Veja pequenas atitudes que vão fazer seu casamento dar certo

Veja pequenas atitudes que vão fazer seu casamento dar certo
Avalie esse artigo

 

Se temos a capacidade de começar a amar alguém por que duvidar da nossa capacidade de manter esse amor? Pura sabedoria; infelizmente, na maioria dos casos, não se pensa nisso. Uma pena… porque, embora nem sempre pareça, gostamos das coisas estáveis e duradouras.

Na verdade o ser humano necessita da estabilidade, seja ela material, econômica ou financeira, seja afetiva, sentimental ou emocional. Destaca-se aqui a instituição do casamento, concebido por Deus para ser estável, para durar eternamente.

A estabilidade do casamento é algo realizador

Representa um sucesso tão grande, incomparável com os aspectos profissionais, econômicos ou sociais. O casamento estável, feliz e duradouro é tudo que sonhamos e precisamos, muito embora a sociedade tente ser fria com relação a isso.

Nada marca tão profundamente o ser humano quanto uma relação conjugal e familiar bem sucedida.Na ideia de que se fala do sentimento dominante, que cativa, que alegra, que faz sorrir,  a partir do qual vários sentimentos são irradiados com sua beleza.

Ele sempre a frente dos demais sentimentos parece ser bem simples e claro que o amor tem um certo protagonismo e rouba toda cena e ditando o rumo das relações. Sua abrangência nos monstra que há varias formas não só de se amar, como também varias definições do  que podemos dizer o que é o amor.

Um sentimento tão  puro e rico, plural, único e define bem A condição humana que não poderia ter uma exclusiva e acabada versão. Ele haveria de ter, por certo, várias subcategorias e especificidades. Claro que amor é amor em qualquer lugar e circunstância, como poderia dizer algum purista ou poeta romântico do século XIX.

É da nossa essência e devemos isso ao nosso criador que investiu tanto em nós. É de um casamento estável, duradouro que provêm os nossos melhores frutos, filhos felizes, emocionalmente estáveis e maduros para enfrentar o mundo, perpetuando a família através das gerações.

Não há outro caminho. Precisamos estar bem conscientes disso em nossas decisões, muitas vezes tomadas sem qualquer critério. Fácil para iniciar, muito mais fácil para terminar. Assim a sociedade moderna encara o casamento. Infelizmente.

Ver também: Conquistando aquele homem que namora. 

O casamento deve durar porque é bom

Apesar do ditado pessimista: “o que é bom dura pouco…”, normalmente concordamos que “tudo que é bom deve durar”. Casamento é coisa divina, sagrada e “tudo que Deus fez é bom”.

E Deus o fez para durar e deseja mantê-lo assim. Investiu e continua investindo nessa dimensão maravilhosa do amor entre um homem e uma mulher.

Bom e realizador, o casamento é parte integrante da natureza humana; dificilmente encontramos alguém que ignora isso totalmente. Nenhum relacionamento substitui o relacionamento conjugal.

Sabemos muito bem do que o amor é capaz, logo não é de estranhar que essa união tenha a capacidade de não só preencher a vida dos envolvidos, mas sobretudo de fazê-los felizes.

Nada mágico, isso torna-se cada vez mais real, quanto mais empenho e vontade houver por parte de ambos. Afinal um bom casamento sempre está recheado de carinho, fraternidade, coesão, apoio mútuo, ternura e afeto.

O amor faz maravilhas na vida das pessoas

No casamento isso se torna muito paupável; amar e sentir-se amado, perceber que um faz parte da vida do outro; saber que há alguém com quem pode contar em qualquer situação, são algumas das realidades só possíveis entre vidas entrelaçadas, compromissadas…

Nos momentos somos  invadidos, por um  vazio, que consume com a  nossa auto-estima, sentimos a nítida sensação de sermos usados e descartáveis.

Como se fossemos, lixo! Bem, os direitos são iguais!  Vale, para os homens como também, para as mulheres. Sem trocarem constantemente de parceiros. Senão a conotação será outra, de total… Promiscuidade!

O casamento deve durar porque é um investimento! Um investimento material e sentimental. E ninguém investe no fracasso. Na verdade a parte material é a menos importante, mas “pesa” e como pesa! Mas não é ela, na grande maioria dos casos, que define a continuidade ou não do “consórcio familiar”.

Já a parte sentimental, sim; esse investimento significa tudo no casamento: é ele que define seu sucesso. Investimos tudo? Confiamos? Ou apostamos apenas uma parte? Desconfiados, preferimos “reservar” já que, de repente, podemos perder tudo? Melhor prevenir…

Está em jogo no casamento o que temos de mais sagrado:

Nos casamentos tradicionais, são muitos anos,  de parceria e cumplicidade, como na culinária,  se adicionarmos  um tempero diferente, uma pimentinha,  sempre será  estimulante ao nosso paladar.

Nos relacionamentos modernos é mais sincero o ficar desfrutarem juntos de momentos   gratificantes, que deixarão inesquecíveis lembranças, sem cobranças, cheias de esperanças.

A dignidade, a auto-estima, o amor próprio, tudo que construímos e preservamos para “aplicar” na hora certa, na medida certa, com a pessoa certa.

Criados um para o outro… Iguais e diferentes… Mesma essência, mesma dignidade, mesma capacidade de amar e de se doar. Muito diferentes nas “qualidades” e nos “defeitos”.

Por isso o casal é muito mais que cada um por si; uma comunhão de vidas que se unem e se complementam num projeto grandioso de vida a dois, sonhado e construído aos poucos, capaz de realizar a ambos.

Como é bonito entre os passarinhos quando a fêmea, percebendo que chegou a hora, que está madura, pode e quer ter o seu ninho, seu “lar”, sua “família”. Transportemos isso para o ser humano…

Fracasso de abandonar o barco que livremente aceitou conduzir são e salvo “até o fim”

Que outra classificação você daria para essa atitude? Fraqueza, arrependimento, covardia, irresponsabilidade, desonestidade? Sim, porque a desordem que isso provoca na área sentimental, emocional, psíquica e até material não é pequena.

Será que não valeria a pena tentar, insistir no velho e bom relacionamento agora fragilizado? Não teria mesmo jeito? Empenhamos tudo para salvá-lo? Demos a ele tudo o que merece? Será que tudo foi feito para dar certo?

O casamento deve durar porque faz bem! Faz bem aos pais que ficam felizes ao verem seus filhos criar “asas”, ganhar “força”, ir adiante com vida própria… Faz bem aos cônjuges.

Entre pesquisas

Várias pesquisas mostram os benefícios “terapêuticos” do casamento, garantindo que homens e mulheres casados são mais saudáveis que solteiros e que após uma separação a qualidade de vida diminui.

Uma das explicações seria a de que os casais dão um ao outro apoio social e financeiro, além de um recíproco monitoramento da saúde.

E ainda, casados são mais produtivos, tomam decisões mais sensatas e conseguem economizar mais. Podemos ainda acrescentar aqui o papel do casamento na correção dos maus hábitos dos solteiros.

Clique Aqui para Deixar um Comentário Abaixo 0 comentários

Deixe uma Resposta: