Simpatia para evitar o divorcio

Simpatia para evitar o divorcio
Avalie esse artigo

 

Simpatia é a maneira ritual de invocar poderes de origens ocultas a realizarem a nossa vontade aqui na terra. Realiza-se a simpatia com um variado conjunto de ações e palavras preestabelecidas, que são realizadas por qualquer pessoa sem especialização específica, que a repete sem que coloque e tire nada, a não ser nomes de pessoas.

O ritual é cheio de prevenção e cura. De modo geral, trata-se da maneira de fazer os fatos que ultrapassam as leis da natureza. Com a magia simpática, pode-se ter ação sobre pessoa ou objetos de longas distâncias, por meio de uma pedaço, por exemplo, de peças íntimas, sinal dos dentes no pão, fios de cabelo e outros.

De origem na religião dos magos, a magia simpática pretende realizar à vontade própria, a vontade de poderes altos, espíritos, demônios, elementos naturais e simula uma atuação sobre tudo. De acordo com a forma que se dedica à obtenção de efeitos em que se deseja por meios naturais ou com o auxílio das potências infernais, a magia se subdivide em magia branca e magia negra.

Nos interessa curiosamente, a magia branca, que é utilizada de maneira indireta nas forças de cura do espírito, e que age por vários caminhos, sendo os principais a analogia e a transferência. O segredo na maior parte das simpatias é imensurável. Há outros tipos de ritos, como ir a um lugar bem longe, lançar algo por sobre o ombro sem olhar, ir embora de um lugar sem olhar para trás e jogar peças de roupa em rios, para que ele carregue.

Ver também: Conheça poderosas simpatias com alho

O que se nota na magia simpática, é que ela está propensa às doenças que exigem uma energia do corpo e da alma, ocasionada pela restauração da personalidade que a grande crença e fé traz. Nesse caso, a mágica tenta alcançar a cura de doenças que os médicos não são capazes de curar.

No início, era apenas um pedaço de lençol que continha uma oração clara de origem católica. Trata-se da popularização do escapulário, tira de pano com dois pequenos quadrados de pano bento, orações definidas, e que os religiosos levavam ao pescoço ou junto ao coração.

A aceitação das pessoas não veio a acontecer sem adaptações. O patuá passou a conter além de orações, palavras intensivas, raiz de guiné, olho de alguns animais, raspa do bico de alguns pássaros. O nome também se modificou. Foi chamado de “relique”, criado através de outro vezo católico, que é o uso de relíquias, igualmente fechados em saquinhos de pano.

Essas relíquias são formadas de pequenos pedaços de hábitos de monges canonizados, de pedaços de cruzes, de cabelos, de esquírolas de ossos de santos, de pedaços de lenha de fogueiras que devoraram caminhos da fé. Hoje, relique, é qualquer objeto de origem mágica que se pendure ao pescoço ou se amarre no punho, desde que restrito num saquinho de pano.

Não entra em meio a essa definição o signo de Salomão, amuleto que deve ser produzido antes do nascer do sol, em uma sexta-feira santa. Tanto pode ser carregado com você, como colocado ao pescoço. Também conserva a magnitude curativa e defensiva quando deixado atrás da porta ou em cima da cabeceira da cama.

Dicas para uma simpatia dar certo

O olhar é uma arma de extrema importância, pois é muito poderosa, nunca olhe para trás quando terminar de efetuar uma  simpatia, para não trazer para você o que está enviando para longe de si, para que surta efeito.

Nunca jogue em água corrente o que você quer que fique bem perto a você. Se deseja manter algo para si mesmo a  simpatia deve ser fixada na terra, ou deixada em potes no seu trabalho ou casa, usada como amuletos e patuás bem rente ao corpo.

Mantenha-se observando as fases da lua, ela é um guia para qualquer que seja a simpatia! E não dar atenção ao poder que ela possui é um erro mínimo que faz a  simpatia não se realizar de forma correta.

Jamais fique repetindo a todo momento a  simpatia que pareceu não dar certo. Nem sempre o que desejamos é o que seja melhor para nós e cabe a sua consciência visualizar essa fraqueza e tentar reconhecer que o caminho que você está desejando para você não está sendo uma ótima escolha. É a hora de parar e refletir sobre suas escolhas e atos.

Quando estiver fazendo a  simpatia, faça seus pedidos de oração abertamente e claramente, com muita fé, mentalizando no trabalho, e não fique aguardando uma data permanente para acontecer. O tempo dos orixás e entidades é muito diferenciado do nosso e não se conta com datas ou horas, então nem ligue para o relógio.

Cuidado com a inveja! Não deixe que o olho gordo venha até você, portanto, nunca conte a  simpatia que fez para as outras pessoas.

Melhore e facilite os resultados da  simpatia que está planejando realizar. Se está criando um trabalho para crescer na vida pessoal e nunca sair de casa atrás do que almeja, a  simpatia nunca vai poder se tornar real, não é verdade?! Temos que fazer nossa parte aqui na terra e nessa vida, para que os orixás e entidades possam ajudar-nos e trabalhar por nós e para nós.

Simpatia para evitar o divórcio

Da mesma maneira que o mundo em que nos mantemos vivos se modifica, as pessoas também mudam. Com certeza no decorrer de um casamento os dois irão mudar. O que devem ter em mente é que essa mudança deve ser feita por ambos, sempre levada para uma mesma estratégia.

Caso contrário, a separação será certeira. Para que isso não venha a acontecer no seu casamento e que os dois consigam ser calmos quanto a essas mudanças, apoiando-se sempre mutuamente, nada como uma simpatia inteiramente indicada.

Um dia, após as 22:00 horas da terceira noite de Lua Cheia, prepare duas velas brancas, unte-as com mel, escreva seu nome em uma delas e o de seu marido ou esposa na outra (sempre do pavio para a base), logo a seguir, amarre as duas juntas usando uma linha vermelha de um carretel. Acenda as velas e deixe-as queimando dentro de um prato branco com açúcar.

Quando elas se apagarem, jogue todo conteúdo em água corrente. Guarde esse prato como lembrança do seu casamento.

Clique Aqui para Deixar um Comentário Abaixo 0 comentários

Deixe uma Resposta: