Vale manter um relacionamento pelos filhos?

Vale manter um relacionamento pelos filhos?
Avalie esse artigo

Há vários casais pelos quais alguns casais ficam em casamentos infelizes, mesmo quando eles não estão felizes por causa de vários motivos. Alguns anos atrás uma propaganda norte americana causou polêmica. Feita por um advogado, ela dizia: “A vida é curta, divorcie-se já”.

O autor da propaganda era o escritório Chicago Firm e causou bastante alvoroço e suscitou críticas de todo o país. Mas a empresa legal não pediu desculpas dizendo que o anúncio não é para todos, mas tinha como alvo casais que procuram uma maneira de sair de uma situação conjugal ruim.

Honestamente, há mesmo algo de errado em se divorciar? Seria melhor ver pessoas optando por um casamento infeliz, quando não há esperança de salvar o relacionamento? Muitas pessoas ainda acreditam que casamentos são para sempre.

Ao mesmo tempo, também existem pessoas pensado que quando um relacionamento é quebrado nada pode remendar pode remendar. A perspectivas das pessoas sobre o divórcio está mudando atualmente. Algumas pessoas depois que divorciou já chegaram a celebrar sua liberdade com uma festa para os amigos. Mas e quando há filhos?

Ver também: Dicas para superar a desconfiança no seu relacionamento

O que fazer quando você mantém um relacionamento pelos filhos

Depende da postura de cada um com relação a esse tipo de vida, onde pessoas se escravizam visando o bem familiar, mas não conseguem resultados positivos. O fato é que, ao nos sacrificarmos, deixamos de ser felizes e nos tornamos amargurados por uma série de fatores que decorrem dessa situação.

Fatalmente os filhos serão os primeiros a perceberem isso e a sofrer as consequências provindas de uma união desfacelada, mentirosa. Mesmo que não haja violências ou brigas verbais, o clima que se respira no ambiente familiar nunca é dos melhores e acaba afetando a todos.

Não há diálogos, não há programas, brincadeiras entre pais e filhos, enfim, nada que dê uma conotação de lar. Então, até que ponto é válido duas pessoas se aguentarem só pelo fato de os filhos terem a presença dos pais juntos? Complicado entender e explicar, porque esse “juntos”, na realidade não tem nada de união, apenas simbolismo.

Família feliz, com pais e filhos felizes, realizados, é aquela onde a alegria é estampada no rosto de cada membro, sem forçar nada. A espontaneidade se faz presente em todos os momentos e pais e filhos compartilham todas situações de maneira a unirem-se cada vez mais, e com isso o casamento também vai se solidificando.

Uma convivência baseada em sacrifícios, dificilmente trará benefícios aos filhos, principalmente quando esses ainda são crianças, fase onde nada passa despercebido: tudo é visto, registrado e arquivado para o resto da vida.

A responsabilidade cabe aos pais sobre o que eles realmente querem para seus filhos e, com isso, tomarem uma postura que satisfaça a todos. Muitas vezes é preferível ver os pais separadamente, mas num clima de harmonia, paz, do que vê-los sempre juntos mas num clima de guerra.

E outra, pais separados não significa “pais ausentes”, pelo contrário. Pode-se muito bem haver um relacionamento ótimo entre os dois e, consequentemente passar essa segurança para os filhos, mesmo depois de uma separação.

Por mais difícil que seja ou possa parecer, o que não devemos fazer é deixar a vida passar sem vivermos da forma que idealizamos para o nosso bem estar e felicidade junto aos nossos filhos, seres pelos quais devemos ter o maior respeito e responsabilidade.

Quando Há Filhos, Tudo Complica

Crianças são os que mais sofrem quando se trata de divórcios. Muitos pais simplesmente permanecem em seus casamentos infelizes porque não gostariam de causar nenhum dano a eles. Mas eles não conseguem perceber que brigas e pais infelizes podem fazer mais danos para as crianças do que bem.

A decisão de divórcio, especialmente quando há crianças envolvidas, é uma das escolhas mais difíceis que uma pessoa pode enfrentar. O divórcio não é bonito. Ele aumenta o estresse na vida de cada um dos cônjuges, as suas famílias, amigos e seus filhos.

Infelizmente, o divórcio tende a trazer à tona o pior das pessoas. Ferir os sentimentos de raiva e muitas vezes tem precedência sobre fazer o que é realmente melhor para as crianças.

Devido a isso, talvez seja bacana para o casal fazer tudo o que podem para trabalhar em seus problemas e desafiar-se a fazer o trabalho para reparar seus casamentos antes de escolher o divórcio.

Pode ser uma terapia de casal, ler livros ou conversar com amigos e entes queridos. Trabalhar para isso. Quando um casamento é saudável e os pais estão a trabalhar em conjunto para a saúde a longo prazo e a felicidade do matrimônio e da família, é sempre melhor para as crianças.

Dependendo da Situação, O Divórcio Pode Ser Melhor Para As Crianças

Não há nenhuma razão para acreditar que ficar juntos a qualquer custo é o melhor para as crianças do que se divorciar. Na verdade, quando os pais são infelizes juntos e envolvem-se em hábitos de relacionamento doentios, muitas vezes pode fazer mais mal do que bem.

Os comportamentos que você mostrar em sua casa irá definir o cenário para saber como seus filhos se comportam como adultos. Eles aprendem o que significa ser casado, como ser um marido ou esposa e como lidar efetivamente (ou ineficaz) com o conflito em um relacionamento.

A boa notícia é que quando os casais que decidem se divorciar e que lidar com seu divórcio de uma forma madura e colaborativa, há muita razão para acreditar que as crianças podem se sair muito bem com isso a longo prazo.

Em outras palavras, não é necessariamente o divórcio em si que determina ou não seus filhos vão ficar bem, mas como cada adulto se comporta durante e após o divórcio. 

Os pais que podem permanecer civis, evitar falar mal e culpar uns aos outros, trabalhar juntos para criar estratégias de paternidade unificadas e dar aos seus filhos o tempo consistente, atenção e segurança têm uma chance muito boa de ver seus filhos crescerem tão feliz e saudável como aqueles dos casais saudáveis intactas.

Outros Motivos Pelos Quais Pessoas Ficam Em Casamentos Infelizes 

  • Algumas mulheres ficam em seus casamentos por causa dos confortos e regalias que recebem em casa dos maridos. O mesmo se aplica para os homens que sobrevivem com a renda de sua esposa.
  • Alguns homens e mulheres têm baixa auto-estima. Eles não estão conscientes do seu próprio valor e não percebem que podem fazer melhor. Muitos até mesmo perder a esperança de algum dia ser feliz na vida.
  • Várias pessoas tentam ficar em um casamento infeliz porque eles não querem ser como seus pais, que têm um histórico de divórcios. Uma vez que eles sofreram as conseqüências das ações de seus pais, eles não tentem fazer seus filhos sofrerem por se divorciar.

 

Clique Aqui para Deixar um Comentário Abaixo 0 comentários

Deixe uma Resposta: