você é capaz de ser chefe e comandar homens e mulheres.

Em casas noturnas

Os ambientes noturnos são espaços onde acredita-se que predomina a masculinidade. Quando as mulheres vão para esses lugares para se divertirem com ,as amigas, começa o questionamento sobre a sua moral. Sair para se divertir é algo saudável, que todas as pessoas têm direito.

Nas atividades de esforço físicos

Não reproduza frases que são comuns no esporte como “jogue como um homem”. Expressões bastante populares como essa desqualificam as mulheres e falam que o gênero masculino é superior. Mulheres e homens são capazes de realizar atividades de esforço físico, não existe essa história de que só o sexo masculino tem aptidão para isso.

Com seus filhos

Não reforce estereótipos de vestimenta ou afinidades. Se sua filha gosta de azul e joga futebol, não a corrija dizendo frases como meninas devem gostar de rosa e brincar de bonecas. Isso só serviria para ensinar o machismo para seus filhos desde pequenos.

Faça sua parte

O machismo não está apenas nos homens, algumas mulheres têm atitudes machistas sem perceber. Consultar toda a informação que possa encontrar sobre o tema é essencial para reforçar seus conhecimentos sobre machismo, violência de gênero e feminicídio. Reveja seus conceitos, explique aos seus amigos e familiares o que é machismo e como podemos combatê-lo. Essa é uma luta que pode ser defendida por todos e, se  cada um fizer sua parte, com certeza teremos um mundo mais igualitário, com menos preconceito e violência.

 

Clique Aqui para Deixar um Comentário Abaixo 0 comentários

Deixe uma Resposta: