Veja 5 erros ao passar o blush

Veja 5 erros ao passar o blush
Avalie esse artigo

Escolher a textura errada:

Pode parecer um erro inocente à primeira vista – e pode até não ser um erro dependendo do efeito que você causar – mas saber qual a melhor textura para sua pele é fundamental. Evita que você passe produtos que possam realçar a oleosidade da sua pele ou deixar com o aspecto ainda mais opaco.

Os blushes líquidos são os mais ‘raros’ de encontrar, claro que tem inúmeras marcas que vendem, mas não é tão comum e nem tem tanta opção de cor quando os outros. Se você tem o costume de usar pó facial, fuja do blush líquido.

Ele provavelmente vai craquelar na sua pele ou deixar um aspecto pesado e estranho. Esse tipo de textura fica bem em quem procura um resulta bem fresh, geralmente algo bem praiano, lugares com piscina e que remeta mesmo a essa sensação do refrescante, do molhado.

Ver também: 20 truques de maquiagem para os olhos que você deve ter em mente

Os cremosos são um pouco mais versáteis e são mais comuns que os líquidos, porém não é muito indicado para quem tem a pele oleosa, esse tipo de textura pode realçar ainda mais. Outro ponto a ser considerado, é que as versões líquidas e cremosas secam relativamente rápidas então não é algo que você possa ficar ‘corrigindo’ e mexendo durante muito tempo. Tem que ter certa habilidade para a aplicação desses dois tipos de blushes.

A textura em pó é a mais conhecida e versátil de todas. Existem em inúmeras cores, podem ter brilho ou não, várias marcas e tamanho. O fato de ser em pó deixa a aplicação muito mais fácil de ser feita e corrigida caso necessário. Se você não tiver a prática, escolha esse tipo de textura para começar.

Cor errada:

É claro que o mundo da maquiagem veio muito mais para facilitar a sua vida que ser algo cheio de regras e coisas minuciosas. A intenção não é fazer ninguém desistir de usar maquiagem. Todos são livres para escolher a textura e cor que bem entender.

Mas acontece muito de você escolher uma cor, por gostar dessa cor, e na hora de aplicar no rosto, não gostar do resultado. Tentar outra cor e fazer o mesmo. Isso acontece porque assim como a base, o blush precisa de um subtom que se adeque ao subtom da nossa pele.

Uma pele bem clara pede blush com tons rosados e de pêssego, mas que sejam bem clarinhos. Cores mais vibrantes como um rosa escuro ou alaranjado vai deixar a pele muito marcada. A função do blush é deixar o rosto com um aspecto saudável com um corzinha bem de leve nas bochechas, pessoas com pele muito branca só irão conseguir esse efeito mais natural com as cores mais claras e brilhosas/peroladas.

Pessoas com a pele clara, mas um pouco mais amarelada que a primeira, pode optar pelos blushes do tipo mosaico que combina vários tons de cores para criar uma suavidade e contraste com a sua pele sem ficar exagerado.

Para as pele oliva, as que parecem naturalmente bronzeadas, ou as que são mais branquinhas e está com a pele bem bronzeada, o segredo é fugir dons tons alaranjados e avermelhados que os blushes com fundo terrosos têm. Prefira o rosa queimado e pêssego fechado.

Para as peles negras os tons mais fechados combinam muito bem, como o rosa queimado, vinho, pêssego bem fechado quase laranja e até um blush dourado escuro com alguns brilhos rosados.

Pincel errado:

Claro que muitas vezes, principalmente em alguma situação de emergência o blush, assim como vários outros produtos na maquiagem, pode ser aplicado com o auxilio dos dedos. Mas um pincel certo é o segredo para uma aplicação correta que deixa aquela aparência suave que tanto queremos.

Do mesmo modo que o pincel de blush pode servir para outras coisas, como iluminar e contornar, outros pinceis também quebram um galho e funcionam bem para o blush, como é o caso do pó. Mas existem ressalvas nessas trocas e versatilidades do pincel que muita gente não presta atenção, depende muito do estilo, formato, cerdas e tamanho.

Um pincel de pó muito grande não vai funcionar para aplicar blush, muito pelo contrario, você não terá nenhuma precisão e o pincel é maior que a área onde o produto deve ser aplicado, o que vai resultar em um risco enorme e no lugar errado.

Pinceis muito densos, com a ponta mais durinha ou muito fina, vai fazer o blush virar uma marcação criando um risco muito mais forte do que é esperado do blush, criando quase uma marcação. Por isso prefira e escolha os pinceis indicados e próprios para o blush para não correr mais nenhum risco.

Aplicar no lugar errado:

O blush é o produto em pó mais suave que você vai ter na sua pele. Por isso o efeito dele não se concentra em só um lugar, na verdade a sutileza tem que sem tanta que não é possível, após uma maquiagem pronta e bem feita, delimitar onde o blush começou e onde terminou.

Ele não fica tão centralizado na bochecha para não ter o efeito de duas bolas rosadas de cada lado do rosto e ele não fica muito concentrado na lateral abaixo do olho para não parecer que você está com uma chinelada na cara. O ponto certo do blush é começar da bochecha – a parte que fica gordinha quando rimos – e levar em sentido diagonal sentido do inicio da orelha.

Não esfumar:

Um erro clássico que muitas vezes cometemos por pressa, tudo na maquiagem precisa ser esfumado. É essa técnica que vai fazer com que o seu rosto fique natural, aveludado, com acabamento suave e profissional. O blush principalmente não pode ter marcações fortes, o efeito dele é justamente algo sutil como o aspecto saudável com um leve toque de cor.

Ele não pode parecer algo que foi colocado, como uma sombra, ele está ali como se sempre estivesse ali. Esse efeito a gente só consegue esfumando muito bem, em movimentos vai e vem levando na direção certa e movimentos circulares conforme vai levando o produto para a lateral do rosto.

 

 

Clique Aqui para Deixar um Comentário Abaixo 0 comentários

Deixe uma Resposta: