SETE SINAIS QUE INDICAM QUE VOCÊ ESTÁ INFELIZ NO CASAMENTO

SETE SINAIS QUE INDICAM QUE VOCÊ ESTÁ INFELIZ NO CASAMENTO
Avalie esse artigo

 

O mundo contemporâneo está conduzindo as pessoas, de uma forma extremamente dinâmica, à uma busca incessante por algo que, por muitas vezes nem se sabe ao certo a que.

O fato é que estão sendo deixadas de lado as percepções necessárias para que se adquira e/ou preserve qualidade de vida quando se trata de saúde do relacionamento.

Atitudes, ações, pensamentos, sentimentos estão se tornando padronizados e, muitas das vezes, robotizados o que leva o ser humano a viver uma corrida diária de batalha contra o tempo, que aparenta estar cada vez mais curto.

Ver também: 7 coisas que só quem ama comete

Com isto, abre-se espaço para que a acomodação e a dependência entre as partes engulam o espaço que seria destinado ao bem estar e a satisfação de um relacionamento prazeroso.

Se faz necessário que, diante a conturbação da vida e do mundo assoberbado em que vivemos, busquemos, cada vez mais, atmosferas diárias que nos proporcionem qualidade de vida, realização,.

Relacionamentos salutares e promissores a fim de que não nos deixemos estagnar os sentimentos e aprisionar os desejos na frieza da vivência automática das rotinas. A seguir, sete sinais que poderão sinalizar que o teu casamento te torna alguém infeliz.

EVITAR PROGRAMAS COM O (A) COMPANHEIRO (A)

Quando se está completo, ou quando identificamos quem, verdadeiramente, nos completa, tudo que imaginamos em realizar incluímos esta pessoa em planos, viagens, passeios, cinema, refeições diárias, sono da tarde.

Enfim, simplesmente é como se só valesse à pena se estivermos juntos ou “na base do só vou se você for”, com  exceções, logicamente, pois também a individualidade também deve fazer parte dos relacionamentos salutares.

DEIXAR DE DIVIDIR FATOS OCORRIDOS

Surgiu uma novidade, seja ela no emprego, em casa, com a família, com os amigos, é natural que se procure dividir com quem ? Com quem está ao nosso lado, com quem sabemos que podemos contar, com quem temos a certeza que seremos apoiado ou até corretamente orientado e esta pessoa supostamente deveria ser o(a) nosso (a) parceiro (a).

Porém, quando acontece exatamente o contrário, devemos acender o sinal de alerta e atentar para os porquês, pois, em determinados momentos, que a relação decai é feita uma transferência desse direcionamento, ou seja, dividimos com qualquer pessoa, as vezes a primeira que aparecer, ou nem dividimos, o que nos afeta de forma frustrante.

PASSAR A DISPENSAR MENOS ATENÇÃO AO (À) PARCEIRO (A)

O interesse pela vida do outro passa a ser menos enfático, seus projetos, suas aspirações, seus afazeres diários e até seus sentimentos. Mergulha-se no mar do “que me importa?”, atitude esta que, cada vez mais aumenta a distância entre os dois, é como se o cuidado, o ciúme, o zelo.

O carinho tivessem dado espaço ao desprezo por coisas e fatos relacionados ao outro que não soma mais em muita coisa, a não ser que isso te afete de forma negativa.

MAIOR PERCEPÇÃO DOS DEFEITOS

Impressionante, quando se imerge nesta fase do desinteresse e do desequilíbrio do relacionamento como se enxerga os defeitos como gigantes implacáveis que te impulsionam, cada vez mais, para pensamentos de crítica, julgamento e asco. Quão se transformou aquela pessoa. Se esquece, totalmente, que eles sempre estiveram ali, desde o início, porém imperceptíveis e inofensivos.

DISCORDÂNCIA NA MAIORIA DAS OPINIÕES

Cadê a cumplicidade, as ideias em comum, a compatibilidade ? Se dispersaram em uma atmosfera de discordância, muitas vezes até mesmo quando existe a mesma opinião, mas o primeiro impulso é ser do contra ao que está ouvindo ou vivenciando.

Como se fosse uma necessidade extrema de expor algo contraditório e sentir que o que vem de lá pra cá é nocivo e é aí onde se evidenciam os conflitos, por muitas vezes, em situações altamente banais.

PRESTAR MAIS ATENÇÃO NO MUNDO À SUA VOLTA

Quem nunca teve a sensação de estar acompanhado, porém só ? A pessoa ao teu lado se tornou deveras desinteressante e sem graça. O outro é mais engraçado, mais cheiroso, mais inteligente, mais descolado.

E esse outro, ao qual há a referência, é qualquer pessoa, não necessariamente alguém que possa causar perigo ao relacionamento, assim como tudo que o faz desfocar do seu companheiro é bem mais instigante.

SENTIR ATRAÇÃO POR OUTRAS PESSOAS

O último e não mais importante que os demais, porém o que decreta, definitivamente, a infelicidade no relacionamento é o despertar o sentimento, outrora adormecido, por outra pessoa. Cheque-mate, hora de parar, repensar, realinhar ou até reconhecer para recomeçar.

O importante é que não se deve dar vazão a novos inícios sem antes os devidos fins, pois mais vale um final dolorido que te traz alívio do que uma história mal resolvida que não te trará novas possibilidades de acertos.

Portanto, importante ressaltar a maturidade e a sensibilidade de, no mundo em que vivemos hoje, encontrarmos um tempo para rever e repensar nossos conceitos, valores, formas de como vemos e vivemos nossa vida para que possamos alcançar a plenitude do casamento, que ao contrário do que se prega hoje em dia, não é uma instituição falida.

Não se precisa e nem se deve viver ao lado de alguém que te faça infeliz, assim como devemos ter o discernimento e o caráter de, também, procurarmos fazer a seguinte pergunta: será que meu companheiro (o) companheira (a) está feliz comigo?

A via é de mão dupla, portanto o que deve imperar é o respeito ao outro e, sem sombra de dúvidas, o amor próprio, peças estas fundamentais para a percepção de determinados problemas e suas devidas soluções que podem ser de suma importância para o primeiro dos passos para o restante de uma vida que, através de nós mesmos, pode se tornar perene, tranquila e satisfatória ou conturbada, estagnada e cheia de vícios de convivência que só levam todos os envolvidos à infelicidade.

Este é um exercício, interminável, de autoconhecimento e percepção do que nos rodeia e que se, cada vez mais, soubermos trabalha-lo alcançaremos mais sucesso em nossas relações, sejam elas quais forem, pois amar é assumir um compromisso com o que você pode, de melhor, proporcionar ao outro.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Clique Aqui para Deixar um Comentário Abaixo 0 comentários

Deixe uma Resposta: