Supere o fim do seu relacionamento

Supere o fim do seu relacionamento
Avalie esse artigo

Fim de um relacionamento: “Não é nada com você… O problema sou eu. Preciso de um tempo pra mim, preciso resolver minha vida. Você é uma pessoa maravilhosa, espero que encontre um cara bacana. Não quero perder sua amizade… Espero que me entenda…”.

E depois de ouvir uma tentativa nada convincente de te dar um pé na bunda (como essa supracitada) você reage de acordo com sua personalidade, enquadrando-se em um dos grupos abaixo:

  • Grupo 1 (99,9% das mulheres): Tem um colapso nervoso, tamanho o susto (que pode ser reduzido caso você já venha percebendo essa catástrofe). E depois de alguns segundos tentando imaginar que é um pesadelo, você começa a chorar. Em seguida a “coisa” só piora: começam os por quês, as tentativas de reconciliação, as humilhantes cenas onde você implora para que ele volte atrás, e finalmente um acesso de ódio, que, em alguns casos, são disfarçados e só vêm à tona tempos depois.

 

  • Grupo 2 (0,01% das mulheres): Reage tranquilamente (pelo menos por fora), respirando para não enforcar o infeliz, e diz algo como: “Tem certeza? Tudo bem então, se você acha melhor…” com um perfil de tranquilidade que causa espanto. Em seguida encontra uma desculpa para sair daquele lugar correndo. Mantém distância o máximo possível e finge melhor que ninguém, que o fim do namoro não te abalou como ele esperava (exceto nos momentos de fossa no quarto, vendo filme romântico e devorando um pote de sorvete ou de chocolate).

 Ver também: Supere o fim do relacionamento de um jeito que você nunca imaginou!

Se você faz parte do grupo 2, meus parabéns! O sofrimento pode até ser inevitável, mas a atitude de não se humilhar por alguém que resolveu jogar tudo que viveram fora, é uma escolha sua!

Então você me diz chorosa: “O que vou fazer agora? Como vou conseguir viver sem ele? Bla bla bla…”. E eu te respondo querida amiga: você não consegue viver sem oxigênio!

Parece o fim do mundo porque seus hormônios e sentimentos estão uma verdadeira bagunça! O sentimento de carência é gritante, mas com o passar do tempo verá que não é, nem de longe, o fim do mundo…

Digo-te mais: você tinha uma vida antes deste cidadão revirar tudo! Você saía, se divertia, tinha seus hobbies, amizades, sua vida pessoal, seus afazeres… Retome-a! Reaja! Não alimente esta fossa pelo resto dos seus dias, enquanto ele se esbalda na balada e se consola no colo da torcida feminina do flamengo.

O sofrimento é algo lindo na poesia, no papel, mas não na vida real. Não combina, não é produtivo e não ajuda em nada! Quer curtir a fossa? Ok. Mas curta até a página 2! Da página 3 em diante você vai dar um basta e retomar sua rotina antiga, antes que as olheiras se apossem de sua face.

“Ah, mas no fim de semana saíamos juntos… Todas as manhãs ele me ligava… Domingo à noite era dia de programa romântico só nós dois… Não vai ser a mesma coisa sem ele”.

De fato, é triste, é ruim, mas é resolvível! Estabeleça uma nova rotina, recupere antigos programas, ocupe esse tempo ocioso, cuide de você e fique ao seu lado, linda e forte…

No começo será difícil e você achará praticamente impossível, mas garanto: tempo e dedicação resolverão isso! Em alguns dias a antiga rotina terá sido totalmente substituída e seus vestígios serão cada vez menos presentes na sua vida.

Não faça da dor a sua melhor companhia. Não se torture. Não se desgaste nutrindo ódio, perseguindo, mandando indiretas, pedindo para voltar, torcendo para que o ex nunca mais pegue nem gripe…

Nada, nem ninguém, merecem o seu sofrimento. Não destrua sua dignidade e a chance de encontrar com a felicidade novamente. Não prive seu coração de se apaixonar de novo. Não nutra um medo infundado de nunca mais dar certo com ninguém, pois isso não é verdade. Dê atenção a quem realmente merece: você!

Esforce-se para colocar um sorriso no rosto, para fazer aquilo que te faz bem. Aproveite para repensar esse relacionamento: Você errou? Onde? Por quê? O que aprendeu com tudo que viveu.

Tá, mas eu sei que você, muito provavelmente, já está pensando em como trazê-lo de volta não é? E que, dependendo do seu nível de apego, de nada vai adiantar te dizer para avaliar se vale a pena. Pois bem, há sim uma forma de trazê-lo de volta!

Como trazê-lo de volta?

Pense comigo: Quem você era quando ele se apaixonou? Quais eram as suas qualidades? O que o fez se encantar por você, a ponto de querer um relacionamento sério?

E depois, o que mudou em você? O que fez as coisas chegarem a este ponto? Pode até parecer que foi de repente, mas todo fim de relacionamento deixa rastros pelo caminho.

Uma pesquisa feita pela revista Psychological Science mostrou que a semente do fim de relacionamento costuma ser plantada muito tempo antes, mas nem sempre percebemos porque estamos olhando para outros aspectos.

Portanto, uma coisa é certa: a imagem que ele tinha sobre vocês dois mudou. Alguma (ou várias) coisas aconteceram que o fizeram decidir que o fim do relacionamento era a melhor escolha a fazer.

E o pior é que quase sempre um desses motivos é você. Você precisa entender o principal: ele está com uma visão completamente distorcida sobre vocês. Ele te olha, mas não vê mais aquela mulher por quem era apaixonado.

Você não é mais essa mulher! Neste caso, a primeira coisa a fazer é mudar sua imagem negativa na mente dele!

Precisa fazê-lo enxergar novamente o porque se apaixonou por você, o quanto queria ficar contigo, o quanto te ama e te acha especial, o quanto é feliz com você! Precisa acender novamente a chama da atração, e fazê-lo te desejar de novo.

Acredite, isso é absolutamente possível quando você sabe o que fazer! E adivinha: você não consegue isso se humilhando atrás, chorando pelos cantos, com uma aparência totalmente destruída, e tentando desesperadamente chamar a atenção dele (mesmo que seja pelo WhatsApp, dando um “Oi” como quem não quer nada, ou postando indiretas, ou frequentando os mesmos lugares para parecer que foi “coincidência”).

Clique Aqui para Deixar um Comentário Abaixo 0 comentários

Deixe uma Resposta: