Sinais De Que Você Passou Dos Limites Na Briga De Casal ( O GUIA ABSOLUTAMENTE COMPLETO)

Sinais De Que Você Passou Dos Limites Na Briga De Casal ( O GUIA ABSOLUTAMENTE COMPLETO)
Avalie esse artigo

Diga-me como você discute e eu vou lhe dizer quanto tempo o seu parceiro durará

O que aconteceria se você estudasse as brigas conjugais e visse as emoções negativas e positivas que surgiram após cada reprovação? Existem reações que podem garantir o sucesso ou o fracasso de um relacionamento. Dizemos o que são e como fazer para que você tenha mais vantagens ao usá-las.

Ver também: Conselhos Baseado Em Estudos Para Fazer o Seu Casamento dar Certo.(IMPERDÍVEL)

 

Diga-me como você discute e eu vou lhe dizer quanto tempo o seu parceiro durará

Quais são as discussões diárias com o seu parceiro? Que canal de televisão para assistir, quem recebe o cachorro, qual dos dois vai procurar os meninos, que lava a louça … Há alguns tópicos de luta tolos e comuns. Mas o que aconteceria se durante essa discussão fossem medições da frequência cardíaca, do suor e do corpo? E se eles fossem gravados, ouvissem e estudassem como essas emoções afetam cada um? A discussão não seria mais uma, como todos os dias, e os resultados definiriam o tempo que a relação durará.

John Gottman, cientista e professor emérito da Universidade de Washington, criou um “laboratório de amor”. Lá, depois de estudar um casal enquanto seus membros gritam e se irritam, eles prevêem um sucesso de 95% se continuarem juntos ou serão separados nos próximos 15 anos. Como fiz? Ele conseguiu isso depois de analisar mais de 3.000 casais desde 1980. Ele tem uma fórmula quase infalível: investigar as emoções que não são “tão óbvias” e apenas vislumbrar quando se discute.

O poder do desprezo

O inventor do “laboratório do amor” estudou e aprofundou as reações de cada indivíduo e classificou aqueles que são decisivos para causar rupturas entre os casais. Ele os dividiu em quatro tipos: a defensiva, o crítico, o obstrucionista (que tenta prevenir ou dificultar o desenvolvimento normal de um processo) e o desprezível. E é essa emoção, desprezo, responsável pelo maior número de separações. Ser desonesto não é apenas criticar, é muito mais. Está respondendo de um lugar de superioridade, que diminui a pessoa como pessoa até fazê-lo se sentir excluído.

É a reação mais dolorosa para a outra pessoa. Mesmo afeta nosso sistema imunológico e nos torna mais propensos a adoecer, ter resfriados ou dores no corpo. O desprezo é uma resposta de “hierarquia” e nem sempre é gerado de forma agressiva. Você pode se esconder em comentários sutis como: “Sim, sim … e o que você conhece?”, Uma frase que é familiar para todos nós.

Diante de um problema e discussão posterior, as mulheres tendem a reagir mais com as críticas e os homens com obstrucionismo. Mas, no que diz respeito ao desprezo, parece que não há diferença de gênero.

A fórmula para discutir

Se queremos que nosso parceiro aguarde ao longo do tempo, devemos ser honestos com o que sentimos e fazemos. Nossas emoções são muitas vezes sutis, mas externalizamos elas (conscientemente ou não) e a outra pessoa as percebe.

Portanto, depois de uma discussão – e com os nervos mais calmos – Gottman recomenda falar com o casal não tanto sobre o problema, mas sobre as emoções por trás disso. O que fazemos com que o outro se sinta com o que dissemos e o que o outro nos fez sentir.

É importante evitar o desprezo. Após a conversa, é interessante identificar se, em algum momento, a outra pessoa usou palavras desagradáveis ​​e dolorosas, ou se fizéssemos.

Certamente, ninguém gostaria de terminar seu casamento ou namoro, mas há razões que podem levar a isso sem você propor. Nos relacionamentos, tudo é válido, mas o comportamento, a atitude e a personalidade de cada um desempenham um papel importante nisso.

Ao falar sobre discussões, há algumas que levam diretamente a um mal-entendido e depois à separação, então, se você quer levar a festa em paz, é melhor não alterar ou alterar o outro e ser maduro para enfrentar os problemas.

Veja os 4 Sinais que Você Passou Do Limite na Briga de Casal

SINAIS DE ABUSO

No início, pode ser difícil detectar os indicadores de violência, especialmente para a vítima, embora se possa ver que algumas relações são claramente abusivas e isso geralmente acontece desde o início do relacionamento, começam sutilmente e com a passagem do tempo, Estes aumentam, em alguns casos, são simplesmente comentários dolorosos, olhares, comportamentos controladores, ciúmes, isso tende a piorar e tornar-se cada vez mais contínuo, mais grave, evidente e violento.

VIOLÊNCIA NO PAREIRO: RELAÇÃO DO ABUSO E DO PODER

Na maioria das situações de violência no casal tem que ver com o abuso e o poder que o agressor tem sobre seu parceiro. Nem toda a violência que ocorre entre o casal tem a ver com a raiva ou os impulsos descontrolados do agressor, os agressores tendem a dirigir sua raiva para a pessoa mais próxima e mais vulnerável que a maior parte do tempo é seu parceiro. O agressor tenta inculcar medo e medo através de várias táticas que lhe permitem obter isso.

Por exemplo:

  • Emocionalmente com humilhações, insultos e críticas que reduzem a estima da vítima.
  • Ameaça e culpa com suicídio ou homicídio ou com avaria familiar.
  • Nega o abuso e culpa a vítima, o que impede qualquer alteração. Isso produz insegurança e confusão.
  • Intimidado com gestos, mesmo com atos que produzem medo na vítima.
  • Poder para tomar decisões importantes, definir regras e papéis, o casal funciona mais como um servo ou um assistente.
  • Usa o dinheiro como forma de controlar o casal e as crianças como bens de mudança, manipulação e chantagem.

Houve Ataque Verbal

Em todos os casos, além das palavras, também é importante o tom em que você fala e gesticula, o que pode adicionar muito mais violência às sentenças. Se você repreende sua atitude, é provável que ele / ela reaja das seguintes maneiras:

Ignore sua reivindicação. Simplesmente diz não saber do que você está falando. Minimizar a situação Ele diz que você está exagerando, que não é tanto. Isso gera um maior maltrato. “Agora você vai ver” ou “Eu lhe darei motivos reais para reclamar”.

Infelizmente, muitas pessoas minimizam esse tipo de situação, mas não devem. O ataque verbal é tão grave quanto o abuso físico. Embora não deixe vestígios no corpo, dói a alma e afeta a saúde mental.

 Houve Ataque Psicológico

Abuso psicológico:

Tem um lado ativo e passivo, o abuso ativo é o tratamento degradante e contínuo que ataca a dignidade da pessoa. O abuso emocional é difícil de detectar, porque a vítima frequentemente não percebe que ele é e outras vezes ele se torna consciente, mas ele não se atreve ou não pode se defender e não se comunica nem pede ajuda. O abuso passivo consiste na falta de atenção para a vítima quando depende do agressor.

Ataque psicológico:

É perseguir uma pessoa com críticas, insultos, calúnias e ações que colocam cerco em sua atividade, minando sua autoestima e introduzindo em suas mentes desconforto, preocupação, angústia, extrema incerteza e dúvidas. É a forma de violência que se exerce com uma estratégia, uma metodologia e um objetivo para conseguir a destruição moral da vítima, privando-os de sua privacidade, tranquilidade e tempo necessário para realizar suas atividades, já que o perseguidor as interrompe constantemente. com suas demandas intempestivas e esmagadoras.

Manipulação mental:

É a forma de violência que ignora o valor da vítima como ser humano em relação à sua liberdade e autonomia, o direito de tomar suas próprias decisões sobre suas vidas e seus valores, é a chantagem emocional, isto é, de controle para fazer o casal agir de acordo com os desejos do outro. As táticas incluem ameaças que geram medo, culpa ou vergonha, visando mobilizar a vítima na direção desejada pelo manipulador.

Clique Aqui para Deixar um Comentário Abaixo 0 comentários

Deixe uma Resposta: